Notícias

Boqueirão perde mais água e Cagepa diz que vai aumentar racionamento

Compartilhe:     |  10 de julho de 2015

A cidade de Campina Grande e outros 18 municípios, além de quatro distritos, que dependem da água do açude de Boqueirão, devem ter que enfrentar um aumento do racionamento e ficar mais de 84 horas semanais sem água nas torneiras. A situação foi confirmada ao Portal Correio pelo gerente da Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba em Campina Grande (Cagepa), Simão Almeida nesta quinta-feira (9). O novo plano de racionamento deve entrar em vigor na segunda quinzena de dezembro deste ano deixando os municípios por mais de três dias sem água.

Segundo Simão Almeida, o aumento do racionamento deve ser tomado assim que o açude de Boqueirão, que comporta 411 milhões de metros cúbicos (m³), mas com 17% da capacidade, atingir a reserva técnica, ficando com 10% da capacidade de armazenamento.

“A previsão é de que se chegue na reserva técnica na segunda quinzena de dezembro e a vazão vai ser diminuída de 900 litros por segundo para 810 litros por segundo. Assim, vamos ter que aumentar o racionamento, que é de 60h semanais para 84h por semana. Mas, isso ainda depende dos estudos que vão ser feitos pela Cagepa e pela Secretaria de Recursos Hídricos da Paraíba. A partir desses estudos vamos saber se o racionamento vai ser superior ou inferior às 84h por semana”, disse o gerente da Cagepa em Campina Grande.

Com isso, os municípios seriam atingidos com o corte de água a partir das 17h dos sábados tendo o abastecimento normalizado às 5h das quartas feiras.

Ainda segundo Simão Almeida, os dados de chuvas são pessimistas para o açude, que vai ter equipamentos para bombeamento de água da reserva técnica instalados.

“Os dados que possuímos são realistas. O período de chuvas da bacia hidrográfica do Boqueirão terminou em março e a recarga não foi significativa, se houver chuvas vão ser atípicas. Não contamos mais com possibilidades de chuva para este ano. Na segunda quinzena de dezembro vamos atingir a reserva técnica e, cerca de 90 dias antes disso, teremos instalado um flutuante no açude para estarmos prontos, com antecedência, para iniciar a utilização da água da reserva técnica”, concluiu Simão Almeida.



Fonte: Portal Correio



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais