Notícias

Campanha “Eletrônico Não é Lixo” conscientiza sobre importância da reciclagem

Compartilhe:     |  14 de outubro de 2020

O Brasil foi o quinto país que mais produziu resíduos eletrônicos em 2019. Segundo o relatório The Global E-waste Monitor 2020, os brasileiros ficaram atrás apenas da China, EUA, Índia e Japão. Ao todo, foram geradas mais de dois milhões de toneladas no ano passado, das quais menos de 3% foram recicladas.

Cientes deste cenário, a gestora de logística reversa de aparelhos eletroeletrônicos e pilhas Green Eletron lança no Dia Internacional do Lixo Eletrônico (14 de outubro) o movimento Eletrônico Não é Lixo. O objetivo é conscientizar a população sobre a importância de reciclar esses equipamentos.

O movimento promoverá ações e pesquisas sobre os resíduos eletrônicos no Brasil. No Dia Internacional do Lixo Eletrônico, ele estréia disponibilizando um site para a população, e-book, um vídeo manifesto, presença ativa nas redes sociais e ações com produtores de conteúdo digital para estimular o envolvimento e engajamento dos consumidores.

A data é promovida anualmente pelo WEEE Forum, entidade gestora europeia que centraliza as iniciativas de conscientização sendo realizadas no mundo todo, e o tema escolhido para este ano foi educação. Em 2020, mais de 42 países terão ações de conscientização e coleta.

Eletrônico Não é Lixo

“A reciclagem dos aparelhos eletroeletrônicos sem utilidade e pilhas gastas só é possível se a população souber de que eles devem ser descartados no local correto e realmente participar do processo. Por isso, em um momento que o descarte de lixo eletrônico cresceu 21% em apenas cinco anos, segundo o Global E-waste Monitor 2020 da Universidade da Nações Unidas, é essencial promover campanhas que transmitem isso para os brasileiros”, disse Ademir Brescansin, gerente executivo da Green Eletron e do movimento Eletrônico Não é Lixo.

Representando o Brasil, a Green Eletron além do lançamento do movimento Eletrônico Não é Lixo, vai fazer campanhas de coleta em empresas associadas ao sistema da gestora e em condomínios. Também mobilizou seus parceiros do varejo para se juntar na divulgação de informações sobre o descarte correto de aparelhos eletroeletrônicos sem utilidade e pilhas gastas. O Carrefour, Via Varejo, Fast Shop e Tenda Atacado, são algumas delas, além das parceiras SENAC e SESI.

Do dia 3 a 16 de outubro, a Green Eletron também vai instalar temporariamente seis coletores em estações do Metrô de São Paulo, em parceria com a Virada Sustentável. Eles estarão disponíveis para todos os usuários das estações Barra Funda, Sé, Tucuruvi, Jabaquara, Vila Prudente e Clínicas.

lixo eletrônico

O movimento também vai divulgar constantemente dicas de descarte e as conquistas no processo de coleta de eletrônicos com o envolvimento crescente da população e colaboradores.

As recomendações fundamentais nesse momento são que as pilhas precisam ser colocadas em uma sacola plástica antes do descarte e que os aparelhos eletroeletrônicos devem permanecer montados. Todos os materiais presentes nesses produtos serão reciclados e reutilizados. Desta forma, é possível economizar água e diminuir a emissão de gás carbônico na atmosfera, provenientes da extração de matéria-prima virgem.

Com a reciclagem das 349 toneladas de lixo eletrônico coletadas em 2019 pela Green Eletron, foi possível o reaproveitamento de aproximadamente 100 toneladas de metais ferrosos (ferro fundido, aço e suas ligas) e não-ferrosos (cobre, estanho, zinco, chumbo, e outros).

Foram recicladas também cerca de 47,5 toneladas de plástico, fazendo que 69 toneladas de CO2 deixassem de ser emitidas. Para 2021, com a criação do movimento Eletrônico Não é Lixo, a expectativa é reciclar mais de 600 toneladas.

“Com a participação da população, estamos confiantes que vamos conseguir atingir a marca e a cada ano aumentar significativamente esse número”, disse Brescansin.

Lixo eletrônico
Foto: iStock

Em 2020, com a pandemia e a implementação da quarentena para a maior parte do país, os números de coleta de lixo eletrônico diminuíram em 85% em abril e 52% em maio. “Esses aparelhos ou estão esquecidos em alguma parte da casa ou foram descartados no lixo comum. Queremos colocar na rotina das pessoas a separação de seus equipamentos em desuso e levá-los ao ponto de coleta mais próximo para que eles tenham sua destinação ambientalmente correta”, complementa Brescansin.

A Green Eletron conta hoje com 262 Pontos de Entrega Voluntária no Estado de São Paulo e um em Brasília, onde as pessoas podem descartar notebooks, celulares, monitores de computador, HDs, adaptadores de tomadas, furadeiras elétricas e muitos outros. Confira a lista completa aqui. De pilhas, são mais de cinco mil coletores espalhados pelo Brasil. Saiba onde descartar os eletrônicos aqui e pilhas aqui.



Fonte: CicloVivo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais