Notícias

Campanha Dezembro Laranja alerta sobre o câncer de pele

Compartilhe:     |  5 de dezembro de 2018

O mês de dezembro marca o início do verão e também o combate ao câncer da pele, o tipo da doença com maior incidência de casos no Brasil. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), 30% de todos os tumores malignos no país correspondem ao câncer da pele. A estimativa é que surjam 165,5 mil novos casos até 2019. Para chamar atenção da população sobre a importância da prevenção, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) dá início à campanha ‘Dezembro Laranja’, com informações sobre diagnóstico e acesso ao tratamento.

Neste ano, a campanha dá continuidade ao tema ‘Se exponha mas não se queime’, um slogan que faz alusão à exposição solar e da própria imagem nas redes sociais. Com o apoio do Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Médica Brasileira (AMB), serão promovidas ações com divulgação de informação na internet, ruas, praias e parques até março do ano que vem. Além disso, monumentos nacionais também serão iluminados com a cor símbolo da campanha.

“É o momento de promover a visibilidade do tema e de tentar mais uma vez realizar uma campanha participativa, coletiva e atuante”, afirma o vice-presidente da SBD, Sérgio Palma.

Recomendações

A doença apresenta sintomas silenciosos: lesões na pele com demora de mais de quatro semanas na cicatrização, variação na cor de sinais pré-existentes e manchas que coçam, ardem, descamam ou sangram. Para se prevenir, as recomendações básicas incluem a adoção de medidas fotoprotetoras, como evitar a exposição ao sol das 10h às 16h, utilizar chapéus de abas largas, óculos com proteção UV, roupas que cubram boa parte do corpo e procurar locais de sombra, bem como manter o corpo hidratado. Segundo especialistas, o método mais importante e eficaz é utilização diária de protetor solar. De acordo com a SBD, o fator mínimo de proteção deve ser 30, com aplicação sobre a pele a cada duas horas.

O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele. A doença pode se manifestar como uma pinta ou mancha, sempre com tons mais escuros ou avermelhados.

Tipos da doença

Há diferentes tipos da doença. O carcinoma basocelular, mais frequente e com maior índice de cura, se caracteriza por pequenas úlceras que aparecem principalmente no nariz. O carcinoma espinocelular, que se parece com uma ferida que não cicatriza, é o segundo mais comum. Já o melanoma é o mais agressivo e pode ser letal. “O melanoma equivale a 3% dos tumores malignos de pele. Detectado precocemente, maiores as chances de cura”, diz o médico Frederico Pereira, do Centro de Tratamento Oncológico. As ações da campanha estão no site www.sbd.org.br/dezembroLaranja.



Fonte: O Dia



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais