Notícias

A fauna silvestre brasileira está sob constante ameaça de diferentes formas

Compartilhe:     |  23 de setembro de 2020

O Brasil é formado por seis biomas de características distintas: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal. Cada um desses ambientes abriga diferentes tipos de vegetação e de fauna. Hoje, 22 de setembro, é considerado, no País, o Dia da Defesa da Fauna. Isso ao mesmo tempo em que três desses biomas, em especial, ardem nas chamas dos incêndios florestais: Cerrado, Pantanal e Amazônia.

As perdas de vidas e patrimônio genético são incalculáveis. A Amazônia, maior bioma do Brasil, abriga mais de 2.500 espécies de árvores e 30 mil de plantas; o Cerrado
Detém 5% da biodiversidade do Planeta e é reconhecido como a savana mais rica do mundo; o Pantanal é considerado uma das maiores extensões úmidas contínuas do Planeta.

Esse desastre sozinho já seria responsável pela perda de habitat, sofrimento e morte e incontáveis espécimes. O mais desafiador, no entanto é que as ameaças que pairam sobre a nossa fauna são múltiplas, constantes e implacáveis.

Uma das faces mais cruéis é o tráfico de animais. No Brasil, milhões de animais são retirados da natureza todos os anos para virarem bichos de estimação. Eles definitivamente não estarão melhor do que em seu ambiente natural como os seus por terem água e alimento adequados na casa de alguém, sem contar com os horrores que passam até a comercialização. Muitos nem sobrevivem.

A caça é uma outra atividade que ameaça a existência de muitas espécies da fauna silvestre. Matar animais por lazer ou pela carne ainda atrai muitos brasileiros. E há setores da sociedade que trabalham pelo retorno autorizado dessa atividade.

Os incêndios florestais são das piores formas de perda de habitat. Mas de muitas outras maneiras as atividades humanas impactam nos lugares onde vivem os animais, seja pelo avanço da fronteira agropecuária, urbanização e tudo que altera ambientes naturais.

Uma outra ameaça à integridade da fauna silvestre em todo o Planeta, e no Brasil não é diferente, é a dos transportes, pela abertura de rodovias, ferrovias e a circulação de embarcações e aeronaves. Os atropelamentos são a parte mais visível deste problema.

Ameaçadas de Extinção

A Lista Nacional de Espécies Ameaçadas de Extinção é um dos mais importantes instrumentos utilizados pelo governo brasileiro para a conservação da biodiversidade. Nela são apontadas as espécies que, de alguma forma, estão ameaçadas quanto à sua existência.

Entre 2010 e 2014, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) conduziu a avaliação do risco de extinção da fauna brasileira. Nesse período, foram avaliados 12.256 táxons da fauna, incluindo todos os vertebrados descritos para o País.

Os resultados dessa avaliação apontam para 1.173 espécies da fauna ameaçadas, e o grupo dos peixes continentais é o que contém maior número de espécies sob alguma categoria de ameaça (310 espécies), seguido pelo grupo das aves (233), invertebrados terrestres (233) e mamíferos (110).

Dito tudo isso, é hora de pensarmos e agirmos para proteger a principal riqueza do nosso país: a sua biodiversidade.

 



Fonte: Agência Eco Nordeste - Com informações de: Fauna News / MMA



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais