Notícias

China continuará a proibir o comércio de partes rinocerontes e tigres

Compartilhe:     |  15 de dezembro de 2018

A exploração de rinocerontes e tigres continua sendo ilegal na China, após o governo chinês acabar com a revogação da lei que proíbe a exploração, comércio, transporte e exibição desses animais. Esta lei existe há vinte e cinco anos.

A lei foi revogada em outubro deste ano, abrindo uma exceção que permitia o uso de partes de rinocerontes e tigres para fins medicinais. A decisão causou revolta a grupos de ativistas, como a fundação WWF e a Humane Society International.

De acordo com Huang Caiyi, porta-voz do Departamento Nacional de Gestão Ambiental, a repressão ao comércio ilegal de rinocerontes e tigres, assim como suas partes, ocorre em todo o país desde 13 de novembro e permanecerá até dia 31 de dezembro deste ano.

“Nosso país é um país signatário na Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção [mais conhecida como Convenção de Washington]. Nós não poupamos esforços em aplicar duras medidas contra o contrabando de animais selvagens”, disse Huang.

Em resposta ao discurso de Huang, hoje os defensores dos direitos animais instam a Pequim para que proíba definitivamente a exploração de tigres e rinocerontes. “Agora a China tem uma oportunidade única de mostrar o quão comprometidos estão com a conservação e bem-estar da vida silvestre”, disse Gilbert M. Sape, da World Animal Protection.

Iris Ho, da Humane Society International, disse: “A China deve restabelecer totalmente a proibição de 1993 sobre a venda, importação e exportação de chifre de rinoceronte e osso de tigre para evitar mais perdas desses animais para a caça e tráfico. Não podemos permitir nenhum deslize quando a sobrevivência da espécie está em jogo.”

Por trás da medicina tradicional chinesa, há um mercado negro que ameaça gravemente a vida dos rinocerontes e tigres, cujas partes são frequentemente utilizadas para a fabricação de produtos farmacêuticos e na cura de doenças críticas.

O chifre de rinoceronte é feito a partir de queratina – uma proteína encontrada nas unhas e cabelo – e acredita-se ser capaz de ajudar a tratar tudo, desde o câncer até a ressaca quando consumido.

Por outro lado, o osso do tigre, que é esmagado e transformado em pasta, tem sido usado para tratar uma variedade de doenças, incluindo reumatismo e dor nas costas.

As fazendas comerciais de criação de tigres ainda são legais na China e, segundo grupos de ativistas, embora o uso de ossos de tigre na medicina tenha sido proibido, partes de tigres de fazendas geralmente acabam em tônicos ou outros medicamentos. Não há benefícios medicinais comprovados de qualquer dos produtos em humanos, de acordo com a National Geographic.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais