Geografia Ambiental

América do Sul – Paraguai

Compartilhe:     |  1 de outubro de 2017
Bandeira do ParaguaiO Paraguai, oficialmente a República do Paraguai (em espanhol República del Paraguay e em guarani Tetã Paraguái), é um país do centro da América do Sul, limitado a norte e oeste pela Bolívia, a norte e leste pelo Brasil e a sul e oeste pela Argentina. Sua capital é a cidade de Assunção.

O Paraguai é um dos dois países da América do Sul que não possuem uma saída para o mar, o segundo sendo a Bolívia. O nome do país é derivado da palavra guarani pararaguái que significa “de um grande rio”. O “grande rio” é o rio Paraná, que produz a maior quantidade de energia hidrelétrica no mundo.

Geografia

Assunção, capital do ParaguaiA paisagem paraguaia consiste de planícies cobertas de erva e colinas arborizadas na região leste do rio Paraguai, que divide o país em duas metades de terra. Na região a oeste do rio, mais precisamente no Grande Chaco, destacam-se as planícies baixas, pantanosas à beira do rio e friccionadas secas florestais e espinhosas no extremo oeste, na fronteira com a Bolívia.

O ponto mais alto é Cerro Pero (Cerro Três Kandu), com 842 metros, localizado no Departamento do Guairá. A fronteira do sudeste é formada pelo rio Paraná, no qual se encontra a impressionante barragem de Itaipu que compartilha seu potencial energético com o Brasil. Esta é atualmente a maior usina hidrelétrica do mundo, gerando a eletricidade consumida em quase todo o Paraguai. O clima local se estende de subtropical a temperado, com a precipitação substancial nas partes do leste, fazendo-se semi-árido no oeste longínquo.

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/bb/Asunci%C3%B3n_at_night.jpg

Regiões geográficas

Ciudad del EsteO rio Paraguai divide o país homônimo em duas regiões geográficas: a Região Oriental, na margem esquerda e a Região Ocidental ou Chaco, na margem direita.

Região Oriental

O relevo da Região Oriental é uma continuação do Planalto Brasileiro, que aí alcança uma altitude média de cerca de 500 metros. Ao sul, a leste e a oeste do planalto, destaca a presença de cadeias de morros ondulados. O terreno torna-se mais baixo e mais plano à medida que se aproxima, a oeste do rio Paraguai, ao sul e a leste do rio Paraná. A região baixa e pantanosa que se estende ao longo do rio Paraguai apresenta uma relativa densidade populacional. No sul do Paraguai, nas proximidades do rio Paraná, as altitudes médias baixam de 60 até 90 metros. Pântanos e florestas verdejantes cobrem essa área.

Região Ocidental

A vasta e plana região do Chaco estende da margem direita do rio Paraguai. Essa área, de terras e planícies, coberta por uma vegetação diversificada, corresponde a dois terços do país. Faz parte da região denominada Gran Chaco, formada ainda pelo sudoeste do Brasil, o leste da Bolívia e o norte da Argentina. Na região do Chaco, o terreno eleva-se gradualmente a partir do rio Paraguai, alcançando aproximadamente 300 metros na fronteira ocidental do país. Cerca de 40% dos paraguaios vivem no Chaco. Aí existem sérias dificuldades que deixam os automóveis, os caminhões e os ônibus atolarem nas estradas de terra em dias de chuva e o solo não é tão rico como o solo do Paraguai oriental.

Relevo

O território paraguaio, por completo, é parte integrante da Bacia Platina, composta pelos rios Paraguai e Paraná. Seu relevo é formado basicamente, em sua maioria, por planícies situadas na Região Ocidental, e apenas na Região Oriental aparecem planaltos pouco elevados, que, fora do Brasil, são estruturalmente ligados ao Planalto Brasileiro.

O rio Paraguai, que cruza o país ao meio na direção norte-sul, divide o território em duas grandes regiões praticamente distintas: a Região Oriental, onde mora a maioria dos habitantes do país; e a Região Ocidental, também conhecida como Chaco, uma planície baixa (altitude máxima de 100 m) coberta por pântanos e densas florestas de arbustos, praticamente desabitada e que se eleva imperceptivelmente a partir da margem ocidental do rio Paraguai até o Altiplano Boliviano. A grande planície, que ocupa também o sudeste da Bolívia e o nordeste da Argentina, constitui dois terços do território do Paraguai. Na margem oriental do rio Paraguai, o terreno eleva-se com poucos declives e é constituído por um relevo ondulado com colinas, florestas tropicais e pastagens férteis, onde as principais elevações são as serras de Amambay e Mbacarayú, que alcançam 700m de altitude acima do nível do mar. Na região sul-oriental, o terreno torna a descer, dirigindo-se ao vale do rio Paraná, que em alguns pontos banha os dois lados do
Planalto do Paraná, o que favoreceu a instalação construtiva de represas e usinas hidrelétricas.

Clima

Ponte da Amizade Brasil-ParaguaiO clima do Paraguai é, em geral, subtropical, menos em alguns trechos da região do Chaco, com temperatura parecida à do Planalto Central Brasileiro, onde é quente e úmido. O país é cortado pelo trópico de Capricórnio ao centro, próximo a Concepción. A posição central e plana do Paraguai, praticamente em barreiras naturais, favorece os rápidos efeitos dos ventos quentes originários do Equador, e dos ventos frios que vêm da Argentina, causando variações térmicas acentuadas.

No verão, as temperaturas variam entre 26ºC e 33ºC, e no inverno entre 15ºC e 26ºC. A temperatura média é de 23ºC, enquanto que a máxima absoluta de 41ºC e a mínima é de 1ºC. A diferença entre a temperatura média do verão e a do inverno é de 6ºC. Uma das características do clima paraguaio é a alta temperatura sentida no verão, especialmente na região dos campos e do Chaco, e o frio intenso que ocorre no período do inverno.

São muito freqüentes e quase sempre abundantes as chuvas no território paraguaio. O tamanho do país tem influência na quantidade de chuvas, acentuando a estação seca especialmente na fronteira com Bolívia e Argentina. Pode-se considerar bem elevado o índice de chuvas no Planalto do Paraná, com 2.000 mm anuais. Na capital, Assunção cai para 1.300 mm e no Chaco para 800 mm. Os meses de concentração das chuvas são dezembro, janeiro e fevereiro, caindo durante os meses de inverno.

Hidrografia

Rio ParaguaiO Paraguai é um país interior e mediterrâneo, ou seja, não possui nenhuma saída para o mar, a não ser o rio Paraná e o rio Paraguai. A hidrografia do Paraguai é rica. Os três rios principais são:

O rio Paraná forma a fronteira sudeste do país e constitui a única saída do Paraguai para o mar. Através dele chega-se ao rio da Prata, que por sua vez estabelece contato com o oceano Atlântico. Cachoeiras e corredeiras são encontradas por quase 160 quilômetros, no trecho do rio Paraná que separa o Paraguai do Brasil.

O rio Paraguai liga Assunção, o principal porto do país, ao rio Paraná. É o rio que dá o nome ao país, por isso divide-o em duas partes: oriental e ocidental.

O rio Pilcomayo corre através do Chaco e traça toda a fronteira oeste com a Argentina. Os dois maiores lagos são o lago Ypoa e o lago Ypacaraí.

Vegetação

O território do Paraguai tem três regiões com vegetação característica em função da diferença na precipitação pluviométrica. Há florestas, o Chaco e campos. As florestas situam-se na Região Oriental, principalmente nos vales próximos aos grandes rios, onde há madeiras de lei, como o urunday, o cedro, o curupay e o lapacho rosado, entre outras. Os campos situam-se na parte central do país, onde há grandes fazendas de criação de gado, que se beneficiam da grande variedade de pastagens naturais, entre as quais muitas gramíneas. Nessa região de campos há também florestas diversas acompanhando as margens dos rios.

Já a região do Chaco é formada por gramíneas e florestas próximas ao rio Paraguai. O quebracho é uma árvore característica da região, de onde se extrai o tanino, de grande valor comercial e vendido especialmente para os mercados estadunidense e britânico. Na regiões mais secas do Chaco há arbustos e cactos gigantes. Em função do clima, tipo de solo e vegetação, o Chaco é considerado uma região inóspita e ocupa cerca de 60% do território do país.

Os campos, que ocupam cerca de 20% da superfície do Paraguai, foram ocupados em primeiro lugar. No entanto, nas últimas décadas as florestas também passaram a ser ocupadas pelos fazendeiros, que implantaram ali extensas plantações de soja, que é exportada, em sua maior parte, através do porto brasileiro de Paranaguá. Milhares de colonos brasileiros se estabeleceram no Paraguai, especialmente nas fronteiras, como donos de fazendas ou trabalhadores rurais.

Fauna

A fauna do país é semelhante à da região Centro-Oeste do Brasil. Entre os animais nativos do Paraguai incluem-se a onça, muito encontrada no Chaco, queixadas, javalis, cervos, tatus e tamanduás. Também existem muitas espécies de pássaros e aves tropicais, como o íbis, a garça, o tucano, pombos, perdizes, emas, seriemas e papagaios. É grande a diversidade de insetos.

Demografia

A maioria da população do Paraguai é composta de mestiços, fruto de casamento de descendentes de colonizadores hispânicos com nativos. Há também uma população branca de origem predominantemente espanhola, seguida pelas de origem alemã e italiana. Até hoje, a maior parte da população não fala o castelhano, preservando o guarani.
Étnico, cultural e socialmente organizado, o Paraguai possui uma das populações mais homogêneas da América Latina. Pouco vestígio deixou a cultura guarani original exceto os conhecimentos das plantas medicinais e a língua, que é entendida por 90% da população do país. Aproximadamente 75% de todos os paraguaios falam a língua castelhana. O guarani e o castelhano são idiomas oficiais. Alemães, italianos, japoneses, coreanos, chineses, sírios, árabes, brasileiros e argentinos estão entre as nacionalidades que se instalaram em Paraguai, mantendo em bom grau suas línguas próprias.

A população do Paraguai é distribuída desigualmente em todo o país. A grande maioria da população vive na região oriental, mais dentro de 160 km de Assunção, a capital e a cidade mais populosa. O Chaco ou Região Ocidental, que abriga aproximadamente 60% do território, abriga menos de 2% da população. O país é predominantemente católico, com mennonitas e outras minorias protestantes.

 



Fonte: Wikipédia



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais