Notícias

Como ajudar seu filho a aceitar uma variedade maior de alimentos

Compartilhe:     |  3 de janeiro de 2021

Antes de se descabelar, deixe a emoção um pouco de lado e considere a razão: em geral, a criança tem suas preferências. Ponto. Normal, porque também somos assim. E isso, acredite, entre outras coisas, pode estar relacionado à genética. Um estudo publicado no conceituado jornal científico norte-americano Pediatrics, revelou que há influência de um determinado gene na predileção por alimentos de sabor amargo, por exemplo. A avaliação foi feita com 143 crianças e suas mães e concluiu que elas vivem em mundos de sensações distintas em relação ao paladar não apenas por causa da idade, mas, em alguns casos, por causa da genética. De acordo com essa pesquisa, um certo gene seria o responsável por uma pessoa gostar ou não de itens amargos.

Ou seja, aceitar ou não comer escarola, almeirão, agrião, rúcula ou outro alimento amargo tem mais a ver com o tal gene do que propriamente com ser criança seletiva – que pode aceitar tranquilamente tal comida, dependendo da sua carga genética. De qualquer forma, nada impede que uma criança nasça predisposta a fechar a boca para sabores amargos, mas aprenda a apreciá-los com o tempo, tendo o exemplo dos pais e sendo exposta a eles ao longo de um período.

Assim ou assado

Dito isso, você pode até lidar melhor com o fato de o seu pequeno não querer comer determinadas comidas, mas, claro, vale tentar. E uma das melhores estratégias é combinar itens que ele gosta mais com outros que ele curte menos.

“Boa parte da aversão alimentar está ligada às texturas”, afirma a nutricionista materno-infantil Karine Durães (SP). Ela explica que a época da introdução alimentar, que costuma ocorrer por volta dos 6 meses, deveria ser uma boa oportunidade para oferecer diferentes texturas à criança. “No entanto, é um período de grande insegurança para a família, que acaba fazendo o básico, com medo de arriscar”, diz. Resultado: mães, pais e cuidadores acabam apresentando os alimentos mais ou menos do mesmo jeito, normalmente, refogados, e sem variar sequer o formato.

Asas à imaginação

Não precisa e nem deve ser assim. É possível criar diferentes maneiras para ajudar o pequeno a experimentar novos sabores e texturas. Karine Durães dá algumas dicas:

– Arroz e macarrão, em geral, são bem aceitos pelas crianças. Então, que tal misturar vegetais ralados fininhos a eles? Cenoura, abobrinha, beterraba, crus ou cozidos, ficam uma delícia. Mudam a aparência – que se torna mais colorida e atraente –, o sabor e a textura (sobretudo se forem acrescentados crus).

– Chips de vegetais assados são saborosos, crocantes e agradam aos pequenos. Basta cortar abobrinha, beterraba, cenoura, batata-doce, entre outros, em lâminas bem finas, e levar ao forno em fogo baixo até que adquiram uma boa crocância. Mordê-los vira até brincadeira!

– Quadradinhos de couve também podem seguir a mesma lógica do vegetal crocante e gostoso. Corte as folhas da verdura em pequenos quadrados e leve ao forno com um fio de azeite e pitadas de sal.

– Floretes de brócolis e de couve-flor, cenoura e outros vegetais podem ser empanados e assados. Também ganham textura diferente e a criançada fica mais aberta à experimentação.

– A maioria das crianças gosta muito de purê de batata. E se elas não aceitam couve-flor, brócolis ou cenoura tão bem, dá para preparar purê com esses vegetais também, e combiná-lo com o de batata. Em um primeiro momento, faça isso com o de couve-flor, já que não muda nem a cor e o pequeno vai se familiarizando com esse novo sabor, mas come uma textura com a qual está acostumado. Depois, experimente oferecer a combinação com o de brócolis ou de cenoura.

– A torta espinafre ou de escarola é uma boa alternativa para suprir o pequeno com carboidrato, um dos macronutrientes de que ele mais necessita, e ainda acrescentar os benefícios das vitaminas, minerais e fibras dos vegetais. No recheio da massa, a verdura tem maior chance de agradar.

Sem estresse

É importante lembrar que sugerir novos sabores e texturas ao pequeno deve ser um ato de amor. Então, muita calma nessa hora. “O momento da refeição precisa ser prazeroso e calmo para tudo o que for associado a ele seja positivo. Lembre-se: para que o seu filho tope experimentar um novo alimento ou um novo tipo de preparo desse alimento é preciso persistir, não insistir”, diz Karine Durães. Faz diferença! Tente, teste e faça outras descobertas com a sua família.

Receitas criativas com vegetais

Pão de queijo de frigideira com tomate ou espinafre

Ingredientes

1 tomate médio, sem sementes, picado
1⁄2 colher (chá) de azeite
1 pitada de sal
1⁄2 xícara (chá) de polvilho azedo
1 colher (sopa) de iogurte natural integral
3 colheres (sopa) de queijo branco ralado
1 clara de ovo

Modo de preparo

Em um liquidificador, bata o tomate com 3 colheres (sopa) de água, formando um suco. Coloque em uma panela, junte o azeite e o sal e leve para ferver. Em um recipiente, coloque o polvilho e regue com a mistura fervente, mexendo bem para escaldar o polvilho. Junte o iogurte, o queijo branco e a clara, e misture bem, formando uma massa homogênea. Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque a massa em colheradas. Quando desgrudar da frigideira, vire e espere dourar do outro lado. Sirva a seguir.

Rendimento: 6 unidades
Tempo de preparo: 20 minutos

Dica: Se desejar, substitua o tomate por espinafre. Use 1/2 xícara (chá) de folhas de espinafre e bata com 3 colheres (sopa) de água. Não deixe a massa muito fina na frigideira. Para ficar com textura de pão de queijo, coloque uma camada grossa (cerca de 0,5 cm de espessura).

Purê de abóbora e batata

Ingredientes

750 g de abóbora
1 batata
1 colher (chá) de azeite
3 gotas de limão
Sal a gosto

Modo de preparo

Lave e descasque a abóbora e a batata. Corte-as em cubos. Em uma panela, cubra-os com água, e cozinhe por 15 minutos. Escorra. Amasse, junte o azeite e o limão para obter um purê bem macio. Salgue se necessário.

Rendimento: 5 porções Tempo de preparo: 40 minutos

Purê de couve-flor

Ingredientes

1 couve-flor média
2 colheres (sopa) de manteiga
2/3 xícara (chá) de leite
1⁄4 de copo de requeijão
2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
2 colheres (sopa) de cebolinha picada
Sal a gosto

Modo de preparo

Lave bem a couve-flor e corte-a em buquês. Em uma panela média, ponha água o suficiente para cobri-los, espere levantar fervura e cozinhe até que fiquem macios. Escorra bem. No liquidificador, bata a couve-flor, a manteiga e o leite até obter um purê cremoso. Transfira para uma panela, acrescente o requeijão, sal e mexa até formar um creme homogêneo. Salpique com o queijo parmesão e a cebolinha. Desligue o fogo, transfira para uma travessa e sirva em seguida.

Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 30 minutos

Fonte das receitas: Karine Durães



Fonte: Revista Crescer - MÔNICA KATO



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Receitas de Biscoitos Saudáveis para Cachorros

Leia Mais