Notícias

Boa relação ‘arroba x herbicida’ incentiva controle de plantas daninhas no pasto

Compartilhe:     |  20 de fevereiro de 2021

A valorização recente da arroba serve como incentivo para que o pecuarista invista na intensificação do seu sistema produtivo, conforme apontou em entrevista ao Giro do Boi desta quarta, 17, o engenheiro agrônomo Giovane André Lauxen, da Pastagro Consultoria Agrícola e representante comercial da linha de pastagem da Corteva Agriscience.

A pecuária brasileira mudou de patamar. Essa é uma realidade. Infelizmente aconteceu a chegada da Covid-19, o que não é legal e, em meio à pandemia, a pecuária teve que evoluir dez anos em um. Então nós evoluímos dez anos em um. O mercado externo, como o chinês, passou a exigir o boi precoce e a gente teve que fazer toda uma mudança dentro da nossa pecuária. Isso fez com que o nosso patamar da arroba subisse e também fez com que o olho do pecuarista voltasse a brilhar”, explicou Lauxen.

“Nós tivemos nos últimos dois anos um aumento de praticamente 100% no preço da arroba, enquanto o preço do herbicida não acompanhou esse aumento. Então hoje, com menos arrobas, o pecuarista compra mais produto, ou seja, com menos boi ele limpa uma área maior de pastagem. Isso só vai trazer para ele mais produtividade. Na hora em que ele limpar sua área, o capim vai ficar com a estrada livre, vai produzir mais e, consequentemente, é mais boia para o gado, mais produtividade que ele vai ter e mais rápido ele vai dar o seu giro”, justificou o agrônomo.

Detalhe de apresentação enviada pelo agrônomo Giovane André Lauxen ao Giro do Boi (clique para ampliar).

Além do momento especial vivido pela pecuária nas condições de mercado, o tempo também está contribuindo para a limpeza de pasto no estado do Paraná, conforme ressaltou Giovane.

“A partir de novembro do último ano que passou a gente passou a ter uma certa normalização das chuvas. Em janeiro choveu muito bem e, a partir de agora, dentro dos dois últimos anos, nós estamos em um ponto considerado como um dos mais perfeitos ou ideais para o pecuarista entrar combatendo plantas daninhas. Nós passamos todo esse período de seca, quando as plantas daninhas se desenvolvem menos e o capim também se desenvolve menos, então o efeito do herbicida diminui um pouco pela seca, mas agora, voltando as chuvas, a planta daninha está em pleno desenvolvimento vegetativo, está verdinha, é só aplicar o herbicida que ele vai entrar e vai fazer o serviço dele bem feitinho”, salientou.

evolução tecnológica também é outro fator que favorece o bom momento para o combate às plantas daninhas, já que o pecuarista passou a contar com herbicidas que facilitam o controle foliar das plantas daninhas consideradas de difícil controle. “O que a gente não tinha ainda, e a Corteva nos trouxe, é tecnologia. São produtos diferenciados com muita praticidade e que têm se encaixado muito bem no dia a dia do pecuarista, que são os casos das tecnologias Ultra-S e a XT. A tecnologia XT veio e revolucionou o controle de plantas daninhas aqui no Sul, mudou a forma de trabalhar. As nossas áreas são morradas, então imagine antes quando o pecuarista tinha que fazer mistura para pegar plantas de difícil controle, as plantas duras, e ele tinha que estar subindo morro de 400, 500 metros carregando dois baldes de 20 litros, fazer a mistura, ter todo esse trabalho… Agora com o XT, isso acabou. Ficou muito mais fácil, com um baldinho de 10 litros, por exemplo, é mais fácil de trabalhar, com dosagem menores e eficiência maior. A praticidade que o XT trouxe para o pecuarista aqui no Sul é impressionante, revolucionou o controle de plantas daninhas”, sustentou.

O especialista tratou também da tecnologia Ultra-S, que usa princípios ativos mais concentrados, diminuindo ainda mais a necessidade de usar embalagens e facilitando a logística, reduzindo o impacto ambiental do manejo das plantas daninhas. “São produtos mais concentrados que diminuem a necessidade da dosagem na aplicação, diminuem a quantidade de embalagens e o resultado dele é extraordinário também. […] Ele é consistente no resultado, […] e pega um nicho de plantas até mais avançado para fazer o controle.



Fonte: Giro do Boi



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Veterinária dá dicas para cuidar da saúde dos olhos de animais domésticos

Leia Mais