Notícias

Cientistas desenvolvem estrada que carrega carros elétricos por indução

Compartilhe:     |  13 de maio de 2021

Caso o projeto saia do papel, os motoristas não precisarão mais das estações de carregamento individuais, o que dará uma maior liberdade aos donos de veículos elétricos. Além disso, um dos principais problemas desse tipo de carro, que é a autonomia para viagens longas sem a necessidade de paradas, seria finalmente resolvido.

“As rodovias teriam uma faixa de carregamento, uma espécie de faixa de alta ocupação”, disse o professor de engenharia elétrica de Cornell, Khurram Afridi, ao portal de notícias estadunidense Business Insider. “Se a bateria estivesse acabando, você passaria para a linha de carregamento. Ele seria capaz de identificar qual carro entrou na pista e, mais tarde, enviaria uma fatura”.

Essa mesma tecnologia também poderia ser aplicada a armazéns, a fim de torná-los mais produtivos com o uso, por exemplo, de empilhadeiras autônomas. Isso permitiria que máquinas carregassem a si mesmas enquanto estão em movimento e trabalhando.

Segundo Afridi, a tecnologia pode já estar nas estradas em cinco ou dez anos. Isso aliviaria bastante a infraestrutura das estações de carregamento, que têm uma série de desafios logísticos e de custo para sua expansão, já que o carregamento de um carro não é tão rápido quanto um reabastecimento.

“A única maneira de as pessoas comprarem carros elétricos é se eles forem tão fáceis de reabastecer quanto os motores de combustão”, disse Afridi. “Se tivéssemos essa tecnologia, os veículos elétricos teriam ainda menos limitações do que os tradicionais”.

Do espaço para as estradas

A tecnologia para o funcionamento das estradas de carregamento envolve placas produzidas com um metal especial posicionadas sob a estrada e conectadas a uma linha de força e um inversor. Essas placas criam uma espécie de campo elétrico capaz de carregar a bateria de um carro enquanto ele passa por cima de uma após a outra.

É algo parecido com o que é usado nos carregadores sem fio para smartphones, mas ainda existem muitos desafios, como a intensidade da frequência elétrica. Para resolver esse problema, Afridi propõe usar uma tecnologia similar ao que a Nasa usa para se comunicar com suas naves espaciais que viajam pelo espaço.

“A transferência de energia sem fio é baseada na mesma física usada para enviar mensagens através de ondas de rádio para espaçonaves no espaço profundo, coisas como a Voyager”, disse o pesquisador ao Futurism. “Exceto que agora estamos enviando muito mais energia em distâncias muito mais curtas, para veículos em movimento”.



Fonte: Olhar Digital - Kaique Lima



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Frio: veterinários indicam cuidados com pets

Leia Mais