Notícias

Cientistas descobrem 30 novas espécies de invertebrados nas Ilhas Galápagos

Compartilhe:     |  18 de agosto de 2020

Trinta novas espécies de invertebrados, como lagostas e corais, foram descobertas na reserva marinha do arquipélago equatoriano de Galápagos, a segunda maior do mundo, informou nesta segunda-feira (17) o Parque Nacional de Galápagos (PNG).

Entre as descobertas estão quatro espécies de lagostas okupa, uma de coral copa gigante, dez de corais de bambu, três de octocorais, uma de estrela-quebradiça e 11 de esponjas, destacou a entidade em um comunicado.

Também foi encontrado o primeiro coral macio solitário gigante conhecido no Pacífico Tropical Oriental, reportou em outro comunicado a Fundação Charles Darwin (FCD), que integrou as instituições a cargo da investigação.

“As profundezas marinhas seguem sendo a última fronteira da Terra e este estudo permite conhecer a fundo as comunidades menos conhecidas das ilhas Galápagos”, disse o cientista marinho espanhol Pelayo Salinas de León, da FCD e do projeto da National Geographic Pristine Seas, que dirigiu o estudo.

As descobertas foram feitas com aparelhos submarinos controlados remotamente, que desceram a 3.400 metros de profundidade, segundo o PNG.

A expedição, realizada em 2015 e cujos resultados foram divulgados na segunda, explorou pela primeira vez três montanhas submarinas, situadas ao redor das ilhas Darwin e Wolf.

“Estes montes submarinos antigos se encontram dentro da Reserva Marinha de Galápagos e estão protegidos de práticas humanas destrutivas como a pesca de arrastro de fundo ou a mineração em águas profundas, atividades que têm efeitos catastróficos nestas comunidades frágeis”, acrescentou Salinas de León.

Entre as ilhas Darwin e Wolf, no norte do arquipélago das Galápagos, existe um santuário natural de 38 mil km2 com a maior população de tubarões do mundo.

O diretor do PNG, Danny Rueda, manifestou por sua vez que as profundezas da reserva marinha de Galápagos, com 138 mil km2, abrigam alguns dos hábitats mais diversos que sustentam a biodiversidade das ilhas, situadas a 1 mil km da costa do Equador.

Galápagos tem um dos ecossistemas mais frágeis, com flora e fauna únicas no mundo. Serviu de laboratório natural para o naturalista inglês Charles Darwin, para que concebesse sua teoria sobre a evolução das espécies.



Fonte: G1



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais