Notícias

Cientistas descobriram o jeito mais eficiente (e sustentável) de lavar roupa

Compartilhe:     |  17 de janeiro de 2020

Acadêmicos da Universidade de Leeds, no Reino Unido, e especialistas da empresa Procter & Gamble, que fabrica, entre outras coisas, produtos de limpeza, investigaram e descobriram como a máquina de lavar pode afetar o desbotamento, a cor e a liberação de microfibras nas roupas. O estudo foi publicado nesta quarta-feira (15) na revista Dyes and Pigments.

Em uma primeira observação, os experts descobriram que diminuir o tempo do ciclo de lavagem e deixar a água mais fria pode prolongar significativamente a vida útil dos tecidos e reduzir a quantidade de corante e microfibras depositados no meio ambiente. Sabe-se que, uma vez que saem pelos ralos de nossas casas, essas micropartículas podem chegar a mares e oceanos, onde se decompõem na forma dos chamados microplásticos – ingeridos por animais marinhos, terrestres e até por nós mesmos.

A autora principal do relatório, Lucy Cotton, disse em comunicado que é notável que estamos cada vez mais conscientes sobre a ameaça ambiental que os produtos de marcas fast fashion representam. Consumidores afirmam que suas roupas perdem o ajuste, a maciez e a cor depois de cinco lavagens. “Isso significa que é mais provável que as pessoas as abandonem muito antes de se desgastarem. Usar lavagens mais curtas e frias é uma maneira simples de todos poderem fazer suas roupas durarem mais e mantê-las fora de aterros sanitários”, completa Cotton.

No estudo, os pesquisadores reproduziram uma lavagem doméstica comum: lavaram 12 camisetas escuras e oito de cores vivas, junto com quadrados de tecido branco para testar a firmeza das cores. Eles fizeram isso de duas maneias: 16 ciclos de 30 minutos a 25°C e 16 ciclos de 85 minutos a 40°C, ambos com rotações de 1.600 rpm. Em outra etapa, fizeram os mesmos procedimentos usando roupas sujas fornecidas.

Foi comprovado que as lavagens de ciclo mais rápido e mais frio reduziram a quantidade de liberação de microfibras no ambiente em até 52% e reduziram a liberação de corante em até 74%. Outro ponto importante sobre a temperatura da água é que lavar roupas a 20°C em vez de 40°C economiza aproximadamente 66% da energia usada por ciclo.

De acordo com Richard Blackburn, que chefia o Grupo de Pesquisa de Materiais Sustentáveis da Universidade de Leeds, as microfibras sintéticas são liberadas toda vez que os têxteis são lavados e representam mais de um terço de todo o plástico que chega ao oceano. As microfibras do algodão e de outras fontes naturais são encontradas em números ainda maiores no mar. “Nossas descobertas podem ajudar a resolver a questão dos plásticos ‘invisíveis’ no meio ambiente”, finaliza Blackburn.



Fonte: Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Emocionante: vídeo mostra tartarugas-marinhas sendo salvas por pescadores no litoral catarinense

Leia Mais