Notícias

Colágeno hidrolisado: os benefícios que vão muito além da estética

Compartilhe:     |  6 de julho de 2020

A palavra “colágeno” está na boca do povo, principalmente das mulheres, porque fala-se de um produto capaz de dar firmeza na pele e rejuvenescer. Será que funciona mesmo? E para além das questões estéticas? O colágeno faz bem à saúde? Fique sabendo!

De acordo com a pesquisadora Ana Lúcia Barretto Penna, do Departamento de Engenharia e Tecnologia de Alimentos da Universidade Estadual Paulista – Unesp, o colágeno é uma proteína de origem animal, cuja função no organismo é contribuir com a integridade estrutural dos tecidos em que está presente. O colágeno é encontrado nos tecidos conjuntivos do corpo, tais como os ossos, tendões, cartilagens, veias, pele, dentes, bem como nos músculos e na camada córnea dos olhos.

A pesquisadora também explica que na fase adulta a produção de colágeno diminui, sendo necessário, em alguns casos, a complementação através de suplementos.

O colágeno pode ser retirado de várias espécies do reino animal (bovinos, suínos, peixes, etc.), sendo que no Brasil é obtida principalmente de subprodutos da indústria da carne, como cartilagens, ligamentos e camadas internas do couro bovino.

Tipos de colágeno

A partir do colágeno nativo, é possível obter a fibra de colágeno, o colágeno hidrolisado e o colágeno parcialmente hidrolisado.

O uso do colágeno se popularizou na indústria farmacêutica, principalmente em produtos cosméticos, acreditando-se que ele pode reduzir a flacidez da pele tornando-a mais firme. Nesse caso o tipo de colágeno utilizado é do tipo 1, ou hidrolisado.

O colágeno normalmente é utilizado na forma de pó, porque garante uma maior estabilidade e durabilidade do produto, podendo chegar até cinco anos na embalagem original de fabricação. Quando encapsulado, também mantém sua estrutura em forma de pó.

Já na forma líquida, normalmente requer o uso de conservantes e agentes de sabor.

Ingestão e uso tópico. Benefícios comprovados

Um estudo feito pela pesquisadora Patrícia Maia Campos, realizado na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da USP, concluiu que o colágeno hidrolisado agiu de forma progressiva na camada mais profunda da pele, tornando-a mais firme, diminuindo a flacidez, melhorando a firmeza e a elasticidade da parte mais profunda da pele.

A pesquisa foi feita em mulheres com idades entre 45 e 60 anos e após 90 dias de uso diário do colágeno em forma de pó solúvel em água, os testes demonstraram uma melhora progressiva nas condições da pele, indicando que o seu uso pode complementar o tratamento com cosméticos à base do mesmo produto.

Os testes foram aplicados em 60 voluntárias, em um tipo de estudo denominado “duplo cego placebo controle”. Nesse caso, as mulheres não eram informadas se estavam ingerindo o colágeno ou um placebo que é uma substância sem efeito nenhum. Depois de 90 dias as mulheres que tomaram o placebo eram convidadas a tomar o colágeno por igual período.

Cada participante ingeriu 10 gramas (g) de colágeno hidrolisado por dia, e a cada 45 dias, foram feitos dois tipos de exames, ultrassom da derme que mede a propriedade, indicando densidade e firmeza e Cutometer que mede a propriedade elástica da pele.

A pesquisadora evidenciou através de exames de ultrassom, que o colágeno hidrolisado, de forma progressiva, agia na camada mais profunda da pele, e que o efeito foi conseguido porque ingerido. No uso tópico, quando aplicado diretamente na pele através de produtos cosméticos, a ação é superficial e menos duradoura.

Já o exame de Cutometer indicou que o resultado é mais parecido com o uso tópico do produto, apresentando melhoria da elasticidade e a hidratação da pele. Para a pesquisadora, o uso oral e tópico do colágeno se complementam.

A pesquisadora explicou ainda que o objetivo da pesquisa era avaliar se havia diferença nos resultados do tratamento entre a ingestão, típica dos alimentos, e o uso tópico, mais comum nos medicamentos e produtos.

A Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), também reconhece os benefícios do uso do colágeno para pele, é o que aponta a médica nutróloga, professora e responsável pelo departamento de Nutracêuticos da ABRAN, Dra. Marcella Garcez Duarte, destacando que há comprovação científica sobre o tema.

A médica apontou um estudo recente publicado no Journal of Drugs in Dermatology que concluiu

“que o uso de suplementos orais de colágeno em curto e longo prazo são benéficos tanto para a cicatrização de feridas quanto no combate ao envelhecimento da pele”,

destacando que o estudo demonstrou que a suplementação oral de colágeno é eficaz no tratamento da pele, trazendo benefícios antienvelhecimento e com grande potencial de aplicação na dermatologia médica.

Mas há controvérsias…

Mas o assunto ainda é polêmico e embora haja vários estudos sobre o tema, inclusive com publicações feitas em revistas de reconhecimento científico mundial, há pesquisadores, médicos e nutricionistas que não estão totalmente convencidos do potencial benéfico do uso do colágeno na melhoria da qualidade da pele.

É o que aponta o médico Dr. Victor Sorrentino que não acredita que o uso de suplementos à base de colágeno seja suficiente para garantir a qualidade e melhora na firmeza e elasticidade da pele.

De acordo com o médico, o próprio processo digestivo do nosso corpo acaba por “quebrar” a estrutura da proteína impedindo que haja absorção pelo organismo do colágeno, apenas dos aminoácidos que compõe o colágeno. É o mesmo que aponta a nutricionista esportiva Vanessa Lobato.

Para ambos, embora o colágeno seja reconhecidamente necessário e presente em nosso organismo, o seu uso cosmético ou em forma de suplementos, isoladamente, não conferem, por si só, o objetivo esperado. Para eles é necessário que a pessoa tenha uma rotina saudável de alimentação, evitando toxinas como tabaco, álcool, refrigerantes e carboidratos de baixa qualidade, gorduras trans, açúcares, aliado a prática de exercícios físicos, longe de poluição e estresse, fatores que juntos podem impedir os efeitos isolados do colágeno.

Prevenção de doenças

Mas a ala dos cientistas que acreditam em seus benefícios é bem maior, e aponta inclusive novas evidências que o colágeno hidrolisado pode ajudar na prevenção de doenças como artrose e osteoporose, devido à sua capacidade de ajudar na regeneração de ligamentos e cartilagens.

Estudos apontam também que o colágeno está relacionado com a regeneração e recuperação de lesões, podendo, não somente prevenir, como regenerar tecidos e aumentar a densidade óssea, combatendo doenças como osteoporose, bursite, tendinite e distensão muscular.

Além disso, estudos indicam que o uso do colágeno hidrolisado no tratamento de lesões e fraturas pode melhorar a resposta imunológica do organismo, acelerando a regeneração e recuperando tecidos.

Um outro estudo, realizado pelo Departamento de Saúde Pública, Epidemiológica e Econômica da Saúde da Faculdade Pública de Liége, na Bélgica, demonstrou uma redução significativa da dor em pacientes com problemas nas articulações em membros superiores, inferiores ou na lombar, que ingeriram colágeno hidrolisado durante o tratamento.

Consulte um profissional

Pode-se perceber que o colágeno é uma substância que pode trazer inúmeros benefícios à saúde humana, não só na estética e que o interesse científico é grande.

Hoje em dia há diversas pesquisas para identificar a potencialidade do seu uso em diferentes níveis e áreas médicas e de saúde, bem como que seu uso, na forma de suplemento, tem demonstrado resultados promissores e, com a melhoria das características tecnológicas será possível aumentar as pesquisas mais detalhadas de suas funcionalidades, explorando o seu real potencial.

Atenção veganos, para as pessoas que não consomem produtos de origem animal, a solução é estimular a produção de colágeno pelo próprio organismo através da alimentação saudável, consumindo alimentos ricos em aminoácidos, como lentilhas, soja, nozes e amêndoas, além de frutas como laranja e acerola, com alto teor de vitamina C e frutas com vitamina A, como manga e vitamina E como o abacate.

Contudo, para não colocar em risco sua saúde e para obter os benefícios que o colágeno pode proporcionar, sempre consulte um profissional capacitado para orientação e prescrição sobre a forma correta de uso deste e de qualquer outro produto ou substância.



Fonte: GreenMe



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais