Notícias

Abacateiro: árvore medicinal com valor nutricional onde tudo se aproveita

Compartilhe:     |  13 de outubro de 2020

abacateiro, gênero Persea da família Lauraceae, é uma árvore originária da América Central (Guatemala, Antilhas e México), historicamente introduzida no Brasil desde o século XVI, com maior aparição a partir do início do século XIX.

Hoje está presente em todo país, especialmente a espécie Persea americana, desde a área rural até os quintais das casas, sendo o Brasil um dos maiores produtores do mundo, e São Paulo, o estado com maior safra anual.

Características

As flores são hermafroditas (possuem os dois sexos) e a polinização ocorre principalmente por insetos e abelhas.

Os frutos são de espécies variadas, existindo cerca de mais de 500 variedades de abacate no mundo, podendo mudar de tamanho, formato e cor.

As variedades mais cultivadas no Brasil são os abacateiros ‘Geada’ (antilhano), ‘Fortuna’ (antilhano) e ‘Quintal’ (antilhano-guatemalense).

A casca do fruto pode ser fina, grossa, lisa ou enrugada, nas cores verdes ou roxas ao amadurecer, dependendo da variedade.

A árvore toda é medicinal

O abacateiro produz um óleo carreador muito importante, e pesquisas já comprovaram seu alto poder hidratante.

Já as folhas do abacateiro podem ser usadas para fazer chá, sendo apontadas com grande poder anti-inflamatório e antioxidante.

As sementes também são apontadas como grande poder medicinal, e o próprio fruto do abacate possui alto teor vitamínico.

Os principais componentes presentes no abacateiro são nutrientes, vitaminas e óleos voláteis.

Certo é que, na árvore do abacateiro, desde as folhas, as cascas, as sementes, o fruto e até o troncotudo tem aplicação curativa, considerando as suas tantas propriedades medicinais.

Os usos fitoterápicos são incrivelmente variados, dependendo, inclusive da parte da árvore que é utilizada.

São apontados benefícios desde o controle do colesterol, passando por anti-inflamatório, diurético, controle de aftas e amigdalites, à diarreia, nevralgias (dores em geral), distúrbios de digestão e hepáticos, além de uso cosmético como hidrante da pele e cabelos.

Mas tem isso e muito mais.

Já foi relatado seu uso em casos de prisão de ventre, flatulências, perturbações digestivas, gota, reumatismo, afecções dos rins, da pele e do fígado.

Atletas costumam consumir abacate em substituição à outras fontes de gorduras menos saudáveis, como manteiga e maionese.

Abacateiro como planta medicinal

No “Estudo de plantas medicinais utilizadas popularmente no tratamento da obesidade em  Araranguá”, feito pela bióloga Maria Eduarda Moreira da Silva, ela explica que vários compostos presentes no abacateiro

“já foram isolados, estudados e comprovados seus efeitos biológicos no organismo (hepatoprotetor, fortalecimento dos vasos capilares, anti-inflamatória, inibição da absorção do colesterol) como por exemplo o ácido caféico, a cinaria, riboflavina e algumas vitaminas do complexo B”.

O uso popular, desde os tempos dos astecas, já demonstrava os poderes do abacateiro e o seu uso como planta medicinal.

De acordo com a sabedoria popular e dependendo da parte da árvore utilizada, o abacateiro pode servir como

Mas a árvore abacateiro é altamente complexa e cada parte dela, sejam folhas, sementes, casca, óleo, precisa de um tópico específico dedicado a cada um deles.

Nesse artigo a abordagem fica por conta do rei do abacateiro, o fruto, o precioso abacate e seus benefícios cientificamente comprovados.

Componentes químicos do fruto do abacate

Especificamente quanto ao fruto do abacate, pode-se dizer que pesquisas apontam ser rico em nutrientes, vitaminas, sais minerais, antioxidantes e principalmente gordura boa.

As cascas do fruto também são ricas em fitonutrientes, por isso recomenda-se a sua ingestão, podendo ser batida no liquidificador junto com a polpa e consumida em forma de suco.

O abacate tem mais fibras do que todas as outras frutas e existem evidências científicas que demonstram que a adição de abacate regularmente na dieta reduz o colesterol ruim e os triglicerídeos, porque é rico em gordura moninsaturada.

É a fruta que possui maior quantidade de proteína (1 a 3% de acordo com informações do Instituto Agronômico de Campinas – IAC) e é rico em vitaminas C e E, ácido fólico, e potássio, ou seja, nutritivo e vitamínico.

Contém também boa quantidade de ferro, magnésio e vitamina B6, além de beta-sistotinol (que pode ajudar a baixar o colesterol do sangue) e glutationa, um excelente antioxidante.

O fruto é rico em calorias, vitaminas, sais minerais e óleo, carnoso, com uma semente grande na parte de dentro (o caroço do abacate) e polpa verde-clara.

A polpa contém gordura monoinsaturada e gordura ômega-3. Possui alto teor de potássio, cerca de 60% a mais que a banana.

Valores nutricionais

100 gramas de abacate contêm:

Calorias
176,00

Água
73,35g

Carboidratos
6,14g

Proteínas
1,92g

Lipídios
15,10g

Fibras
2,00g

Cinzas
0,80g

Vitamina A
20RE

Vitamina B1
70mcg

Vitamina B2
146,67mcg

Niacina
1,60mg

Vitamina C
10,08mg

Já os minerais presentes no abacate, em 100 gramas, são:

Fósforo

46,50 mg
Ferro

0,74 mg
Cálcio

18,76 mg

Como plantar abacateiro

Com tantas propriedades, que tal ter seu próprio abacateiro em casa?

O modo mais simples de plantar uma árvore de abacate é a partir da semente.

É possível adquirir a muda já germinada, mas já que pode e deve aproveitar o caroço da fruta, ao invés de ir para o lixo, produza sua própria muda.

Quer aprender? Siga o passo a passo, é muito simples!

É possível enterrar a semente de abacate sem deixá-la na água e aguardar germinar na terra. Mas atente-se para a posição do caroço, a parte mais arredondada deve ficar para cima e não totalmente coberta de terra. Molhe bastante, se der sorte vai germinar.



Fonte: GreenMe - Juliane Isler



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais