Projetos Ambientais

10 melhores projetos arquitetônicos sustentáveis de 2020

Compartilhe:     |  6 de junho de 2020

Fundação Ford

Mais do que elemento um mero elemento, a sustentabilidade é parte integrante de qualquer projeto arquitetônico alinhado com as demandas atuais. Neste sentido, anualmente, o Comitê Ambiental do Instituto Americano de Arquitetos (AIA, na sigla em inglês) premia os 10 melhores projetos arquitetônicos que combinam alto design com desempenho de ponta em dez áreas principais. Os critérios de seleção incluem valores sociais, econômicos e ecológicos.

“Os 10 projetos vencedores ilustram as soluções que os arquitetos fornecem para a saúde e o bem-estar de nossas comunidades e do planeta”, afirma a instituição em comunicado. Confira abaixo os selecionados:

Centro de natureza ambiental e pré-escola, Newport Beach, Califórnia

LPA, Inc.

Voltada para crianças de 2 a 5 anos, esta pré-escola na Califórnia tem o intuito de fornecer educação focada na experiência prática na natureza. Para tanto, a própria comida é cultivada em uma horta orgânica local e todo o entorno é repleto de plantas nativas, que fornecem o habitat perfeito para pássaros e insetos. Por serem típicas da região, tal vegetação não requer irrigação.

Aproveitando o clima costeiro, o edifício, construído com materiais naturais e reciclados, é orientado para favorecer a ventilação natural. Não há sistema de refrigeração, apenas ventiladores de teto de baixo consumo energético. Além disso, a instalação de painéis solares gera até 60% mais energia do que o necessário. As medidas de eficiência hídrica, como acessórios e torneiras eficientes, reduzem o uso de água potável em 35%.

Biblioteca Central de Austin, Austin, Texas

Flato Architects + Joint Venture Shepley Bulfinch

Dois objetivos principais de sustentabilidade determinaram este projeto: a ideia é que seria a biblioteca mais iluminada do país e serviria como modelo de conservação de água para edifícios na região.

O coração do edifício é o átrio de seis andares, que fornece iluminação natural para mais de 80% dos espaços ocupados regularmente. A instalação é composta por espaços flexíveis e combinados, incluindo coleções e salas de leitura internas, varandas para leitura ao ar livre, espaços para criadores, refeições ao ar livre, um centro de tecnologia, café, livraria, centro de eventos, galeria de arte, cozinha e estacionamento. Um jardim para polinizadores e varandas de leitura atraem visitantes para se conectar com a natureza.

Um sistema de captação de água da chuva fornece água necessária para a irrigação das árvores verdes, como o jardim polinizador, e para as instalações sanitárias. A Biblioteca Central de Austin é o primeiro projeto público da cidade a obter a certificação LEED Platinum.

Porto de entrada terrestre nos EUA, Columbus, Novo México

Fotos: Robert Reck

Richter Architects

Localizado no deserto de Chihuahuan, nesta passagem de fronteira circulam pedestres, veículos particulares, mercadorias comerciais (principalmente agrícolas) e mais de 800 crianças em idade escolar que vão à escola nos Estados Unidos.

O projeto buscou fornecer uma arquitetura que inspira e respeita todas as pessoa: abraça a cultura, conserva recursos, nutre a ecologia, protege o habitat, celebra a diversidade e transmite o amor pela terra. Painéis solares que aproveitam o sol do deserto, retenção de água pluvial e banheiros públicos com ventilação natural são apenas algumas das medidas adotadas.

Centro da Fundação Ford para Justiça Social, Nova York

Gensler

Fotos: Garrett Rowland

Este projeto é uma reforma da sede da Fundação Ford que existe desde os anos 60. Muitos espaços, acabamentos e móveis foram redesenhados. No processo, alcançou-se uma redução de 35% no consumo de energia e 66% de toda a água da chuva que cai é coletada em uma cisterna.

Outro ponto de destaque é que anteriormente, pela configuração dos espaços, apenas um grupo seleto de escritórios tinha uma visão privilegiada do átrio. Hoje, os poucos espaços fechados se alinham na extremidade externa do edifício, tornando o átrio visualmente acessível a todos. Neste átrio, uma variedade de plantas e árvores criam um belo cenário verdejante.

Edifício de Design John W. Olver, Amherst, Massachusetts

Leers Weinzapfel Associates

Maior edifício acadêmico a usar madeira laminada cruzada (CLT) dos Estados Unidos. Este projeto incorpora soluções estratégicas de engenharia para minimizar o uso de energia. Desta forma, o edifício Olver consome 54% menos energia do que um prédio universitário comum. Além disso, o espaço bem iluminado oferece conexão visual com diversos espaços, abraçando os objetivos de colaboração da universidade.

A inserção de plantas nativas, gerenciamento de águas pluviais e jardins de chuva criam ainda uma sala de aula ao ar livre.

Keller Center – Escola de Políticas Públicas de Harris, Chicago

Farr Associates e Woodhouse Tinucci Architects

Fotos: Tom Rossiter

O campus da Universidade de Chicago está localizado em um ambiente urbano entre uma série de parques públicos conectados. Para se adequar ao seu entorno, a reforma do prédio contou com a inclusão de jardins com espécies nativas, um vidraça padrão biofílico amigável às aves.

Painéis solares no teto, clarabóias do tamanho certo e sombreamento solar fixo proporcionam ganhos térmicos passivos. Estando em uma área de muita chuva, para mitigar o escoamento, o Keller Center coleta e armazena as águas pluviais em uma cisterna.

Centro de Educação Marinha, Ocean Springs, Mississippi

Flato Architects e Unabridged Architecture

Centro de Educação Marinha (MEC) é o braço de educação e divulgação do Laboratório de Pesquisa da Costa do Golfo da Universidade do Sul do Mississippi. Após três destruições causadas por tempestades e furacões ficou claro que a nova instalação precisaria ser resiliente, sustentável e durável.

Cientes da capacidade das árvores para amortecer naturalmente o vento, a equipe conseguiu inserir a nova instalação na parte mais resiliente e protegida do local. Além disso, ao invés de uma única construção foram feitos edifícios menores agrupados em zonas antes dominadas por árvores invasoras ou enfraquecidas. O sistema de fundação usa pilares em forma de hélice para elevar os prédios e minimizar danos ao local.

O resfriamento natural é maximizado pela orientação do edifício, além de um sistema solar térmico que fornece água quente. Os responsáveis pelo projeto estimam que o centro consuma 47% menos energia que a média nacional deste tipo de edifício.

Mesmo com todos os cuidados, a equipe selecionou materiais de baixo impacto para evitar a contaminação do oceano no caso de um desastre natural.

UPCycle, Austin, Texas

Gensler

Nesta reforma empresarial, o antigo armazém opaco e pouco convidativo deu lugar a um prédio criativo cheio de luz, que incentiva a interação e a conexão. Foram removidos áreas de concreto para inserir espécies nativas e adaptativas. Varandas e pátios ao ar livre incentivam os funcionários a se conectarem com o exterior.

Todos os equipamentos selecionados no projeto atendem ou excedem os requisitos mínimos de redução de água LEED para gerenciar o uso da água. No quesito energético, novos sistemas foram instalados para melhorar a ventilação e iluminação natural.

O seis, Los Angeles

Brooks + Scarpa

Localizado em um antigo estacionamento, o edifício foi projetado para pessoas em situação de rua e deficientes. Devido ao clima ameno, seco e ensolarado de Los Angeles, várias estratégias de design passivas foram utilizadas. Entre as aplicações sustentáveis destacamos a orientação do prédio que maximiza a ventilação cruzada e iluminação natural, a retenção de água da chuva (95% das superfícies captam água pluvial de alguma forma) e a grande incorporação de áreas verdes. O prédio foi projetado para que mais de 30% do local seja composto por paisagismo vegetativo ou superfícies permeáveis.

Os quartos individuais são pequenos, logo, para compensar, foi construída uma grande sala de recreação com cozinha e área de estar, que permite aos inquilinos socializar, cozinhar juntos e aproveitar o espaço comum.

Sede da Etsy, Nova York

Gensler

Fotos: Garrett Rowland

Para construir sua sede, a empresa de comércio eletrônico adaptou um prédio industrial no Brooklyn. Isso por si só já garantiu uma grande redução de recursos. O projeto incorporou vegetação abundante em ambientes internos e externos e princípios do design biofílico.

O telhado cede espaço para placas solares e a companhia ainda compra energia adicional para garantir que o abastecimento seja 100% de fontes renováveis. Também no telhado, e áreas comuns, floreiras e paredes verdes trazem o verde para o local de trabalho. As plantas cultivadas são nativas, algumas são raízes comestíveis, e são irrigadas com água captada da chuva.

Aqui trouxemos um pouco de cada projeto, mas como dissemos no início foram 10 os critérios para escolha. Confira os detalhes de cada projeto.



Fonte: CicloVivo - Marcia Sousa



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais