Notícias

Cães e gatos devem comer ração vegana em respeito à convicção dos donos?

Compartilhe:     |  2 de janeiro de 2020

O regime que elimina do cardápio todos os produtos de origem animal ganhou cada vez mais adeptos nos últimos dez anos e os animais domésticos não escapam à tendência.

Um estudo recente publicado pela Universidade de Ghelph, no Canadá, mostrou que um terço dos americanos não descarta a ideia de oferecer comida vegana a seus animais de estimação, para preservar o meio-ambiente.

Em 2017, 323 milhões de toneladas de carne foram consumidas no mundo, segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura). Em 2014, as criações de animais representaram 15,5% das emissões de CO2 no planeta. O setor é considerado como um dos mais poluentes.

O consumo de carne vai continuar a aumentar, na mesma proporção que a população mundial e, segundo a FAO, comer menos carne é uma das soluções para lutar contra o aquecimento global. Esta também é a opinião dos especialistas da ONU que avaliam a evolução do clima.

De acordo com eles, uma modificação dos hábitos alimentares, suprimindo totalmente ou parcialmente a carne, atenua os efeitos nefastos das mudanças climáticas. Isso porque a produção de vegetais causa menos emissões de gases poluentes.

De olho na tendência vegana, os fabricantes de rações para animais criaram alimentos a base de proteínas vegetais. Para o veterinário Guillaume Germain, de Paris, a moda é passageira. “A longo prazo, não é benéfico para a saúde. Os animais podem sofrer de carências nutricionais”, alerta. “Mas, por enquanto, não há estudos que provem essa hipótese cientificamente”, afirma.

Carências nutricionais

O gato é carnívoro por natureza e os cachorros são onívoros, ou seja, se alimentam de fonte animal e vegetal. A adoção de um regime vegano pode, desta maneira, ser nociva para a saúde dos bichos. Muitos adeptos desse tipo de cardápio, entretanto, defendem que continuar dando produtos com carne para seus animais seria paradoxal. É o caso de Marie, vegana há cinco anos e que alimenta seus gatos com comida vegetal. O objetivo: ficar em paz com suas próprias convicções.

“Se, no futuro, teremos que diminuir nosso consumo de carne, é preciso pensar em maneiras de alimentar os animais que domesticamos. Quem pensa que uma alimentação vegetal vai contra a natureza deles tem uma certa razão, mas a domesticação também vai contra a natureza”, argumenta. Para ela, as rações veganas devem ser preparadas sob medidas para suprir todas as necessidades nutricionais. Uma questão que ainda divide veterinários, vegetarianos e veganos.



Fonte: MSN - RFI - (Com reportagem de Lena Thébaud)



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Holanda se torna o primeiro país sem cães abandonados – e não precisou sacrificar nenhum

Leia Mais