Notícias

Aumento do abandono de animais é alvo de campanha em Fortaleza

Compartilhe:     |  18 de dezembro de 2020

Fortaleza – CE. O cenário de pandemia do novo coronavírus agravou, no Brasil, o quadro de abandono de animais nas ruas, praças e áreas verdes. Um dos principais motivos foi a veiculação, em alguns sites, blogs e redes sociais, de informações falsas de que os animais eram agentes transmissores da Covid-19. No entanto, de acordo com a World Small Animal Veterinary Association (WSAVA), não existem evidências que comprovem que animais possam disseminar o vírus para seres humanos ou mesmo entre si.

Além deste cenário que está acometendo 2020, existem outras motivações para o abandono: falta de compatibilidade com a forma de vida dos tutores, o animal cresceu demais, late demais, arranha móveis, doenças… Falta de noção de que eles não são brinquedos, não são descartáveis e podem ser educados… Mas este processo exige paciência, amor e responsabilidade, se não forem considerados estes aspectos, a adoção de pets não é uma boa ideia.

De acordo com o Abrigo Nova Vida e a ONG São Lázaro, ambas de Fortaleza, é possível dizer que o número de abandonos, em 2020, inclusive, se equilibrou ao de adoções. “Em um sábado, consegui fazer com que cinco filhotes e um adulto fossem adotados. Na segunda-feira seguinte, foram abandonados outros cinco na porta do abrigo”, relata Erivania Ferreira, fundadora do Abrigo Nova Vida.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, estima-se que cerca de 30 milhões de animais estejam em situação de abandono e, com a pandemia, esse número tende a subir. O biólogo, ambientalista e vereador eleito de Fortaleza, Gabriel Aguiar ressalta que o abandono não impacta apenas na vida dos pets que foram descartados, mas também dos animais silvestres.

“O abandono é um problema muito sério para a biodiversidade e para esses animais. Hoje, a introdução de espécies exóticas, como gatos, cachorros e ratos, é a segunda maior causa de perda de biodiversidade no planeta Terra. O centro desta problemática é o abandono irresponsável destes animais. Cada gato mata, em média, 4,6 animais silvestres por mês, então, a cada 100 gatos abandonados, são 460 outros animais que perdem a sua vida por mês”, explica.

Ainda segundo o biólogo, estes animais também são vetores de diversas doenças para a fauna silvestre, como cinomose, FIV, FELV, toxoplasmose e várias parasitoses. É necessário pontuar, no entanto, que os animais domésticos, como gatos, cachorros e ratos, não podem ser considerados grandes vilões da vida silvestre. Os culpados por esse abandono, degradação e contaminação são os seres humanos. Os animais e a natureza, como sempre, são prejudicados por ações irresponsáveis.

O Dezembro Verde e o papel dos abrigos

Uma iniciativa que teve início no Ceará, em 2015, tem se esforçado para mudar esta realidade: o Dezembro Verde. A campanha tem como objetivo principal a busca pela conscientização sobre o abandono e maus-tratos de animais domésticos.

Dentro desta realidade, os abrigos agem para mudar o cenário e a vida destes animais. São inúmeras ações que buscam acolher, tratar, alimentar, dar carinho e achar uma família responsável. Entretanto, instituições como o Abrigo Nova Vida e a ONG São Lázaro não podem recolher todos os animais que encontram-se em situação de abandono, mas com um trabalho árduo e diário, proporcionam finais felizes para alguns deles.

“Há 27 anos nós lutamos pela conscientização contra o abandono de animais aqui na cidade de Fortaleza. Pedimos a todos que não abandonem seus animais quando eles envelhecerem ou ficarem doentes. Animais não são coisas. São vidas, que amam e sofrem com o abandono e ausência dos tutores”, pede Bárbara Dantas, presidente da São Lázaro.

adoção responsável, e não a compra de pets, também é uma das práticas incentivadas durante o Dezembro Verde. “Seria muito bom se a pessoa que tem seu pet o tratasse como membro da família. Que cuidasse dele até o seu fim de vida, não o descartasse como objeto velho. Que essa pandemia sirva de ensino de que o animal é também filho de Deus. Que o Dezembro Verde abra o coração de todo ser humano”, destaca Erivania Ferreira, do Abrigo Nova Vida.

Como denunciar

O abandono de animais é crime, previsto pela Lei de Crimes Ambientais (Nº 9.605/98), e pode gerar até prisão para quem o praticar. “Com a entrada em vigor da Lei Sansão, que aumentou a punição para estes crimes cometidos contra cães e gatos, pode resultar em pena de 2 a 5 anos de reclusão, pagamento de multa e a perda da guarda do animal”, ressalta a advogada Amanda Duarte, que faz parte do movimento Advogados(as) Animalistas do Ceará, também envolvido na campanha do Dezembro Verde.

É possível denunciar abandono e maus-tratos por meio de órgãos oficiais, como Polícia, Ministério Público e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Após feita a comunicação, a situação será averiguada e, se cabível, será aplicada uma punição à altura do crime. Dentro deste enquadramento também está incluso o envenenamento de animais em situação de rua.

Além da possibilidade de uma pena, existe um fator que poucos se atentam: o uso de dinheiro público para contornar a situação precária em que esses animais se encontram. “A pessoa que abandona está agindo na contramão da gestão ambiental pública, causando um problema que vai necessitar de verba pública, dinheiro de impostos dos contribuintes, que vai ser realocado para um problema que uma pessoa criou de forma egoísta e irresponsável”, enfatiza o biólogo vereador Gabriel Aguiar.

Como ajudar

Se não puder acolher nenhum destes animais, uma alternativa viável para contribuir com a melhora de vida é a doação. Existem inúmeros abrigos que aceitam contribuições externas, seja de ração, remédios, consultas veterinárias ou trabalho voluntário. Muitas vezes, os abrigos não possuem um volume considerável de pessoas para trabalhos diários como banhos, limpeza e carinho. Então ajude da forma que puder e lembre-se: não abandone os seus pets, pois eles sempre estarão do seu lado, em qualquer situação.

Serviço

ONG São Lázaro
Contato: (85) 9 9226-4711
Instagram: @abrigosaolazaro

Abrigo Nova Vida
Instagram: @abrigonovavidaf

Advogado(as) Animalistas do Ceará
Instagram: @advanimalistasdoceara



Fonte: Eco Nordeste - por ISABELLI FERNANDES



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Receitas de Biscoitos Saudáveis para Cachorros

Leia Mais