Notícias

Casos de sucesso na conservação de onça-pintada em Mata Atlântica

Compartilhe:     |  8 de agosto de 2019
Estimativas recentes apontam para um aumento da população de onças-pintadas em Mata Atlântica, mais ainda há muito o que fazer para reduzir a ameaça de extinção. Restam apenas 300 indivíduos na Mata Atlântica e o equilíbrio dessa população é extremamente sensível.

Os relatos de avistamento de onças-pintadas cresceram como reflexo dos trabalhos de conservação e conscientização que são desenvolvidos em todo o Brasil por diversas instituições. Tivemos casos amplamente divulgados, que repercutiram nas redes sociais como, por exemplo, a onça-pintada na beira da Rodovia Ferra de Camargo Penteado (SP-250), em Apiaí (SP). Também houve o registro da onça em Juiz de Fora, que foi capturada e solta em uma área de proteção ambiental.

Segundo Felipe Feliciani, analista de conservação do WWF Brasil, precisamos aprofundar os estudos de como o animal se desloca entre os fragmentos de Mata Atlântica e analisar processos de restauração naquelas regiões para ajudar na construção de corredores ecológicos. “Dificilmente você vai ver um pasto com uma nascente de água de qualidade e com quantidade de água, as principais nascentes estão em áreas florestais. Onde tem onça, tem floresta, tem água boa, ar puro, tem ecoturismo, tem oportunidades de negócios. A floresta tem um valor imenso e é um mecanismo financeiro para as comunidades que vivem ali. Temos que ver a floresta como um aliado ao nosso desenvolvimento sustentável”, diz Feliciani.

De acordo com o coordenador do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap), Ronaldo Morato, existem diversos resultados expressivos de conservação de onça-pintada no Brasil como, por exemplo, o resultado de conservação no Parque Nacional do Iguaçu e o acordo de cooperação trinacional entre Argentina, Brasil e Paraguai. “Vale lembrar que a espécie habita outros biomas brasileiros e há muitos casos no Cerrado com o Instituto Onça Pintada, no Pantanal com o turismo de avistamento desenvolvido com o Onçafari e na Amazônia com o instituto Mamirauá”, afirma Morato. Infelizmente, a onça-pintada já foi extinta do Pampa.
Saiba mais no Barulho da Onça, o podcast do WWF-Brasil;
Escute no Spotify: http://bit.ly/barulhodaonça
Escute os episódios anteriores: www.wwf.org.br/barulho



Fonte: WWF-Brasil - Douglas Santos



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Dia das crianças: não dê animal de presente!

Leia Mais