Notícias

Calango-liso é predador voraz que “divide” nome popular com outras espécies

Compartilhe:     |  16 de março de 2020

Se você já registrou um calango-liso (Diploglossus lessoanae) na natureza considere-se com sorte. Avaliada como uma espécie rara, o animal é um dos predadores mais vorazes entre os lagartos da Caatinga.

No cardápio variado predominam baratas, besouros, aranhas e escorpiões, mas alguns vertebrados, como outros lagartos, também compõem a dieta do animal, que é importante para o equilíbrio dos ecossistemas.

Além de calango-liso a espécie também é conhecida por calango-coral — Foto:  Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

Além de calango-liso a espécie também é conhecida por calango-coral — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

“Como qualquer outra espécie o calango-liso faz parte da rede alimentar dos ambientes onde vive, se alimentando de uma grande diversidade de presas e também servindo de presa para outros predadores”, explica o biólogo Daniel Passos, que ressalta outras curiosidades sobre a espécie.

“O indivíduo jovem apresenta uma coloração alvinegra com listras transversais brancas e pretas intercaladas. Quando adulto, porém, seu padrão cromático muda drasticamente para um tom cinza-amarelado no dorso e laranja-avermelhado no ventre”, conta.

É possível identificar a idade do animal de acordo com as cores e "estampas"  — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

É possível identificar a idade do animal de acordo com as cores e “estampas” — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

Diploglossus lessoanae é considerado raro, sendo pouco abundante – baixo número de indivíduos – e pouco frequente – poucos registros ao longo do ano – nos locais onde ocorre

Mesmo que raro na natureza, o status de conservação tranquiliza: não há evidências que sugiram ameaças específicas à espécie, que também ocorre na Mata Atlântica. Contudo, Daniel Passos faz um alerta.

“É importante ressaltar que as paisagens de Caatinga, de modo geral, sofrem grandes ameaças antrópicas e, consequentemente, todas as espécies são afetadas indiretamente”, completa.

Quanto menos listrados, mais maduros são os indivíduos — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

Quanto menos listrados, mais maduros são os indivíduos — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

Apelido comum

De acordo com biólogo e professor universitário Daniel Passos é preciso cautela para identificar uma espécie como “calango”. Isso porque o nome popular é dado por algumas culturas tradicionais a diversas espécies de lagartos.

“O próprio nome calango-liso pode ser usado, dependendo da cultura local, para se referir a outras espécies”, explica o biólogo, que destaca um exemplo do nome em comum.

“Em algumas regiões do Ceará, tanto a espécie Diploglossus lessoanae como a espécie Brasiliscincus heathi são identificadas por calango-liso. Mesmo com algumas semelhanças elas são tecnicamente distintas”, conta.

Raro, o animal é um dos predadores mais vorazes entre os lagartos da Caatinga — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

Raro, o animal é um dos predadores mais vorazes entre os lagartos da Caatinga — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

O “batismo” do lagarto da Caatinga faz referência ao comportamento de rastejar sobre o solo, entre as folhas ou mesmo embaixo da terra, característica que inspirou uma crença popular.

“Em algumas culturas sertanejas tradicionais, existe a crença de que o Diploglossus lessoanae é um ‘filhote de cobra’, vindo a se tornar uma serpente quando adulto. Esta crendice muito provavelmente surgiu devido ao comportamento de deslocamento da espécie”, explica Daniel, que detalha a forma como o animal se locomove.

“Muitas vezes ele recolhe os braços e pernas junto ao corpo e rasteja sobre o solo, similar a uma serpente. Essa é uma forma de locomoção muito frequente entre os répteis, além das cobras, uma vez que o deslizamento entra as folhas e areia é mais eficiente para animais que possuem pernas pequenas, ou mesmo não as possuem”, completa.

O animal recolhe os braços e pernas junto ao corpo para rastejar — Foto: Daniel Passos/VC no TG

O animal recolhe os braços e pernas junto ao corpo para rastejar — Foto: Daniel Passos/VC no TG

Além de calango-liso a espécie também é conhecida por calango-coral, já que as listras transversais alternadas, presentes no corpo do indivíduo jovem, lembram os anéis circulares das cobras-corais.

Tática inteligente

O mimetismo, característica de alguns animais e plantas que utilizam outros organismos para camuflagem, é comportamento comum entre alguns insetos, anfíbios e répteis, como a cobra-coral.

Destruição da Caatinga ameaça a sobrevivência da espécie — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

Destruição da Caatinga ameaça a sobrevivência da espécie — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

No caso do calango-liso, estudos sugerem que o indivíduo, quando jovem, mimetiza uma espécie de miriápode, conhecida popularmente por “gongolo” ou “embuá”. “Ambos apresentam as listras brancas e pretas alternadas, vivem no mesmo ambiente e compartilham o mesmo período de atividade, que é diurno”, explica Daniel.

De acordo com o biólogo a estratégia funciona para despistar predadores. “Como o miriápode é pouco palatável para seus predadores, pois apresenta glândulas repugnantes que lhe confere gosto desagradável, o calango-liso se beneficiaria por ser confundido com a espécie”, completa.

No cardápio predominam baratas, besouros, aranhas e escorpiões — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal

No cardápio predominam baratas, besouros, aranhas e escorpiões — Foto: Willianilson Pessoa/Arquivo Pessoal



Fonte: Terra da Gente - Giulia Bucheroni



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Emocionante: vídeo mostra tartarugas-marinhas sendo salvas por pescadores no litoral catarinense

Leia Mais