Notícias

Beber demais é tema de vídeo que alerta os jovens sobre o câncer

Compartilhe:     |  21 de setembro de 2014

Cerca de 90 a 95% dos casos de câncer estão associados aos hábitos diários e ao estilo de vida dos indivíduos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer é a terceira maior causa de óbito no mundo. No Brasil, ele é responsável por mais de 15% das mortes. Entre os fatores de risco a OMS destaca o consumo de bebidas alcoólicas, a exposição ao sol sem uso de proteção, hábitos alimentares inadequados, tabagismo, relações sexuais sem proteção e o sedentarismo. Todas essas são práticas que normalmente se entra em contato na juventude.

O cenário atual é preocupante. Dados de um inquérito nacional realizado com a população adulta brasileira demonstraram que a frequência de consumo abusivo de bebidas alcoólicas nos últimos 30 dias, ou seja, consumo de cinco ou mais doses (homem) ou quatro ou mais doses (mulher) em uma única ocasião, foi de aproximadamente 16%. Além disso, este consumo abusivo foi mais frequente entre os indivíduos mais jovens (18 a 34 anos), o que caracteriza uma exposição excessiva e precoce a esse fator de risco.

Com o objetivo de conscientizar os jovens sobre as dificuldades de se resistir aos atrativos do consumo excessivo de álcool, principalmente pela sedução da publicidade, o Programa de Oncobiologia da UFRJ, em parceria com a Fundação do Câncer, produziu o vídeo “Do álcool e seus demônios”.

— O objetivo é atingir o público jovem que pensa que o câncer é doença que só dá em velho e essa não é a realidade. As práticas de risco são adquiridas normalmente nesta fase da vida e por isso a conscientização precisa começar logo — diz a especialista em divulgação científica Claudia Jurberg, responsável pelo trabalho por trás da produção do vídeo.

A relação entre o álcool e o aparecimento de tumores malignos na cavidade oral, faringe, laringe, esôfago e fígado independe do tipo de bebida que se ingira. O princípio ativo responsável por provocar dependência e o desenvolvimento de câncer é o etanol, presente em todas as bebidas alcóolicas. A substância atinge rapidamente a corrente sanguínea e se espalha pelo corpo, diminuindo os reflexos, gerando euforia e problemas de relacionamento.

— Ao ser metabolizado no organismo, o etanol gera um composto com alto potencial de danificar o DNA celular. Além disso, o álcool age como um solvente, ou seja, favorece a penetração de substâncias carcinogênicas para dentro das nossas células — afirma Maria Eduarda Melo, nutricionista do Instituto Nacional do Câncer (INCA)

Isso acontece quando a ingestão de álcool é combinada com o tabagismo: o fumo induz danos específicos na célula que são menos eficientemente reparados quando associado com o álcool. Desta forma, beber e fumar aumenta ainda mais o risco de câncer de boca, faringe e laringe, por exemplo. Além disso, a especialista reforça que quanto maior a dose de álcool ingerida e o tempo de exposição, maior será o risco de desenvolver os tipos de cânceres citados.

O INCA afirma que, quando se pensa na prevenção do câncer, não há níveis seguros de ingestão de bebidas alcoólicas. A recomendação para aqueles que decidirem por consumir álcool é se limitar a beber até dois drinques, caso sejam homens (apenas um para o caso das mulheres). Grávidas, crianças e adolescentes não devem ingerir a substância.

Outras iniciativas para atingir os jovens

No livro-jogo “Encruzilhadas, o Jogo da Sua Vida” a história envolve o adolescente que está no ano do pré-vestibular. Mostrando situações corriqueiras como a ida à praia depois da aula, a diversão nas festas e a saída para comer o hamburguer, o jogo vai estimulando o jovem a fazer escolhas e observar seus hábitos. Ao final da história, o livro conduz o adolescente a perceber como os hábitos não-saudáveis mais do que fazê-lo engordar ou deixá-lo de ressaca produzem consequências para a sua saúde a longo prazo.

— Nosso objetivo é mostrar de forma lúsica que os hábitos de vida têm repercussão no futuro. Se é nessa idade que se começa a fumar, beber, não passar protetor solar ou proteção nas relações sexuais, é nessa idade que é preciso fazer a cabeça das pessoas — explica Claudia.

Para adquirir o jogo, é recomendado que se entre em contato pelo email oncobiol[email protected].



Fonte: Extra - Luiza Toschi



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais