Notícias

A EuroVelo terá 70 mil km e vai interligar 43 países por meio de 14 rotas turísticas

Compartilhe:     |  27 de outubro de 2014

Imagine conhecer os fiordes da Noruega em um passeio de bicicleta. Ou pedalar às margens do mar da Croácia, ao mesmo tempo em que percorre vilas medievais. Pois a partir de 2020, viagens desse tipo poderão ser feitas em rotas exclusivas para os adoradores das bikes.

A EuroVelo, uma megaciclovia de 70 mil km de extensão, está prevista para ser inaugurada na Europa até 2020. A estrada ligará 43 países, em um total de 14 rotas de diferentes extensões, sendo que cada trecho recebeu um nome relacionado às paisagens e histórias encontradas pelo trajeto. A rota 14, por exemplo, foi batizada de “Cortina de Ferro”, uma alusão à Guerra Fria. Com 10.400 quilômetros e interligando 20 nações – entre elas Noruega, Rússia, Alemanha, Bulgária e Turquia – é a maior da megaciclovia. Outro exemplo é rota 3, chamada de “Rota dos Peregrinos”, que passa por Santiago de Compostela, na Espanha, famoso local de peregrinação.

Quem está por trás desse projeto é a ECF (Federação Europeia de Ciclistas). O objetivo, além de criar uma rede de ciclovias que una todo o continente europeu, é encorajar o maior número de pessoas a dar uma chance ao transporte em duas rodas – seja em viagens turísticas ou no dia a dia. E ainda há um bônus: com o estímulo ao uso da bicicleta, há um incentivo aos meios de transportes mais sustentáveis.

Rotas históricas
Rotas históricas

Para incentivar os ciclistas, a ECF ainda divulga, em seu site, dicas para quem pretende se aventurar em duas rodas pelo Velho Mundo. Confira algumas:

  1. Planeje os detalhes da sua rota com antecedência. No site da EuroVelo, você confere as rotas e escolhe o caminho desejado.
  2. Informe-se com antecedência sobre os códigos de trânsito das estradas que vai percorrer. Também vale programar paradas para descanso e aproveitar as paisagens!
  3. Garanta o equipamento necessário – e correto. É importante pesquisar antes de comprar, para não correr o risco de comprar acessórios caros, mas que não são tão eficientes.
  4. Aproveite as eficientes linhas férreas da Europa e combine as pedaladas com trechos de viagens em trens. Muitos são inclusive equipados com áreas exclusivas para levar bicicletas.


Fonte: Bayer Jovens



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Saiba como cuidar do seu pet em tempos de coronavírus

Leia Mais