Notícias

Composto biológico ajuda a controlar nematóides em seringais

Compartilhe:     |  9 de junho de 2019

O seringal já era para ter começado a produzir há pelo menos um ano, mas o produtor teve que adiar a sangria. Um dos motivos foi a incidência de nematóides. Esses vermes minúsculos ficam na terra, não podem ser vistos a olho nu e causam um problema grande.

Os nematoides prejudicam as árvores, que ficam desfolhadas, não crescem e, às vezes, acabam morrendo. Nesse ponto, lembra o engenheiro agrônomo Paulo Brito, a solução é erradicar a planta.

O sítio localizado em Mirassol (SP) tem 34 hectares com seringueira, sendo que 7 foram afetados de forma mais intensa pelos nematóides.

Para combater a praga, o produtor Lúcio Roberto de Sá já tentou várias soluções, mas nunca nada tinha dado tão certo quanto a aplicação de um composto biológico feito à base de fungos e bactérias. É um produto que já está sendo fabricado por várias empresas brasileiras.

Lúcio diz que vem percebendo uma melhora no seringal e a redução de pragas e doenças, o que significa um alívio depois do susto.

Estudos na Unesp de Botucatu mostraram que os nematoides já estão presentes em praticamente todos os seringais do Noroeste Paulista. Os pesquisadores chegaram a encontrar mais de 200 mil nematoides em apenas 10 gramas de raiz. É uma superpopulação, que se prolifera de forma acelerada.

Beto Venâncio da Silva é administrador de uma fazenda onde o seringal tem sofrido menos com a presença de nematóides. Isso, segundo ele, tem muito a ver com o manejo feito desde quando as plantas eram pequenas. Beto faz o controle do mato com roçadeira e evita gradear o solo, o que favorece a disseminação da praga.

As árvores estão em sangria há 4 anos. Com receio de que os nematoides prejudiquem a produtividade, o dono da fazenda também decidiu usar o composto biológico.



Fonte: TV TEM



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Primeiros socorros: o que fazer quando o seu pet precisa de ajuda

Leia Mais