Notícias

Astrônomos encontram vulcões ativos em Vênus pela primeira vez

Compartilhe:     |  24 de julho de 2020

Cientistas identificaram, pela primeira vez na história, estruturas vulcânicas ativas na superfície de Vênus. Até então, imaginava-se que, entre os planetas do Sistema Solar, somente a Terra possuía vulcões. Com a nova informação, astrônomos poderão desvendar mais sobre o passado e o presente do nosso vizinho cósmico, além de entender melhor porque a vida se desenvolveu aqui e não lá.

Vulcões são estruturas raras no Sistema Solar, presentes na Terra e em algumas luas, como Io e Encélado – embora muitos planetas já tenham registrado vulcanismo no passado. Em janeiro, no entanto, um estudo encontrou o que parecia ser lava na superfície de Vênus, originada de uma erupção aparentemente recente. Essas evidências fortaleceram as teorias de que o planeta poderia ter vulcões ativos, mas ainda não havia sido considerada prova definitiva. Agora, no entanto, um novo estudo parece ter identificado os vulcões com precisão.

Uma equipe de astrônomos do Instituto de Tecnologia de Zurique, na Suíça, criou simulações de como poderiam ter sido formadas possíveis estruturas vulcânicas em Vênus. As simulações se baseiam em dados sobre o interior do planeta captados pela Venus Express, missão da Agência Espacial Europeia (ESA) que orbitou nosso vizinho de 2006 a 2014. Com essa simulação, os pesquisadores conseguiram criar um modelo extremamente detalhado de como vulcões se pareceriam se estivessem ativos em Vênus atualmente.

A segunda etapa do estudo foi analisar as imagens feitas pela sonda Magellan (Magalhães), da Nasa, que orbitou Vênus por cinco anos na década de 1990. Nas imagens, a equipe identificou 37 anéis que batiam com as características que um vulcão ativo teria segundo a simulação feitas por eles – sugerindo que sim, Vênus possui atividade vulcânica até hoje. Até então, não se sabia exatamente o que eram esses anéis capturados pela sonda, e uma das hipóteses era de que eles eram vulcões há muito tempo inativos. O novo estudo, porém, afirma que a aparência dos anéis bate com a de estruturas ativas. Os resultados foram publicados na revista Nature.

Segundo a equipe, os vulcões encontrados são bem maiores que os terrestres. O diâmetro médio das estruturas encontradas é de 300 km, enquanto o maior vulcão da Terra, o Mauna Loa, tem “só” 120 km de diâmetro. Além disso, os pesquisadores notaram que os 37 vulcões encontrados estão em uma mesma região, apelidada pelos cientistas de “Anel de Fogo”. Missões futuras ao planeta podem investigar mais de perto essa área para revelar ainda mais sobre a geologia e a formação dessas estruturas.

A confirmação de que Vênus é o único outro planeta no Sistema Solar que tem vulcões ativos além da Terra é somente mais uma semelhança entre os vizinhos. Vênus e a Terra têm massas e tamanhos semelhantes, e são feitos de uma combinação similar de rochas e gases. É possível que o planeta também já tenha sido habitável no passado por ter uma atmosfera rica em água. Mas o planeta é muito próximo ao Sol e não tem um campo magnético como temos aqui, responsável por proteger a Terra dos raios solares mais graves. Esse é um dos motivos pelo qual o planeta já não é mais habitável – além de uma atmosfera cheia de nuvens tóxicas de ácido sulfúrico e uma temperatura que pode chegar a 450º C, entre outras características bastante inóspitas –, como você pode ler neste texto.



Fonte: Superinteressante



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais