Notícias

A maioria dos tubarões do Reino Unido já consumiu plásticos, segundo estudo

Compartilhe:     |  26 de julho de 2020

Microplásticos e microfibras sintéticas de roupas foram encontrados pela primeira vez nas entranhas de tubarões que vivem na costa do Reino Unido.

Os cientistas examinaram o estômago e o intestino de 46 tubarões que foram capturados acidentalmente por arrastões de pesca sedeados em Penzance.

Eles descobriram que 67% dos tubarões examinados continham microplásticos ou outras fibras sintéticas comumente encontradas em têxteis. Foram encontradas 379 partículas.

Kristian Parton, da Universidade de Exeter e principal autor do estudo publicado na revista Scientific Reports, disse que os resultados destacam “a natureza onipresente da poluição por plásticos”.

“Ficamos chocados que a grande maioria (95%) dos contaminantes identificados eram microfibras de linhas e redes de pesca, por exemplo, ou celulose sintética usada para fazer máscaras de viscose, de seda artificial e descartáveis”, disse ele. “Ter essa linha de base é muito importante para ver como isso muda com o tempo para as espécies de tubarões do Reino Unido e para futuras comparações globais”.

Os cientistas examinaram quatro espécies que geralmente viviam perto do fundo do mar: o tubarão-gato malhado, o tubarão canejo, o peixe-espinho e o tubarão-gato enfermeiro.

As microfibras chegam ao mar de várias maneiras, incluindo a partir da quebra de grandes pedaços de plástico, as fibras retiradas dos pneus de carros ou a lavagem de tecidos sintéticos.

“Quando esses pequenos fragmentos fluem para nossos rios e, consequentemente, para os oceanos, alguns flutuam na superfície ou dentro da coluna d’água, enquanto outros vão para o fundo do mar, onde esses tubarões vivem”, disse Parton. “As fibras podem ser ingeridas quando os tubarões comem caranguejos de praia ou lagostas, ou diretamente através dos sedimentos no fundo do mar, pois são alimentadores por aspiração.”

O impacto da poluição plástica nos tubarões é pouco estudado, disse Parton. “A maioria das pesquisas se concentrou em baleias, tartarugas, golfinhos e focas até agora. Este estudo ajuda a construir uma imagem mais clara de como a poluição plástica afeta os tubarões, mas também levanta outras questões: se os microplásticos afetarem a carne desses tubarões, os seres humanos poderão finalmente consumir essas fibras.”

A Dra. Laura Foster, diretora de mares limpos da Marine Conservation Society, disse: “Esta nova pesquisa é outro lembrete de que a poluição por plásticos afeta diretamente a vida marinha nos oceanos do Reino Unido. As microfibras minúsculas são menos visíveis do que uma garrafa de plástico, mas precisamos estabelecer uma conexão maior entre o mar e o que fazemos em nossa vida cotidiana, incluindo as roupas que vestimos e colocamos para lavar. Tudo se torna parte de uma sopa de plástico oceânico.”



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais