Notícias

Caspa não tem cura nem está ligada à falta de higiene, mas pode ser controlada

Compartilhe:     |  31 de outubro de 2014

Se você não tem caspa, provavelmente conhece alguém que luta para disfarçar indesejáveis pontos brancos no cabelo. Cerca de 2 bilhões de pessoas no mundo sofrem do problema e, ao contrário do que se pensa, ele não está relacionado à falta de higiene. Trata-se de um estado do couro cabeludo causado pela renovação aumentada das células, algo que pode ser controlado com o uso de xampus específicos.

Segundo a dermatologista Juliana Neiva, todas as pessoas têm o fungo malassezia no couro cabeludo. Fatores como uso de secadores e chapinhas, banhos quentes demorados, excesso de produtos químicos no cabelo, exposição ao sol, consumo de álcool e má alimentação podem fragilizar essa região, fazendo com que a produção de sebo aumente, e o micro-organismo se prolifere além do normal. Na tentativa de se proteger, o organismo renova as células com maior velocidade, o que gera descamação, ardência, vermelhidão e coceira.

— O quadro surge, em geral, a partir da adolescência, devido à ação hormonal. Os homens costumam apresentar caspa de maneira mais acentuada do que as mulheres, porque o couro cabeludo deles tem a barreira de imunidade mais fraca — explica a médica.

Embora não haja cura para o problema, o controle pode ser feito com várias opções de xampus anticaspa existentes no mercado. É importante escolher um produto de qualidade, que não resseque os cabelos. De acordo com Juliana Neiva, esse efeito adverso é o principal motivo que leva as pessoas a desistirem do tratamento. Em casos mais graves — sobretudo quando a caspa é sintoma da dermatite seborreica, um tipo de inflamação da pele —, é necessário consultar um dermatologista, que pode prescrever antifúngicos e corticoides ou ainda indicar o uso de laser.

 



Fonte: Extra



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais