Notícias

Bela Gil defende comida de verdade e proteção ambiental no Dia Mundial da Alimentação

Compartilhe:     |  16 de outubro de 2019

Atualmente, as principais causas de mortes no mundo estão relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis ocasionadas pela dieta de má qualidade, e que poderiam ser evitadas com uma alimentação saudável. O alerta foi feito pela chef de cozinha, nutricionista e apresentadora de TV Bela Gil, que participou em Brasília (DF) do início das comemorações do Dia Mundial da Alimentação.

Durante a palestra, que reuniu cerca de 200 pessoas, Bela Gil lembrou os problemas de saúde causados pela má alimentação e complementou: “precisamos mudar a maneira como nos alimentamos por uma questão de sobrevivência”. Ela afirmou que há atualmente uma epidemia de má nutrição, o que inclui a desnutrição e a obesidade.

Segundo Bela Gil, alimentação saudável é aquela que faz bem para o corpo, mas também respeita a terra, a natureza, o meio ambiente e valoriza o trabalho da agricultura familiar. “Para quem não sabe, entre 70% e 80% da nossa comida vêm da agricultura familiar. Então, acho importante a gente valorizar cada vez mais o trabalho destas pessoas”, disse.

Bela Gil destacou a importância da preservação da biodiversidade, e ressaltou que, para uma alimentação saudável, é necessário uma diversificação da dieta e uma diminuição do consumo de alimentos ultraprocessados, com resgate à “comida de verdade”. Ela também defendeu que os rótulos dos produtos sejam mais claros em termos de informações aos consumidores.

Campeã Fome Zero

O assistente do representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Gustavo Chianca; o diretor adjunto do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA), Peter Rodrigues; e o representante do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Klaus Reiner; fizeram uma homenagem a Bela Gil por sua atuação como porta-voz da alimentação e do desenvolvimento sustentável e, consequentemente, da boa nutrição no Brasil.

“Graças ao seu trabalho em concordância com o nosso trabalho nas Nações Unidas, hoje, temos o prazer de condecorá-la com a medalha de Campeã Fome Zero, um título que a FAO concede a personalidades com perfis de grande destaque dentro dos seus países e que são capazes de mobilizar a opinião pública em prol da conscientização para avançar rumo a uma alimentação mais saudável”, declarou Chianca. Os campeões e campeãs da FAO são peças-chave para acabar com a fome até 2030.

As celebrações no Museu Nacional, em Brasília, seguem nesta terça-feira (15). O Dia Mundial da Alimentação de 2019, comemorado em 150 países no dia 16 de outubro, traz este ano o slogan “Nossas ações representam o nosso futuro: dietas saudáveis para um mundo fome zero”.

A campanha tem o objetivo de alertar para uma alimentação mais diversificada e nutritiva, a partir de uma mudança comportamental de cada indivíduo, mas também de políticas públicas que fomentem essa transformação social e cujos impactos começarão a ser sentidos nos mais diferentes cenários.

O Dia Mundial da Alimentação também marca o aniversário de fundação da FAO, em 1945.



Fonte: ONUBr



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais