Notícias

Centenas de animais sob maus-tratos e mortos são encontrados no RN

Compartilhe:     |  14 de novembro de 2018

Além dos animais mortos, foram encontrados aproximadamente 500 cachorros, 200 gatos e também um macaco-prego, um tucano e alguns papagaios, todos submetidos à crueldade. Um cão foi flagrado enquanto agonizava devido à cinomose.

Um terreno com centenas de animais mortos e outros em situação de maus-tratos foi descoberto em Apodi, no Rio Grande do Norte. Foram localizados aproximadamente 500 cachorros, 200 gatos e também um macaco-prego, um tucano e alguns papagaios, todos submetidos à crueldade. O local também mantém animais levados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O espaço, conhecido como “santuário”, foi descoberto por agentes da Delegacia Especializada em Proteção ao Meio Ambiente (Deprema) e fiscais do Ibama na última segunda-feira (12). Já se sabe que a comida dada aos animais é composta por restos mortais de outros animais. As informações são do portal OP9.

“É um negócio assim que ninguém imaginava. A comida é feita com restos de animais e restos de comida podre”, revelou o delegado da Deprema, Márcio Delgado Varandas. A Deprema foi alertada sobre o caso pelo vereador Sandro Pimentel (PSOL), após o parlamentar receber uma denúncia.

O responsável pelo terreno, identificado como Eribaldo Gomes Nobre, 55 anos, e conhecido como “Jesus”, será autuado por maus-tratos a animais e crime ambiental. “Tem animais praticamente morrendo à míngua”, contou o delegado.

O Ministério Público será acionado e o caso continuará a ser investigado a fim de descobrir se Eribaldo recebe algum valor referente a convênios para, por exemplo, receber os animais encaminhados pela PRF ou por alguma prefeitura da região. Não há, segundo o delegado, como identificar há quanto tempo os animais estavam sendo submetidos a maus-tratos. A estimativa, porém, é de pelo menos mais de um ano.

Para Varandas, o maior problema neste momento é não ter para onde levar os animais que vivem no local. O caminho, de acordo com ele, seria pressionar o proprietário do terreno para melhorar as condições de manutenção dos animais.

Cachorros mantidos em condições inadequadas (Foto: Reprodução / OP9)

“Infernário”

“Isso aqui se chama ‘santuário’, mas deveria se chamar ‘infernário’”, disse o vereador Sandro Pimentel, que considerou o caso tão absurdo a ponto de não conseguir descrevê-lo.

“Se eu quiser descrever eu não consigo. Há três cemitérios com milhares de carcaças de animais; mais de 500 cães misturados; cães morrendo com leishmaniose e outros contaminados com cinomose, que é uma virose. Vai contaminar os outros”, disse.

Cachorro com cinomose agoniza em fase terminal (Foto: Reprodução / OP9)

O vereador, que é deputado estadual eleito, comprometeu-se em acionar a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) para que a instituição dê tratamento veterinário aos animais e separa-os por sexo e condição de saúde.

“É um matadouro mesmo. De santuário não tem nada. Os animais de grande porte não têm comida”, concluiu.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais