Notícias

CG poderá ficar três dias por semana sem água para retardar seca em Boqueirão

Compartilhe:     |  4 de Maio de 2015

Campina Grande e outras 18 cidades da região podem ter um aumento das atuais 36h para 60h semanais sem água. O aumento no racionamento, que passaria a ser de mais um dia por semana, poderá começar no dia 15 deste mês e prolongar em até 43 dias o abastecimento de água antes da chegada ao volume morto do açude de Boqueirão, que é o manancial responsável pelo abastecimento da região.

Atualmente, o açude de Boqueirão esta com apenas 19,6% da capacidade de armazenamento, segundo a Agência Estadual de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

O pedido para prolongar o racionamento foi feito pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). De acordo com o gerente regional da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) em Campina Grande, Simão Almeida, o MPPB havia solicitado um novo estudo para que medidas fossem tomadas prevenindo o desabastecimento.

“Essa possível ampliação foi um pedido do MPPB para que a Cagepa apresentasse um novo estudo com esse acréscimo nos dias de racionamento. Elaboramos o estudo e vamos apresentar, nos próximos dias, a proposta de acréscimo de mais 24h, totalizando às 60h semanais sem água”, disse o gerente Simão Almeida.

O aumento vai possibilitar a prorrogação do prazo para o alcance do volume morto do açude de Boqueirão, que representaria uma dificuldade maior no abastecimento.

“Vale ressaltar que esse aumento de apenas um dia vai proporcionar uma economia e fazer com que o volume morto, que esta previsto para ser atingido no dia 8 de dezembro, seja alcançado apenas em 20 de janeiro de 2016. São 43 dias que temos a mais para aguardar por mais chuvas”, afirmou Simão Almeida.

Após a reunião com o MPPB, a proposta deve ser enviada para o governador Ricardo Coutinho, que é quem deve decidir sobre o aumento ou não do racionamento.

“Vamos apresentar a proposta e dependendo da opinião do MPPB iremos nos reunir com a diretoria da Cagepa, o secretário de Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia, João Azevedo, e o governador para apresentarmos a nova proposta de racionamento. Realizadas as discussões, o governador é quem vai decidir”, concluiu Simão Almeida.

Caso venha a ser aprovado, o racionamento deve ocorrer entre 17h dos sábados e 5h das terças-feiras.



Fonte: Portal Correio



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Não há evidências de que o coronavírus possa infectar gatos

Leia Mais