Notícias

Árvores são devastadas em área de manancial em São Paulo

Compartilhe:     |  25 de abril de 2015

Às margens da represa Billings, uma área que deveria servir de proteção e recuperação de mananciais foi alvo de uma invasão na semana passada. Denúncias dos moradores calculam que 50 árvores, de todos os tamanhos, foram derrubadas só no primeiro dia.

O terreno é próximo ao parque dos Búfalos, no Jardim Apurá, região da Cidade Ademar, extremo sul da capital paulista. O parque tem chamado atenção desde o ano passado quando a prefeitura anunciou que ali seriam construídas residências populares, do programa “Minha Casa, Minha Vida”.

O projeto causou polêmica, moradores que usam a área para realizar atividades esportivas e ter contato com a natureza, assim como ambientalistas em geral, fizeram diversos protestos contrários à construção.


Imagem: Google Maps

A mobilização online também foi forte e isso motivou o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), em fevereiro, a conceder liminar obrigando a manutenção da área do Parque dos Búfalos, sem construções. O TJ reconheceu os impactos ambientais que o projeto causaria. Entretanto, poucos dias depois, o prefeito Fernando Haddad (PT) assinou um decreto nº 55.955 que libera a construção de escolas, quadras esportivas, creches e postos de saúde em áreas protegidas, como unidades de proteção integral, parques e Áreas de Preservação Permanente – o que causou descontentamento aos ambientalistas.

A ocupação, no entanto, partiu de cerca de cem pessoas que montaram barracos de lona no local, segundo reportagem da Folha de S. Paulo. Elas não ficaram por muito tempo e agora apenas dois homens “vigiam” o terreno invadido e demarcam lotes.

“Embaúba com 15 metros no chão, lembram aquela com o Tucano-Toco? Morta. Ninho do Pica- pau de cabeça amarela? O tronco virou estaca pra fazer demarcação”, denuncia o grupo que comanda a página Parque dos Búfalos Jd. Apurá.

Os articuladores da pressão online contra as construções usou a página para postar imagens da destruição ocorrida na área, confira abaixo:


Foto: Parque dos Búfalos Jd. Apurá


Foto: Parque dos Búfalos Jd. Apurá


Foto: Parque dos Búfalos Jd. Apurá


Foto: Parque dos Búfalos Jd. Apurá


Foto: Parque dos Búfalos Jd. Apurá


Foto: Parque dos Búfalos Jd. Apurá

A página também chama atenção para a falta de orientação e desconhecimento ambiental da população. “Árvores que demoraram anos para se desenvolver, 20, 30 anos filtrando a água, nos dando oxigênio nos protegendo; todas cortadas e queimadas. A reclamação dos moradores é com o descaso, ausência de um representante, um educador, alguém que instrua as pessoas a defender o meio ambiente em qualquer crise, ao invés de destruí-lo”, afirma o grupo que comanda a página Parque dos Búfalos Jd. Apurá.

A qualidade da água da represa Billings na altura da Cidade Ademar é considera ruim, de acordo com relatório da Fundação SOS Mata Atlântica, divulgado neste ano, que avaliou 111 rios do país. “Criada na década de 70, a Lei dos Mananciais (Lei 1172/76), rigorosa e bastante restritiva, foi sistematicamente ignorada pelos municípios, o que resultou na ocupação desordenada de regiões de mananciais que deveriam ser preservadas para a garantia da prestação de serviços ambientais essenciais à população, como o abastecimento de água. Nos dias de hoje, e apesar da crise da água, a história se repete”, afirma o ambientalista Mário Mantovani, diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica.

Desde o ano passado, tramita um abaixo-assinado online “Queremos o Parque dos Búfalos! Sem prédios!”, confira aqui.



Fonte: Redação CicloVivo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais