Notícias

“Buraco negro” assustador visto em Júpiter é, na verdade, uma grande sombra da lua Io

Compartilhe:     |  22 de setembro de 2019

A sonda Juno da NASA captou recentemente essa imagem assustadora de Júpiter, que mostra uma enorme mancha negra no topo das nuvens agitadas do gigante gasoso. Parece terrível, mas há uma explicação perfeitamente razoável: é uma sombra projetada pela lua Io.

A Juno capturou esta impressionante série de imagens em 12 de setembro, enquanto participava de sua 22ª perijove, que é como a NASA chama os encontros próximos com Júpiter. A sonda, que chegou ao sistema joviano em julho de 2017, está em uma órbita polar altamente elíptica, que a aproxima dos topos das nuvens do gigante gasoso e depois volta para o espaço mais distante.

Imagem da superfície de Júpiter mais próxima e perpendicular, com om tons mais acinzentados e amarelados, e um círculo preto próximo ao horizonte.Como a sombra de Io aparece perto do horizonte de Júpiter. Imagem: NASA / JPL-Caltech / SwRI / MSSS / Björn Jónsson

O Juno estava a cerca de 8 mil quilômetros da superfície quando a JunoCam tirou essas imagens. A sonda está agora em uma trajetória que a levará a mais de 8 milhões de quilômetros do gigante gasoso antes de voltar para sua 23ª perijove, segundo o Universe Today.

Atualmente, a Juno está programada para executar cerca de uma dúzia de perijoves antes do término da missão em julho de 2021. Há, porém, a possibilidade de a missão ser estendida — torcemos para que isso ocorra, porque imagens como essas e outras trazem grandes novidades.

Imagem parcial de Júpiter com o círculo preto.Uma foto incompleta (daí o enorme pedaço que falta no canto superior direito) de Júpiter mostrando o eclipse. As cores foram ajustadas para destacar os recursos. Imagem: NASA / SwRI / MSSS / Tanya Oleksuik

Isso é o mais próximo de um eclipse solar total que veremos Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar. Para ser justo, é mais um eclipse anular porque a sombra de Io não está nem perto de cobrir toda a superfície de Júpiter. Para ser mais justo ainda, provavelmente nem deveríamos nos referir a esse evento celeste como um eclipse — é mais um trânsito, semelhante à maneira como os exoplanetas passam na frente suas estrelas hospedeiras, permitindo que os astrônomos os detectem de nosso ponto de vista na Terra.

Imagem que mostra que Io é um pequeno ponto perto do tamanho de Júpiter.Ilustração mostrando o tamanho de Io (esquerda) comparado a Júpiter (direita). Ilustração: ThePlanets.org

Ainda assim, a sombra é bastante grande, considerando todas as coisas. Io é apenas um pouco maior que a Lua da Terra. O grande círculo preto é devido a um efeito óptico no qual o tamanho total da sombra de um objeto, a penumbra, aumenta conforme a distância da fonte de luz, neste caso o Sol. Algo semelhante acontece na Terra durante os eclipses solares — um efeito que foi lindamente capturado do espaço em 2016.

Io é a quarta maior lua do Sistema Solar e a mais interna das quatro luas galileanas de Júpiter. Esta lua vulcânica está bem perto de Júpiter, levando apenas 42,5 horas para fazer uma órbita completa.

De fato, além de ser aproximadamente do tamanho da lua da Terra, Io também está a uma distância de Júpiter semelhante à do nosso planeta até nosso satélite. Essa proximidade que contribui para sua geologia hiperativa. A tremenda influência gravitacional do gigante gasoso cria um efeito de marés de aquecimento. Io é, por causa disso, o objeto mais vulcânico do Sistema Solar, com centenas de vulcões que produzem plumas de até 500 quilômetros acima de sua superfície.

Para encerrar, um fato divertido: prevê-se que o maior vulcão de Io, Loki, pode entrar em erupção a qualquer momento. Portanto, pode ser que tenhamos mais notícias sobre essa lua deformada e derretida nos próximos dias.



Fonte: GIZMODO - George Dvorsky



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Dia das crianças: não dê animal de presente!

Leia Mais