Notícias

Ceratoconjuntivite seca, processo inflamatório da córnea e da conjuntiva que ataca os cães

Compartilhe:     |  23 de julho de 2014

Por Fernanda Fragata

Muitas pessoas se assustam quando o veterinário, após examinar e realizar alguns testes nos olhos de seu cão, apresenta o diagnóstico de ceratoconjuntivite seca, ou “olho seco”. Tratas-se de um processo inflamatório da córnea e da conjuntiva dos cães, que ocorre devido à redução na produção da lágrima – causada, na maioria das vezes, pela destruição imunomediada das glândulas lacrimais. Ou seja, o corpo reage contra as células produtoras de lágrima como se elas fossem estranhas e começa e destruí-las. Por isso o nome de “olho seco”.

No início, os sintomas são discretos e podem passar desapercebidamente pelo dono. Com o tempo, o olho fica avermelhado com secreção espessa, o animal coça o olho com a pata, esfrega os olhos em panos ou almofadas e o cão demonstra incômodo. Problemas secundários como conjuntivites e úlceras de córnea se tornam recorrentes.

Os cães de raças braquicefálicas (focinho curto), como por exemplo Pug, Lhasa Apso, Cocker Spaniel, Rottweiler e Boxer, são mais acometidos pelo problema, assim como cães adultos e idosos. A doença pode ocorrer em gatos também, porém em menor frequência.

O diagnóstico é feito por meio da avaliação clínica e da mensuração da produção de lágrima em cada um dos olhos de seu pet. Infelizmente, o problema não tem cura, mas pode ser controlado. O tratamento é feito à base de colírios específicos com ativo imunossupressor para reduzir o processo inflamatório local, protegendo a córnea e colírios substitutos da lágrima para manter os olhos limpos e lubrificados. O acompanhamento periódico do médico veterinário é fundamental para prevenir e reduzir complicações.



Fonte: Época



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Quetzal: uma ave bela e misteriosa

Leia Mais