Notícias

Caju para os nervos: estudo descobre o seu potencial no tratamento de doenças neurológicas

Compartilhe:     |  28 de agosto de 2020

O caju e a sua castanha são deliciosos. Melhor do que degustá-los é saber que ainda fazem bem para a saúde.

Um novo estudo, realizado pela Universidade de Vanderbilt (EUA), acaba de descobrir que a casca do caju contém um composto químico que repara a mielina, uma capa protetora que envolve os nervos.

Quando algum dano ocorre com a mielina, processo chamado de desmielinização, doenças no sistema nervoso central podem ser desenvolvidas, bem como a esclerose múltipla, informa o Diário da Saúde.

Um dos investigadores da pesquisa, Subramaniam Sriram,  explica que:

“Vemos isso como uma descoberta entusiasmante, sugerindo um novo caminho na busca por terapias para corrigir a devastação da esclerose múltipla e outras doenças desmielinizantes”.

O composto da casca do caju é chamado ácido anacárdico, que é capaz de inibir uma enzima envolvida no gene HAT (histona acetiltransferase). A equipe de pesquisadores descobriu que a inibição do HAT induz a produção de IL-33.

O estudo conseguiu desenvolver novos resultados que indicam o potencial terapêutico do ácido anacárdico para doenças desmielinizantes. Sriram comemora que:

“Estes são resultados impressionantes, que claramente exigem estudos adicionais do ácido anarcárdico para doenças desmielinizantes”.



Fonte: GreenMe - Gisella Meneguelli



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais