Notícias

Carne vermelha à noite faz mal? Veja mitos e verdades sobre o alimento

Compartilhe:     |  24 de fevereiro de 2021

As proteínas animais estão na base da alimentação do brasileiro, mas consumi-las em excesso pode trazer prejuízos para a saúde

Apesar de as carnes serem alimentos muito comuns no prato dos brasileiros, a população ainda sabe pouco sobre como escolher as opções mais saudáveis e as quantidades certas que não irão interferir na saúde.

Em vez de demonizar o alimento, o mais importante é ter informação para fazer escolhas conscientes. O primeiro passo seria justamente diferenciar as carnes vermelhas das brancas. As carnes vermelhas incluem as de vaca, de vitela, de porco, de cordeiro, de carneiro, de cavalo ou de cabra, além dos embutidos preparados com essas carnes, enquanto que as carnes brancas são as de frango, pato, peru, ganso e peixes.

Qual o melhor tipo de carne?

As carnes brancas possuem menos gorduras e calorias e, por esse motivo, geralmente são consideradas mais saudáveis e podem ser consumidas mais frequentemente. No entanto, a carne vermelha também pode ser uma opção saudável, desde que consumida com moderação e quando se dá preferência para carnes e cortes com menos gordura, como patinho, maminha, filé ou coxão mole, por exemplo.

Além disso, os peixes também devem ser consumidos de forma regular, principalmente os peixes gordos e de água fria, como sardinha, atum e salmão, pois são ricos em ômega-3, um tipo de gordura boa para o organismo que, além de ser um excelente anti-inflamatório, ajuda a reduzir o colesterol.

Independente da escolha da carne, a recomendação é que a quantidade por refeição não passe de 100 a 150 gramas dessa fonte de proteína. O prato deve ser composto por outros alimentos, como verduras, legumes e fontes de carboidratos, por exemplo. No entanto, é importante consultar um nutricionista para que se monte um cardápio personalizado.

Que carnes devo evitar?

É recomendado evitar cortes de carnes com muita gordura, como picanha e costela, e miúdos, como fígado, rins, coração e intestino. Além disso, deve-se retirar toda a gordura visível das carnes antes do preparo, pois durante o cozimento parte da gordura acaba entrando no músculo, o que impede sua retirada na hora de comer.

Também é importante lembrar que as carnes com mais gordura e as processadas, como bacon, toucinho, salsicha, linguiça e salame, são as mais prejudiciais à saúde, devendo ser evitadas.

Além disso, pessoas com problemas de colesterol alto e gota também devem evitar consumir fígado e outros órgãos de animais, já que favorecem o aumento do ácido úrico no organismo.

Mitos e verdades sobre as carnes

1. A carne branca é melhor que carne vermelha

Verdade. As carnes brancas, especialmente os peixes, são melhores para a saúde do que as carnes vermelhas porque, em geral, possuem menos gordura, sendo também mais fáceis de digerir.

O consumo em excesso da carne vermelha pode trazer prejuízos para a saúde, como acúmulo de gordura nas artérias e no fígado, aumento do colesterol e aumento da gordura a nível abdominal.

No entanto, as carnes vermelhas são ricas em vitaminas B3, B12, B6, ferro, zinco e selênio. Por isso, é possível consumi-las cerca de 2 a 3 vezes por semana, sendo importante escolher cortes de carne que não possuam muita gordura.

2. Comer carne vermelha à noite faz mal

Mito. A carne vermelha pode ser consumida à noite assim como qualquer outro alimento, no entanto, não é recomendada em excesso, porque demora mais tempo para ser digerida no estômago. Alguns efeitos são acidez e sensação de peso, que podem ser piores na hora de dormir.

3. A carne branca não engorda

Mito. Apesar de conter menos gordura, a carne branca também engorda quando consumida em excesso, principalmente quando ingerida com molhos calóricos, como o molho branco ou quatro queijos.

4. Carne mal passada faz mal

Depende da origem da carne. Consumir carnes mal passadas só faz mal à saúde se ela estiver contaminada com parasitas, como a tênia, ou bactérias que causam infecção intestinal. Assim, deve-se sempre comprar carnes em locais que garantam seu processamento e origem, pois apenas o cozimento adequado elimina a contaminação de carnes não seguras.

5. Carne de porco faz mal

Mito. Assim como a carne de vaca, a carne de porco só faz mal se estiver contaminada e se não for bem cozida, mas quando um cozimento adequado é feito, essa carne também é segura para consumo. (Com informações do portal Tua Saúde)



Fonte: Metrópoles - portal Tua Saúde



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Veterinário dá dicas importantes de como cuidar de cães e gatos com a continuação do isolamento social

Leia Mais