Medicina Verde

10 ervas e alimentos que você tem em casa, e talvez não saiba que são super medicinais

Compartilhe:     |  25 de janeiro de 2020

Neste artigo vamos falar de 10 plantas que muita gente tem em casa, mas talvez não sabe que são medicinais. A lista das plantas medicinais é imensa e não temos a pretensão de esgotá-la. Use este texto como base de orientação para você conhecer e saber como se usa algumas das plantas mais usadas pelos brasileiros para a cura.

O uso de plantas medicinais como substituto de remédio de farmácia vem de tempos longínquos – desde que o ser humano andava caçando e coletando, experimentando plantas comestíveis e observando para que serviam. Mas, nos tempos mais modernos e em todas as sociedades são usadas plantas para curar onde não há médicos, farmácia ou dinheiro.

Estes são conhecimentos que, passando de geração a geração, já levam séculos de aprimoramento, por tentativa e erro. Pertencem à cultura de cada povo e região pois, as plantas usadas são as que se encontram mais facilmente ou que se cultivam sempre porque pertencem à culinária local.

Esta é a reconhecida “Medicina Popular”, que se fundamenta no conhecimento empírico de curandeiros, xamãs, pajés e médicos dos pés descalços – uma maneira de se buscar a saúde e a cura que não passa por farmácias, diplomas ou preparados químicos industriais e que, nem por isso, deixa de ter bons resultados.

AS PLANTAS MEDICINAIS COMESTÍVEIS DA COZINHA BRASILEIRA

Como vemos na lista abaixo, todas essas são plantas de origem europeia (exceto o limão-bravo que é nativo, e o abacate, que é do centro-americano) mas de uso e cultivo no nosso país desde a sua colonização.

Os usos medicinais que apontamos abaixo são alguns dos muitos que se podem fazer – a lista de usos também seria exaustiva demais – e são os mais comuns, consagrados e reconhecidos.

Mas, cabe um alerta: todo excesso pode ser maléfico portanto, não abuse das ervas, mesmo das conhecidas e, observe a reação do seu organismo para os efeitos esperados e aqueles que sejam indesejados.

Qualquer dessas plantas você conhece bem e sabe que pode usar sem receio de toxicidade mas, recomenda-se, sempre, cautela nas doses.

Também é importante que se saiba: algumas dessas plantas são fotossensibilizantes por efeito de seus óleos essenciais em relação à luz solar (limão, capim-santo, hortelã, alecrim, salsinha) e você deve ter atenção ao seu uso sobre a pele.

E, em alguns casos, podem ocorrer contraindicações de uso como, por exemplo na sálvia (desaconselhada para grávidas e lactantes) ou no alho (veja no item correspondente pois essas contraindicações são as mais sérias)

Melissa ou erva-cidreira – Melissa officinalis

melissa, em uso interno, seja em chá ou tintura, é indicada para os seguintes problemas de saúde:

  • hipotireoidismo
  • problemas gástricos
  • herpes
  • problemas nervosos
  • estresse
  • ansiedade
  • problemas de memória (é indicado em tratamentos de Alzheimer).

Limão (Citrus sp)

No Brasil temos diferentes limões: Tahiti (Citrus latifolia), Limão-Siciliano (Citrus limon), Limão-Galego (Citrus aurantifolia), Limão-Cravo (Citrus limonia) e o limão-bravo (Siparuna apiosyce).

Todos esses limões têm usos medicinais semelhantes: são refrescantes, calmantes, digestivos, anti-inflamatórios, anticatarrais, antioxidantes (ricos em vitamina C). Podem ser usados os frutos maduros na alimentação e o chá de folhas, frutos e flores na cura.

Usos comuns para o limão:

  • problemas gástricos (acidez, má digestão, dispepsia, gastrite, úlcera)
  • problemas respiratórios. (bronquite, dispepsia, embaraço gástrico, gases, laringite, tosse seca)
  • melhorar a resposta do sistema imunológico
  • problemas de pele (manchas, fungos, seborreia)
  • infecções fúngicas
  • ativar o metabolismo (emagrecer)
  • depurativo do sangue
  • afinar o sangue
  • reduzir hipertensão arterial
  • redução das gorduras ingeridas
  • melhora a absorção do ferro dos alimentos
  • estimulante hepático (mantém a vesícula limpa)
  • reduz o ácido úrico
  • desintoxica o organismo
  • combate a icterícia
  • combate as náuseas
  • reequilibra o intestino

Capim-Santo – Cymbopogon citratus

capim-santo, também conhecido como erva-príncipe é parente da citronela Cymbopogon nardus e Cymbopogon winterianus (que não é comestível). Esta planta é usada na alimentação na Tailândia e Sri Lanka, em saladas, refogados e como tempero.

Como chá, tem uso medicinal nas condições de:

  • febres
  • dores
  • problemas nervosos (gástricos, insônia, agitação, ansiedade)
  • infecções bacterianas e virais
  • problemas de fígado
  • espasmos gástricos e intestinais
  • estimula a circulação periférica
  • estimulante estomacal
  • na lactação
  • anestésico da mucosa gástrica
  • hipertensão arterial

Sálvia – Salvia officinalis

Sálvia é uma erva curadora para muitos usos. Também é usada como condimento. Pode ser usada in natura (folhas), chá de folhas e flores, macerado em água, vinho ou óleo, banhos de assento ou de corpo inteiro, defumação e inalação.

  • catarros de todo tipo (pulmão, órgãos genitais, estômago e intestino)
  • infecções bacterianas e virais
  • gripes, resfriados . bronquites
  • melhora a defesa imunológica
  • infecções fúngicas genitais
  • problemas de pele (cicatriza, desinfeta, restaura)
  • sistema circulatório e cardiovascular
  • inalação para as vias respiratórias
  • defumação de ambientes
  • banhos relaxantes e curativos
  • hipertensão arterial
  • colesterol
  • problemas femininos: tpm, menopausa, variações hormonais, variações do ciclo menstrual, amenorreia, cistites, ressecamento vaginal,

Manjericão (Ocimum basilicum)

manjericão é uma das ótimas ervas para quando você se sente doente sem saber o que tem. Pode ser usada em chá, macerado em água ou como condimento.

  • esgotamento e depressão
  • inflamações e febres
  • ativa o sistema imunológico
  • parasitas intestinais
  • tratamento de acne e infecções da pele
  • dores articulares e reumatismo
  • tratamento de feridas abertas e úlceras varicosas
  • infecções das vias respiratórias – bronquite
  • rachaduras nos mamilos
  • cólicas menstruais e gastrointestinais
  • problemas digestivos
  • insônia, ansiedade, nervosismo
  • problemas cardíacos e venosos

Hortelã (gênero Mentha)

Todas as hortelãs são ótimas – para a cura e para a cozinha. Podem ser usadas em chá, banhos, emplastos, macerados em água ou óleo e na inalação.

Cada uma das espécies de Mentha tem suas utilizações específicas na medicina popular mas, basicamente, são usadas como digestivas e calmantes das afecções gastrointestinais assim como, para a redução de catarros. Também são usadas como calmantes do sistema nervoso.

Usos mais comuns das mentas:

  • desinfetante e cicatrizante em feridas
  • perturbações gastro-intestinais (dispepsias, gases, aerofagia, indigestão)
  • em todos os problemas de fígado e vesícula
  • diarreias
  • tosses
  • constipações
  • antiespasmódico
  • vasodilatador da mucosa nasal
  • relaxante muscular

Alecrim (Rosmarinus officinalis)

alecrim é usado como condimento na cozinha mediterrânica e, como chá, garrafada, banhos de assento ou macerado em óleo, na cura dos seguintes problemas:

  • sistema nervoso – depressão, insônia, ansiedade, tristeza
  • sistema cardiovascular – na debilidade cardíaca, coração pesado
  • doenças do fígado, vesícula, rins e pulmões
  • antisséptico, adstringente
  • próstata
  • colites
  • acne e inflamações cutâneas
  • no estresse e perda de memória
  • melhora o humor, a aparência e aumenta a longevidade
  • recupera a musculatura vaginal: ALECRIM PODE TRATAR A FLACIDEZ DA MUSCULATURA VAGINAL

Abóbora (Cucurbita pepo)

Cada tipo de abóbora tem sua qualidade medicinal específica, que varia conforme a quantidade de vitaminas, sais minerais e fibras que contêm mas, no geral, as abóboras são ricas em vitaminas A, B, C e E, em fósforo, selênio, potássio e cálcio, e em fibras de ótima qualidade. Quanto mais alaranjada a polpa da abóbora, maior seu conteúdo em caroteno, fundamental para a saúde dos olhos.

Usos comuns da abóbora na cura:

  • a decocção da polpa é indicada nos casos de diarreia e gases
  • o sumo da polpa é bom para prisão de ventre
  • o cataplasma das folhas é indicado em casos de queimaduras, inflamações e dores de ouvido
  • as sementes, torradas ou cruas, são excelentes como vermífugo
  • e, no geral, a abóbora é um excelente tônico para o cérebro, fígado, rins e intestinos
  • o chá das sementes de abóbora para curar cólicas, diminuir pedras nos rins e acalmar febres
  • a polpa da abóbora, diretamente na testa para aliviar dores de cabeça
  • o caldo do pé de abóbora é recomendado na cura de dores de ouvido
  • O suco das flores é considerado digestivo
  • as sementes trituradas fornecem um suco refrigerante, próprio para os períodos de febre e nas inflamações das vias urinárias como cistite e hipertrofia prostática

Salsinha – Petroselinum sativumP. crispumP. hortense e P. tuberosum.

Todas as espécies de salsinha são ricas em ferro e vitamina C, têm ação diurética, vasodilatadora e tonificante. Tanto a raiz como as folhas e talinhos da salsa podem ser usados em chá e macerado em água.

Indicações de uso:

  • diurético, retenção de líquidos, celulite, pernas inchadas e pesadas
  • insuficiência cardíaca e pressão alta
  • urina escassa, insuficiência renal
  • inapetência, anemia, esgotamento físico
  • dismenorreias
  • estimulante e fortificante
  • infecções da bexiga
  • melhora a digestão
  • mantém os rins saudáveis
  • evita o mau hálito
  • trata a artrite
  • limpa o sangue
  • protege e estimula o sistema imunológico

Abacate – Persea americana

abacate é curativo e alimentício, rico em ácidos graxos essenciais, vitaminas, fibras e sais minerais. A polpa é consumida in natura, do caroço e das folhas se preparam chás.

Usos indicados:

  • regula a circulação sanguínea
  • reduz o colesterol (LDL)
  • estabiliza a pressão arterial
  • combate colite nervosa
  • reduz açúcar no sangue
  • tem ação anti-inflamatória
  • regula os problemas de menstruação
  • melhora o aspecto da pele
  • fortalece o sistema imunológico
  • previne doenças cardíacas
  • tem ação antioxidante
  • melhora a digestão
  • é antidiarréico
  • previne tumores
  • alivia as dores articulares
  • combate a acidez estomacal
  • ajuda a diminuir o peso corporal

Alho – Allium sativum

Esta é uma das plantas poderosas que sempre temos na cozinha.

alho cru é poderoso curador de amplo espectro. Seu uso medicinal é feito in natura, na forma de chá (dentes de alho, casca) e macerado em água ou vinho, tintura e óleo..

Tem ação como:

  • vermífugo
  • antifúngico
  • inseticida
  • bactericida
  • antibiótico
  • reduz os índices de pressão arterial
  • fluidifica o sangue
  • reduz processos inflamatórios e catarrais

De todas essas plantas aqui faladas, é o alho que tem maiores contraindicações:

Comer alho, ou tomar cápsulas de óleo de alho, é muito perigoso para todos aqueles que:

  • têm problemas de coagulação sanguínea
  • tomam remédios anticoagulantes
  • trombose ou suspeita de trombos não consolidados
  • sofram de hemorragias
  • menstruação muito abundante
  • tenham a pressão arterial muito baixa (especialmente no tempo mais quente)
  • na semana anterior a uma cirurgia de qualquer porte (inclusive dentária)
  • após uma cirurgia
  • se você consome: gingko biloba, ulmaria, sauce, óleo de onagra, óleo de krill, pomelo ou castanha da índia (todos têm ação anticoagulante que será potencializada com o uso concomitante do alho).

Em casa, na cozinha, na despensa ou na horta, existe uma farmácia de grande valor. Aproveite!



Fonte: Greenme



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais