Notícias

Cabanas autossuficientes preservam e garantem conexão com a natureza

Compartilhe:     |  12 de junho de 2020

Um dos desafios que este período de isolamento social traz é a falta de contato com a natureza. Quem está nas grandes cidades, cumprindo a quarentena em apartamentos, sente falta de colocar o pé na terra, de tomar sol e estar ao ar livre.

Uma boa sugestão para esta reconexão com a natureza, para quem não se importa em manter um certo isolamento, são estas cabanas ecológicas, localizadas na Fazenda do Futuro Ecoaraguaia, ao lado do Parque Estadual do Cantão, importante reserva ambiental nacional e às margens do Rio Araguaia.

O projeto da Arquitetura Rural, pioneira no planejamento de propriedades rurais no Brasil, tem como proposta uma imersão profunda na floresta, seu ritmo e elementos.

As cabanas são autossuficientes: os sistemas de água e saneamento permitem a ciclagem de nutrientes e o sistema de energia provém de fontes renováveis, como o sol e a força das correntes do rio.

A OCA, a maior cabana, tem 84 m² e um projeto inspirado na arquitetura indígena. São dois pisos com as laterais abertas, construídos com madeira de cultivo sustentável de Cumarú. A cabana é elevada, aproveitando a ventilação natural para controlar a temperatura e deixando o solo para a fauna local. O teto é coberto com folhas de palmeira e a cabana acomoda até 4 pessoas.

A segunda cabana, TABA, tem 30m² e acomoda até duas pessoas. O projeto tem duas grandes janelas que garantem a vista dos hóspedes para a incrível paisagem local. A construção também é baseada em técnicas construtivas tradicionais, inspiradas na cultura indígena ainda presente na região e materiais sustentáveis, como a madeira nativa e a palha.

A Cabana OCA e a Cabana TABA são modelos à serem replicados na fazenda, de acordo com as áreas abertas disponíveis, buscando a integração harmônica no espaço. Suas dimensões são ideais para a função que desempenham, sem excessos, à fim de preservar o máximo de espaço natural.

As duas cabanas foram construídas com mão de obra local e funcionam de forma autônoma. A água usada vem do rio, a energia elétrica de painéis solares e um mecanismo especial de compostagem aproveita os resíduos orgânicos para a produção de fertilizante, aproveitado nos cultivos de mamão, banana e legumes da própria fazenda.

A Fazenda do Futuro Ecoaraguaia propõe ser um novo modelo de propriedade rural, tendo suas atividades produtivas baseadas em modelos de regeneração ambiental, social e econômica.

Arquitetura Rural

A Arquitetura Rural é pioneira no planejamento de propriedades rurais no Brasil, combinando arquitetura, ciências da terra e economia no desenho de sistemas integrados. A empresa trabalha com a estruturação de sistemas de vida, onde cada construção, planta ou animal presente no território contribui para a saúde e equilíbrio da paisagem. Os projetos são desenvolvidos em colaboração com profissionais das áreas de arquitetura, ciências agrícolas e florestais, engenharia, entre outros campos.

Com projetos que se baseiam em princípios de ecologia e sustentabilidade, a abordagem de trabalho integra componentes construtivos e biológicos locais, identificando os potenciais inexplorados e as sensibilidades da área trabalhada na criação de projetos inovadores.



Fonte: CicloVivo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais