Notícias

Cerca de 2.300 tigres foram mortos ou contrabandeados nos últimos 19 anos

Compartilhe:     |  26 de agosto de 2019

Cerca de 2.359 tigres foram mortos ou contrabandeados em 32 países e territórios em todo o mundo desde o início do milênio, o que equivale a 124 tigres por ano, segundo um relatório da ONG para a defesa dos animais selvagens.

Em seu relatório intitulado “Pele e ossos sem revólver”, o TRAFFIC observou uma tendência geral que ocorreu entre 2000 e 2018.

O relatório também listou as ameaças mais urgentes que os tigres enfrentam.

A Índia, a Tailândia e a Indonésia são os países em que a maior quantidade de caça furtiva ocorreu.

“A Índia, a Tailândia e a Indonésia registraram o maior número de tigres apreendidos durante o período de 19 anos, com 626 (26,5%), 369 (15,6%) e 266 (11,3%), respectivamente”, mostraram os números registrados pela organização.

Além dos tigres vivos, o animal também é caçado por sua pele, ossos, garras e dentes, que são vendidos no mercado asiático para a indústria da medicina tradicional ou para fabricar artigos colecionáveis.“

A grande maioria (66,2%) dos tipos de produtos apreendidos envolve diferentes partes do tigre (ossos, dentes, etc.), enquanto as peles representam apenas 40% do total de peças de tigre apreendidas entre 2000 e 2018. “disse o documento.

Devido a estas práticas, juntamente com o desaparecimento de seu habitat e intervenção humana, não há tigres deixados no Camboja.

De sua parte, a Índia tem 2.226 tigres; Rússia, 433; Indonésia, 371; Malásia, 250; Nepal, 235; Tailândia, 189; Bangladesh, 106; Butão, 103; Birmânia, 22; China, nove; Vietnã, cinco; e Laos dois tigres.

A TRAFFIC é uma organização não governamental que trabalha em todo o mundo para combater o comércio de animais e plantas silvestres no contexto da conservação da biodiversidade e desenvolvimento sustentável



Fonte: TRT Português



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como restaurar o equilíbrio intestinal de cães e gatos

Leia Mais