Notícias

Civetas são alimentadas à força para produzir o café mais caro do mundo

Compartilhe:     |  17 de fevereiro de 2020

Os animais são mantidos em gaiolas apertadas e sujas. O café é fabricado a partir das fezes desses mamíferos na Indonésia

Civetas, que são mamíferos asiáticos pequenos e leves, estão sendo alimentados à força para que o café mais caro do mundo seja produzido, uma vez que o produto é fabricado a partir das fezes desses animais. O mamífero engole os grãos de café, libera alguns ácidos e enzimas, e depois os elimina nas fezes. Isso faz com que o café fique com aroma de frutas vermelhas, pouco amargo e sem nenhuma acidez.

Recentemente, os animais foram encontrados vivendo em gaiolas apertadas e sujas na Indonésia.

Pesquisadores da entidade animal Lady Freethinker encontraram 20 dos animais, também conhecidos como luwaks, que estavam sendo mantidos atrás de uma casa particular na ilha de Bali.

Uma pesquisadora que trabalha para a entidade animal e que deu seu nome apenas como Diana, disse ao Mail Online que encontrou os animais que são de hábitos noturnos e solitários, em gaiolas de arame empilhadas à luz do sol, sem acesso a comida ou água.

Ela também disse que todos os animais estavam magros e um deles possuía ferimentos, provavelmente por se morder devido ao estresse.

Lady Free Thinker

Os luwaks também andavam de um lado para o outro – um comportamento compulsivo típico de animais estressados e provavelmente resultado de serem constantemente cafeinados devido à dieta de grãos de café.

Ela disse: “A cena foi horrível. Havia arame nos quatro lados das gaiolas, sem água em nenhuma delas e sem comida”.

E completou: “Se você deixar animais noturnos, em um espaço aberto onde as pessoas possam vê-los e eles não tiverem nenhum bloqueio da luz solar, eles ficarão constantemente assustados”.

Como parte de sua pesquisa, Diana também visitou zoológicos onde as civetas eram mantidas em melhores condições, embora não devam viver em cativeiro.

Ela disse que os trabalhadores dos locais disseram que a maioria dos cafés da cidade – conhecidos como ‘kopi luwak’, literalmente ‘café de um luwak’ – era cultivada nas colinas de Bali e que os luwaks eram mantidos ao ar livre, comiam grãos de café em grandes alimentadores e eram bem tratados.

No entanto, Diana reconheceu que tentativas de rastrear as fazendas para verificar a condição dos animais se mostraram impossíveis, uma vez que elas não estão marcadas em nenhum mapa, e os trabalhadores dos zoológicos e cafeterias de luwak não são informados onde estão localizadas.

Ela até tentou fingir que era compradora de café, mas não conseguiu acessar as fazendas e foi direcionada para as cafeterias turísticas.

O Kopi Luwak é conhecido popularmente como “o café mais caro do mundo”, com produtos que custam até de 20 mil reais.

Campanha mundial contra a exploração de civetas

 A ONG World Animal Protection tem uma campanha para acabar com a produção do café com confinamento de civetas: “Estamos promovendo uma campanha pelo fim do comércio do café proveniente de civetas mantidas enjauladas – e este movimento vem crescendo bastante. Começamos a nossa campanha pedindo a atacadistas do Canadá, da Dinamarca, da Holanda, da Suécia e do Reino Unido que verificassem suas cadeias de fornecimento do produto e que parassem de vendê-lo caso não tivessem condições de garantir a sua proveniência. Pelo menos 13 atacadistas – incluindo gigantes como a Harrods e a Selfridges, no Reino Unido, e a Simon Lévelt, na Holanda – já optaram por retirar o café civeta de suas prateleiras ou concordaram com a investigação da sua procedência”. Para conhecer melhor a campanha e assinar uma petição acesse AQUI

Confira o vídeo dos animais em cativeiro:



Fonte: Anda - Giovanna de Castro



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Dicas para prevenir os resfriados em cães

Leia Mais