Notícias

Cientistas israelenses encontram plástico no organismo de invertebrados marinhos

Compartilhe:     |  19 de janeiro de 2019

A pesquisa também confirmou a presença de aditivos plásticos, que são substâncias adicionadas aos plásticos para aumentar sua durabilidade.

Um novo estudo da Universidade de Tel Aviv (TAU), em Israel, descobriu que microplásticos – minúsculos pedaços de plástico ingeridos por animais aquáticos – estão presentes em ascídias solitárias, invertebrados marinhos, ao longo da costa israelense.

A pesquisa também confirmou a presença de aditivos plásticos, que são substâncias adicionadas aos plásticos para aumentar sua flexibilidade, transparência, durabilidade e longevidade.

A pesquisa, liderada pelo professor Noa Shenkar da Escola de Zoologia da Faculdade de Ciências Biológicas da TAU e do Museu Steinhardt de História Natural, foi publicada na edição de janeiro de 2019 do Boletim de Poluição Marinha. O estudo foi conduzido em colaboração com o professor Dror Avisar, chefe do Centro de Pesquisa Marinha na Faculdade de Ciências Exatas da TAU, e com o estudante pós-graduado Aviv Kaplan, do laboratório de Avisar.

“Este é o primeiro estudo que examina a contaminação por aditivos plásticos em organismos marinhos no Mediterrâneo Oriental e no Mar Vermelho”, diz Gal Vered, co-autor do estudo e um estudante de doutorado no laboratório de Shenkar.

“As ascídias solitárias são animais filtradores altamente eficientes e são excelentes exemplos do estado de poluição que afeta muitos outros organismos marinhos. Nossas descobertas são extremamente perturbadoras. Mesmo em praias protegidas, havia evidências de microplásticos e aditivos plásticos em ascídias. De fato, em todos os locais de amostragem, descobrimos níveis variados desses poluentes.”

Shenkar observou que “este é um resultado direto do uso humano do plástico. Pode parecer que os sacos plásticos e os outros produtos plásticos volumosos que vemos flutuar no mar são o maior problema. Mas um motivo de preocupação mais importante é a fragmentação desses produtos em pequenas partículas que são ingeridas por muitos organismos e chegam até mesmo às zonas mais profundas do oceano.”

Cerca de 350 milhões de toneladas de plástico são produzidas em todo o mundo a cada ano, e este número está aumentando. A pesquisa sugere que, se o material é encontrado nas ascídias, provavelmente também está presente em outras criaturas marinhas.

Os pesquisadores estão preparando seus resultados para os políticos interessados em evitar mais danos à costa israelense. Eles também continuam investigando a extensão e o efeito da poluição plástica no recife de corais de Eilat.

“Ao comunicar nossos resultados ao público”, disse Shenkar, “esperamos aumentar ainda mais a conscientização pública sobre as ações que todos podem tomar para acabar com a poluição plástica”.



Fonte: Anda - Yasmin Ribeiro



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais