Dicas Ecológicas

13 dicas para economizar energia em casa

Compartilhe:     |  20 de março de 2021

Confira pequenos hábitos que podem fazer a diferença na sua conta de luz – e na saúde do planeta

dicas economizar energia
Imagem de Riccardo Annandale em Unsplash

Economizar energia em casa faz toda a diferença na pegada ecológica do consumo da rede elétrica. Você já parou para pensar no tamanho do impacto da energia na sua vida?

A verdade é que mal nos damos conta da quantidade de tarefas e objetos comuns no nosso cotidiano que envolvem consumo energético: computadores, smartphones, máquinas de lavar roupas, forno de micro-ondas, televisores – e a lista continua.

Com a aceleração dos avanços tecnológicos e a crescente oferta de produtos eletrônicos, a tendência é que o uso da energia se intensifique ainda mais nos próximos anos. O problema é que o aumento desse consumo vem acompanhado de contas de luz cada vez mais altas e uma série de impactos ambientais.

Mas a boa notícia é que existem várias atitudes simples que você pode tomar para controlar melhor as finanças e, de quebra, fazer a sua parte para proteger o planeta. Para começar, o primeiro passo é entender o que é ecoeficiência energética.

Ecoeficiência energética: o que é isso?

ecoeficiência energética é o uso eficiente de materiais e energia, com o objetivo de reduzir custos econômicos e impactos ambientais. Isso significa que um sistema ecoeficiente consegue produzir mais gastando menos insumos e matérias-primas.

Compreender o papel da ecoeficiência energética na economia de energia é o pontapé inicial para alcançar um estilo de vida sustentável, com uso inteligente dos recursos. Na verdade, o ideal é que todas as mudanças de atitude que você adotar daqui para a frente tenham como propósito alcançar o máximo de eficiência energética na sua casa.

A energia no Brasil é ecoeficiente?

O Brasil é o país que detém o maior potencial hidrelétrico do mundo. Na verdade, a maior parte da energia elétrica produzida no nosso país é proveniente de usinas hidrelétricas. Apesar de ser considerada por muitos uma fonte de energia “limpa”, existem outras alternativas mais limpas, como a energia solar e a energia eólica.

Nos casos em que as usinas hidrelétricas são instaladas em locais com a presença de fauna e flora, a principal fonte de emissão de gases do efeito estufa acontece pela decomposição da matéria orgânica da vegetação e dos animais presentes na área de inundação.

Segundo um artigo do pesquisador Dr. Philip M. Fearnside, do Instituto de Pesquisas da Amazônia, sobre a Usina de Tucuruí, as emissões de gases do efeito estufa (principalmente CO2 e CH4) da usina variaram entre 7 milhões e 10 milhões de toneladas no ano de 1990.

No estudo, o autor faz uma comparação com a cidade de São Paulo, que emitiu 53 milhões de toneladas de CO2 provenientes de combustíveis fósseis no mesmo ano. Ou seja, somente Tucuruí seria responsável pela emissão do equivalente a até 18% da emissão de gases do efeito estufa da cidade de São Paulo – um valor significativo para uma fonte de energia considerada limpa.

Outros impactos negativos dos empreendimentos hidrelétricos são as mudanças no modo de vida de animais e das populações que residem na região ou no entorno do local onde as usinas são implantadas.

A sobrevivência dessas comunidades, que muitas vezes são identificadas como populações tradicionais (povos indígenas, quilombolas, comunidades ribeirinhas, amazônicas e outros), depende da utilização dos recursos provenientes da região onde vivem.

Confira 13 dicas para economizar energia em casa

1. Desconecte da tomada os aparelhos que não estão em uso

Você sabia que muitos eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos, como televisores, carregadores de celular e notebooks, consomem energia mesmo quando estão desligados se estiverem plugados à tomada? Por isso, o ideal é desconectar tudo quando você não estiver usando.

2. Apague as luzes

Embora seja a tarefa mais básica para quem quer poupar energia, muitas pessoas esquecem de apagar as luzes quando elas não estão em uso. Um jeito prático e simples de se lembrar sempre dessa obrigação é colocar adesivos ou plaquinhas espalhadas pelos interruptores de casa ou do condomínio com mensagens educativas.

3. Aposte nas lâmpadas certas

A troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes é muito eficaz para economizar energia. Se a troca for por modelos de LED, melhor ainda, pois eles são recicláveis e não têm problemas que envolvem o mercúrio das fluorescentes, além de economizarem ainda mais eletricidade.

4. Abuse da iluminação natural

Sol é seu melhor amigo. Deixe-o entrar na sua casa! Esqueça as cortinas, abra as janelas e ocupe os espaços abertos, como jardins e varandas, para trabalhar, ler ou passar o tempo. Uma das vantagens de viver em um país tropical é que você pode abusar da luz natural praticamente o dia todo. Não desperdice essa chance.

5. Prefira aparelhos econômicos

Ao adquirir ou trocar produtos eletrônicos nacionais, opte pelos que possuem o selo de eficiência energética do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) e, entre eles, aqueles que consomem menos energia. No caso de produtos importados, opte pelos que possuem o selo Energy Star.

6. Tome cuidado com o chuveiro elétrico

Chuveiros elétricos costumam representar os maiores consumidores elétricos de residências. Por isso, verifique a possibilidade da instalação de chuveiros a gás ou solares nos prédios, diminua o tempo de banho e, em dias quentes, coloque a chave de eletricidade do aparelho na posição “verão”. Se você for corajoso ou corajosa, conheça os benefícios do banho frio.

7. Fique de olho na geladeira

geladeira sempre foi uma das grandes vilãs da conta de luz, mas as tecnologias mais recentes têm ajudado a minimizar o problema. Para reduzir ainda mais o gasto energético, nunca encoste a geladeira nas paredes, mantenha o aparelho bem higienizado e verifique as borrachas de vedação com frequência, limpando-as, de tempos em tempos, com um pano úmido.

8. Instale sensores de luz

Os sensores de luz permitem que as luzes se apaguem automaticamente quando não há ninguém no ambiente. Esse é um investimento que vale a pena e contribui muito para a economia de energia.

9. Prefira paredes de cores claras

Evite pintar paredes e tetos com cores escuras, porque elas refletem menos luz, exigindo lâmpadas mais potentes que, consequentemente, consomem mais energia.

10. Reduza as despesas com aquecimento de água

O aquecimento da água com chuveiro elétrico é um dos principais contribuintes para o consumo total de energia. Para economizar, você pode adquirir um aquecedor de água mais eficiente, instalar aquecedores solares ou simplesmente usar menos água quente, diminuindo o termostato do aquecedor de água.

11. Evite gastos desnecessários durante o horário de pico

Sempre que for possível, utilize aparelhos elétricos fora do horário de pico, que vai das 17h30 às 21h. Se você tem chuveiro elétrico, por exemplo, uma dica é estabelecer um horário menos “disputado” para tomar banho (de manhã ou após às 22h, caso você esteja acostumado a dormir mais tarde).

12. Opte por um aparelho de ar-condicionado inteligente

Com o aumento da utilização de aparelhos de ar-condicionado, a demanda de energia no Brasil cresceu muito durante o dia, o que tem impacto direto na conta de luz. Por isso, na hora de adquirir o seu aparelho, dê preferência aos modelos que contam com a tecnologia Inverter, que reduz o consumo de energia quando detecta que o cômodo precisa de menos refrigeração ou aquecimento.

Outras dicas para economizar são manter a temperatura entre 21o e 23o C e limpar regularmente os filtros do aparelho.

13. Invista em energia solar

Ao contrário dos combustíveis fósseis, o processo de geração de eletricidade a partir de painéis solares não emite dióxido de enxofre, óxidos de nitrogênio e dióxido de carbono – poluentes com efeitos nocivos para a saúde humana e que contribuem negativamente para as mudanças climáticas.

Por isso, a energia solar é considerada, no mundo todo, uma fonte de energia renovável muito promissora para combater a crise climática e os impactos da poluição por combustíveis fósseis no planeta. Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica – ABSOLAR, somente o Brasil já possui mais de 400 mil sistemas em operação.

A energia gerada pelos painéis solares fotovoltaicos proporciona grandes benefícios para o sistema elétrico do Brasil. Essa sinergia e complementaridade com o sistema de geração eólica são uma alternativa limpa à necessidade de instalação de novas usinas movidas a combustíveis fósseis, uma vez que elas ajudam a reduzir os impactos ambientais negativos da instalação de novas usinas, aliviam o sistema elétrico e reduzem o risco de blackout.

Nas residências, a instalação de um sistema solar garante autonomia energética, redução de até 95% na conta de luz e uma fonte ilimitada de energia por até 30 anos, com retorno financeiro e baixa necessidade de manutenção. O investimento inicial em um sistema solar é recuperado em até 4 anos, com uma das melhores taxas de retorno em comparação com investimentos de renda fixa.

Com a Holu, ter um sistema de energia solar residencial ou comercial é simples, rápido e acessível.


Fonte: Equipe Ecycle



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

O pet precisa de suplementação alimentar equilibrada

Leia Mais