Notícias

7,6 mil toneladas de latas de aço são recicladas em 3 meses

Compartilhe:     |  12 de maio de 2021

O Paraná lidera com o 1° lugar no ranking de reciclagem de latinhas.

O Brasil segue como um dos principais líderes mundiais em reciclagem de latinhas. A associação sem fins lucrativos Prolata contabilizou 7,6 mil toneladas de latas de aço recolhidas só no primeiro trimestre de 2021. O Paraná foi o estado que mais reciclou no período.

Nem a interrupção temporária de atividades de coleta seletiva em diversos municípios brasileiros foi capaz de atrapalhar o avanço nos indicadores de reciclagem do setor de aço.

O Brasil reciclou 97,4% de latas em 2020, o que significa que foram recicladas mais 391 mil toneladas de latinhas. Só o programa Prolata reciclou 22.032,79 toneladas de aço –  um aumento de 179% em comparação com 2019. Já neste primeiro trimestre de 2021, na comparação com o mesmo período de 2020, houve crescimento de 13% no volume de reciclagem. O aumento é ainda maior, de 32%, em relação ao último trimestre de 2020.

Criada em 2012 pela Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço), a Prolata conseguiu implantar uma cadeia de reciclagem que reúne fabricantes, varejistas, consumidores, catadores e as duas grandes siderúrgicas em operação no país, Gerdau e AcelorMittal. Hoje, são 55 cooperativas parceiras, em 31 municípios e 11 estados, mais o Distrito Federal.

Além de incentivar o descarte correto das latas pós consumo, a entidade atua pela revalorização das embalagens usadas. “A Prolata conseguiu implantar a cadeia completa da reciclagem do material e, hoje, latas de alimentos e tintas utilizadas são matérias primas importantes para as siderúrgicas”, afirma Thais Fagury, presidente da Abeaço e diretora executiva da Prolata. Thais ressalta que o aço é um material nobre, que pode ser reciclado infinitamente, sem sofrer perda de qualidade.

Outro trunfo da associação é a implantação de PEVs (Pontos de Entrega Voluntária) nas lojas de tintas, materiais de construção e supermercados. “Para o consumidor, fica mais simples entender que no mesmo local em que ele comprou o produto, a lata pode ser descartada”, diz Thais. Atualmente há 30 PEVs nos estados de São Paulo e Mato Grosso, além de 22 entrepostos, para a coleta de grandes volumes, nos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.

Paraná: campeão em reciclagem de latas

Neste primeiro trimestre de 2021, o destaque na reciclagem de latas foi para o estado do Paraná que reciclou 4.586 toneladas de embalagens de aço de tintas e alimentos. A quantidade coloca-o em primeiro lugar no ranking do Brasil.

Abaixo, a Prolata explica porque é importante reciclar tal material e traz algumas dicas para quem quer começar a fazer a sua parte:

Por que reciclar?

Quando coletada e destinada corretamente a uma usina siderúrgica ou fundição, a lata de aço pode ser reutilizada como matéria-prima para outros produtos infinitas vezes. A cada 75 embalagens de aço recicladas, salva-se uma árvore que, sem isso, estaria sendo transformada em carvão vegetal.

Há alimentos, bebidas, tintas e também produtos químicos que chegam ao consumidor nesse tipo de embalagem. Mas como ter certeza sobre qual é o material? Use um imã! Se “colar”, é aço!

Dicas para começar

– Use os conteúdos das latas ao máximo para evitar desperdícios. Retire os restos orgânicos ou de produtos. A lata deve estar vazia.

– Lave as embalagens alimentícias com fio de água para reduzir o mau cheiro e facilitar o trabalho nas cooperativas e centrais de triagem, ou limpe seu interior com papel toalha.

– As latas de tinta também são consideradas resíduos comuns e não precisam ser lavadas. Basta encaminhá-las com filme seco (sem resíduos líquidos).

– Descarte as latas de aço no cesto de recicláveis, com outros materiais de embalagem.

– Cuidado para não jogar no lixo de recicláveis máscaras de proteção para a Covid-19, luvas ou lenços higiênicos. Esses itens não são recicláveis e representam perigo para a saúde dos catadores.

– Você pode descartar as latas separadas na coleta seletiva, caso haja em seu bairro, ou por cooperativas de catadores e catadoras de materiais recicláveis. Há ainda pontos de entrega voluntária (PEVs), conhecidos como estações reciclagem, e sucateiros legalizados, entrepostos ou centros Prolata



Fonte: CicloVivo - Por Marcia Sousa



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Frio: veterinários indicam cuidados com pets

Leia Mais