A versatilidade do coentro

06-05-2006
{mosimage}O coentro é utilizado há mais de três mil anos. Na China acreditava-se que o segredo da imortalidade estava guardado em suas sementes, e também era colocado no túmulo dos nobres egípcios a fim de ajudar a alma a encontrar seu caminho eterno.

Os gregos, a partir de Hipócrates, o utilizavam para diversos fins medicinais. Em Roma, a carne era conservada utilizando-se um vinagre temperado com suas sementes.

{mosimage}Os árabes o consideravam um afrodisíaco poderoso, jurando que as sementes do coentro eram capazes de acender paixões violentas. O coentro é planta anual. Depois da primeira semeadura renasce espontaneamente.

Suas folhas lembram muito as da salsa, porém são mais arredondadas e o aroma é inconfundível. As flores são brancas ou rosadas. Na Babilônia, durante as festas, era usado na preparação de arranjos florais junto com rosinhas. Pode ser plantado juntamente com o anis, ajudando na germinação.

Considerado com alto poder digestivo, faz sucesso na culinária do mundo inteiro. É um dos principais ingredientes do curry indiano. Na França é usado juntamente com vegetais brancos como couve-flor e aipo. Na Alemanha usa-se em pães e bolos do mesmo modo que o cominho.
 
No Brasil é tempero indispensável, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, entrando como ingrediente no preparo de quase todos os pratos de peixes.

Na medicina caseira suas sementes são utilizadas para a cura de diversos males. Muitas pessoas mastigam as sementes após uma refeição pesada. A infusão é boa para o estômago.
 
O chá combate febres e dores em geral, além de picadas de cobra. Transformadas em cataplasma, curam as dores de cabeça. Moídas e misturadas à coalhada, acabam com a disenteria.

Os caboclos aconselham deixar as sementes de coentro de molho em água, e depois beber o líquido, para acabar com o impulso sexual. Em cosmética e perfumaria, o óleo essencial é utilizado em vários artigos.

{mosimage}De cor amarelo-claro, entra na composição de cremes para o rosto e corpo e em vários tipos de sachês.

No imaginário popular, deve ser evitado o seu uso por mulheres grávidas, pois o bebê nascerá com mau gênio. No entanto, para se obter uma infalível poção de amor, deve se aquecer um bom vinho tinto com um punhado de sementes e dar ao amado para beber.

Fonte: Espaço Ecológico
06.05.2006