Notícias

A sobremesa que emagrece: a gelatina é o doce certo para dieta!

Compartilhe:     |  4 de abril de 2021

Saborosa, com poucas calorias e variados sabores, a gelatina mata a fome, fortalece a pele e deixa suas unhas e cabelos mais bonitos e brilhosos!

Além de ser uma ótima opção de sobremesa, a gelatina pode dar uma forcinha para quem deseja emagrecer sem perder tempo. Rica em proteínas, essa delícia se transforma em uma espécie de gel quando consumida junto com água, forrando o estômago. Com isso, é possível espantar a fome para bem longe e deixar o corpo saciado por muito mais tempo. Apesar de ser docinha, a gelatina tem uma grande qualidade: sua versão diet possui pouquíssimas calorias, podendo ser devorada sem culpa alguma. As variedades de cores e sabores que esse alimento possui também garantem mais diversidade à dieta, podendo ser utilizado como ingrediente de musses, tortas, espumas e shakes. E você já sabe: quanto maiores as opções de pratos saborosos no dia a dia, mais fácil e gostoso fica seguir um programa de emagrecimento.

Gelatina vermelha

Foto: Shutterstock.com

Mais firmeza

Junto com uma única taça de gelatina, você ingere uma boa quantidade de hidroxiprolina, aminoácido que compõe o colágeno. Para quem não sabe, o colágeno é uma proteína superespecial que atua na formação dos ossos e tecidos do corpo. “Com a produção de colágeno, a pele adquire mais firmeza e consegue se manter hidratada, correndo menos risco de ficar marcada por pequenas rugas. Paralelo a isso, a proteína engrossa unhas e cabelos fragilizados, deixando-os mais fortes”, explica Paula Cabral, nutróloga e dermatologista especializada em Medicina Estética da Clínica Hagla, de Campos (RJ). Entretanto, a hidroxiprolina só é plenamente absorvida quando o estômago está vazio. Sendo assim, não é recomendado ingerir nada até uma hora após a ingestão da gelatina, já que essa proteína é muito sensível e necessita de pouco ácido gástrico para sua absorção. Uma caixa de gelatina costuma conter 2 gramas de hidroxiprolina. Entretanto, especialistas indicam o consumo de 8 gramas diárias dessa substância para mulheres com mais de 30 anos. Mas para que você não consuma uma quantidade exagerada de gelatina e, com isso, enjoe da dieta, uma boa saída é investir nos suplementos de colágeno.

Dica poderosa

Outra dica é potencializar o efeito firmador do colágeno praticando regularmente uma atividade física. Isso porque o colágeno também atua na formação de músculos e massa magra, detonando a flacidez. Só que para o resultado ser satisfatório, não adianta torcer o nariz: tem que se exercitar!

Reeducação alimentar, já!

Se você arrepia só de pensar em passar o dia inteiro comendo gelatina, pode ficar tranquila! Esse alimento entra em cena como um integrante de uma alimentação equilibrada. Quem já seguiu um programa de emagrecimento restritivo sabe o quão difícil é manter-se na linha, evitando consumir no dia a dia aqueles pratos com os quais estamos habituados, como arroz, feijão, carne… Para completar, esse tipo de dieta costuma ser campeã no quesito efeito sanfona: após semanas passando fome, as chances de você exagerar e engordar tudo de novo são maiores. Emagrecer é bom, mas ter saúde é melhor ainda, certo?

 

Gelatina verde em pratinhos

Foto: Shutterstock.com

Você sabe o que é ágar-ágar?

Feito a partir de algas marinhas, o ágar-ágar ganha a consistência de gelatina quando preparado com água e sucos. Porém, esse alimento tem algumas vantagens em relação às gelatinas vendidas em supermercados: ele proporciona muito mais saciedade e ajuda na digestão. Com isso, combate a prisão de ventre e acelera o processo de emagrecimento. O ágar-ágar também diminui os níveis de colesterol, possui praticamente nenhuma caloria e é rico em minerais. Seu único ponto fraco, porém, é o sabor amarguinho. Por esse motivo, o ideal é prepará-lo com o suco de frutas não ácidas, como pêssego e manga. Ele pode ser encontrado em lojas de produtos naturais, vendido em pacotes de 20g (que rende aproximadamente 10 porções).



Fonte: Redação Alto Astral



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Primeiros socorros: o que fazer quando o seu pet precisa de ajuda

Leia Mais