Notícias

Biodefensivos está em alta e controle biológico é usado em diferentes plantações

Compartilhe:     |  7 de julho de 2019

Drone sobre a lavoura e uma função importante a cumprir. No canavial de Sérgio Okano, na região de Araçatuba (SP), o equipamento é usado no trabalho de controle biológico.

Sérgio produz cana há 40 anos e já teve que lidar com muitas pragas que reduziram a produtividade da plantação. A família tem 700 hectares com cana-de-açúcar e aposta desde 2017 na estratégia de combater pragas sem o uso de agrotóxicos.

O filho de Sérgio, o agrônomo Guilherme Okano, foi quem apresentou ao pai as vantagens do controle biológico. Ele diz que é mais vantajoso economicamente, mais prático na aplicação, além de ser menos agressivo ao meio ambiente.

O processo de controle biológico requer um monitoramento da plantação para identificar possíveis infestações. Armadilhas com pequenas mariposas fêmeas são espalhadas para atrair os insetos machos da propriedade. Conforme a quantidade de machos capturados é que se detectará a necessidade do controle ou não de mariposas.

O agrônomo Walter Mendes Neto é o responsável técnico da empresa que produz o trichogramma, produto biológico composto por micro ovos de vespas, inseto que ajuda a combater os ovos da broca da cana. Eles são jogados na plantação com a ajuda do drone.

Depois de distribuídos pela lavoura, os ovos das vespas vão eclodir em poucas horas. Em seguida, as vespas vão buscar os ovos da mariposa da broca. Walter explica que as vespas colocam os ovos dentro dos ovos da mariposa, o que permite exterminar a praga.

O drone também é usado com cotesia, vespa eficiente no controle biológico. Ela extermina as lagartas da broca da cana. O drone é programado para jogar os tubetes de forma automática ao longo da plantação. Ao voarem pela lavoura, as vespas buscam, picam e deixam os ovos nas lagartas, que acabam morrendo.

A empresa que faz esse tipo de controle biológico investiu R$ 500 mil em pesquisas para desenvolver a tecnologia. Em 2014, o trabalho era realizado em 15.500 hectares. Neste ano, a área controlada já alcança três milhões de hectares.

Lucas Kelner é gerente agrícola de uma usina com mais de 55 mil hectares de cana-de-açúcar em Avanhandava (SP). Cerca de 40% do trato da cana é feito com o controle biológico, o que fez a infestação da broca da cana diminuir em 60%.

O mercado de produção de produtos biológicos para controlar pragas e doenças cresceu mais de 70% no último ano e movimentou mais de R$ 460 milhões no Brasil.



Fonte: Nosso Campo - TV TEM



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Projeto de lei ‘Animal não é coisa’ é aprovado pelo Senado

Leia Mais