Notícias

China condena à morte 200 mil porcos devido a disseminação da peste suína africana

Compartilhe:     |  20 de outubro de 2018

A China assassinou 200 mil porcos até agora devido a surtos de peste suína africana, altamente contagiosa no país, de acordo com autoridades chinesas de saúde animal.

Entretanto, isso representa apenas uma pequena parte das mortes desses animais pela sua carne no país. Considerado o maior produtor de carne suína do mundo, a China mata cerca de 700 milhões de suínos a cada ano para consumo.

“A China registrou 41 focos da doença, afetando 27 cidades em todo o país”, afirmou Wang Zongli, vice-diretor do Centro de Saúde e Epidemiologia Animal. “O país matou suínos em fazendas infectadas pela doença, bem como em fazendas em um raio de três quilômetros dos focos”.

Muitos surtos da doença ocorreram no nordeste, particularmente na província de Liaoning, uma área que geralmente transporta uma parcela significativa de seus porcos para o sul com o objetivo de matá-los mais próximo dos centros de consumo. Wang disse que a pesquisa mostrou que o transporte era um dos principais riscos para a disseminação de doenças.

Pequim divulgou seu primeiro caso da doença no início de agosto e, desde então, o vírus se espalhou para porcos em várias cidades da China.

A peste suína africana não é nociva para os seres humanos, mas causa febre hemorrágica em porcos domesticados e javalis que quase sempre terminam em morte dentro de alguns dias. Não há antídoto ou vacina para prevenir ou acabar com a doença.

Casos foram registrados em toda a Europa, Rússia e África subsaariana, mas isso nunca ocorreu no Leste da Ásia até agora, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.

A peste suína causa causa febre hemorrágica nos animais, quase sempre culminando em sua morte (Foto: Daily Mail Online)

A China responde por quase metade do consumo de carne suína do mundo, e as importações estão aumentando à medida que a demanda do país supera sua oferta, de acordo com o Wall Street Journal. Na última década, a carne suína exportada para a China aumentou quase 10 vezes, para 675.224 toneladas.

Carne de porco é tradição no país

O país continua sendo o maior produtor e consumidor de suínos do mundo, de acordo com um relatório do serviço agrícola estrangeiro do USDA.

Um total de 54.800 toneladas de carne suína foi consumido no país no ano passado, o que equivale a cerca de 30,8 kg de carne suína por pessoa, segundo dados divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Para colocá-lo em escala, a China consome quase metade de toda a carne suína produzida globalmente a cada ano.

O país produz 500 milhões de suínos por ano, segundo o economista.

Desde que a China começou a se abrir para o mundo no final dos anos 1970, a demanda por carne suína aumentou em média 5,7% ao ano até 2014, quando a economia permitiu que centenas de milhões de pessoas se alimentassem de carne com mais frequência, segundo a Reuters.

A China consome quase metade de toda a carne suína produzida globalmente a cada ano (Foto: Daily Mail Online)

Tradicionalmente criados em cercados de porcos de quintal, os agricultores chineses alimentavam os porcos com quase tudo.

De acordo com a Forbes, os porcos serviam como “lixo de baixa tecnologia”, devorando sobras e, em troca, fornecendo esterco e carne para a fazenda.

O caractere chinês para casa, jia (家), até retrata um porco (estilizado) sob um telhado – aparentemente, considera-se que uma casa não era uma casa sem ela.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais