Notícias

Carro elétrico feito com peças reutilizadas bate líderes do mercado em autonomia

Compartilhe:     |  24 de julho de 2020

Resgatar um carro velho, substituir suas peças por outras recuperadas, incluindo uma bateria elétrica. No final do processo, o carro vai ter uma autonomia maior do que os modelos comercializados no mercado de veículos elétricos, se consideramos a velocidade praticada em estradas. Parece impossível, né? Mas foi exatamente isso que  aconteceu.

O veículo recebeu o nome sugestivo de Phoenix, a ave mitológica que renasce das cinzas.

O Phoenix, veículo elétrico feito a base de materiais reutilizados, foi o único a superar os 500 quilômetros de autonomia em uma prova onde também foram testados um tesla S P90D, um Chevrolet Bolt e um Nissan Leaf. O veículo parou de rodar aos 547 quilômetros, por conta de um problema mecânico, mas ainda estava com 32% de carga.

O veículo foi construído em apenas 35 dias por 2 engenheiros e Eric Lundgren, pioneiro na indústria de reciclagem eletrônica e responsável pela ITAP Inc., empresa americana.

Eric Lundgren. Foto: ITAP Inc.

Processo de fabricação

O trabalho começou com a escolha do modelo que serviria de base para o Phoenix. O carro escolhido foi um antigo BMW Série 5 de 1997 que estava em um ferro-velho. Hoje, a carroceria não tem mais nenhum dos componentes antigos, o que inclui o motor de combustão interna. No lugar do motor, está uma bateria elétrica de 125KWh.

A bateria e a 88% dos componentes do Phoenix, são materiais e peças reutilizadas que estariam em ferros-velhos ou seriam descartados, mas que foram reutilizados e hoje estão em um veículo que bateu recorde de autonomia e também de economia – foram gastos US$ 12,9 mil na sua fabricação.

Teste de autonomia

Com o carro pronto, Eric e sua equipe decidiram testar sua criação e decidiram fazer uma competição entre o Phoenix e outros modelos de veículos elétricos que são líderes neste mercado: Tesla Model S P90D, Chevrolet Bolt e Nissan LEAF.  O modelo construído com peças usadas bateu os 3 líderes do mercado em autonomia.

Em segundo lugar em autonomia, considerando a velocidade praticada em rodovias, ficou o Chevrolet Bolt, em terceiro lugar o Tesla e em quarto lugar o Nissan LEAF.

De acordo com Eric, o Phoenix poderia chegar aos 640 quilômetros de autonomia, mas o carro parou antes de acabar a carga da bateria por um problema mecânico.

Nota do Ciclo Vivo: Fica a reflexão sobre a quantidade de veículos, peças e outros componentes que poderiam ser reaproveitados ao invés de serem descartados em ferros-velhos pelo mundo.



Fonte: CicloVivo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Doação de sangue em animais: como funciona e os requisitos para um animal ser doador

Leia Mais