Notícias

Calorão: Confira dicas para o bem-estar do seu pet em dias quentes

Compartilhe:     |  15 de setembro de 2020

Eles também sofrem com o calor e veterinária dá dicas para melhorar o bem-estar dos animais domésticos.

Nesta semana os termômetros em Campo Grande chegaram a registrar 38°C com sensação térmica de 44°C. Os pets também sofrem com o calor e . Confira dicas para melhorar o bem-estar de animais domésticos durante os dias mais quentes.

Segundo a veterinária Claudia Mendes, os cães transpiram pela língua e os gatos pela pele das patas. Para evitar que os animais sofram com as altas temperaturas, o ideal é garantir a umidificação.

Atenção com a hidratação

“Nós recomendamos que o tutor deixe água em abundância à disposição do pet”. Os animais também precisam repor a transpiração através de água. Uma dica é deixar pequenas pedras de gelo para derreter nas vasilhas de água.

Evite passear em horários de sol

De acordo com a veterinária, tutores devem evitar passear e fazer exercícios com os bichinhos durante horários que o sol está “alto”. Além de prejudicar na transpiração, o solo quente pode machucar as patinhas. “Os passeios devem ser feito mais cedo ou no fim do dia e em áreas mais quentes, como das 9h às 18h.”

Cuidado com o banho

Os banhos não são contraindicados, porém, o correto é secar bem o pelo para evitar dermatites, as doenças de pele e alergias.

Vacina em dia e remédios

A veterinária explica que as vacinas sempre devem estar em dia para que o animal não adoeça ou perca imunidade durante este período do ano. Além disso, o período mais quente favorece a infestação de praga.

“O tutor deve cuidar com a dosagem do vermífugo, isso pode adoecer o animal. Nesse período também é frequente os carrapatos e a leishmaniose, o dono tem que cuidar as vacinas e remédios”, disse.

Alimentação

Não deixe a ração ficar exposta por muito tempo. Se o pet não comer, retire e ofereça em outro momento em que ele estiver mais a vontade. “Nesse calor, a ração perde a crocância, e se deixar pode ser infestada por formiga. Os que comem comida natural, o ideal é misturar na hora de servir. Nesse período pode facilitar a intoxicação.”

Evite ar condicionado

Conforme a especialista, muitos clientes estão procurando a clínica com o animal gripado e até mesmo com pneumonia, por expor o pet em locais inapropriados. “O tutor coloca o animal em ambientes com ar condicionado com a tempetatura muito baixa, tem que tomar cuidado. Por mais que esteja muito seco e quente, o ideal é umidificar o ar para ajudar na respiração”, esclarece.



Fonte: Midiamax - Karina Campos



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Aromaterapia para cães tem vantagens, mas exige conhecimento

Leia Mais