Arte de Reciclar

Confete feito com folhas das árvores é opção para carnaval sustentável

Compartilhe:     |  1 de fevereiro de 2020

Ideia de engenheiro ambiental ganha as redes sociais; bio-glitter e fabricação própria de fantasias seguem a linha da consciência ambiental.

Econfete é ideia biodegradável e divertida para o Carnaval  — Foto: Arquivo TG

Econfete é ideia biodegradável e divertida para o Carnaval — Foto: Arquivo TG

Do interior da mata é possível ouvir o carnaval de espécies anunciando o início dos festejos. A novidade é que, cada vez mais, a população tem se preocupado com o meio ambiente mesmo durante os dias de descontração.

Sob um lado não tão colorido das comemorações, as fantasias da festa já foram originárias das penas de aves, que sofriam com essa confecção de adereços. Hoje, porém, os foliões conscientes buscam alternativas para curtir o feriado e os blocos de Carnaval sem que firam a outros seres vivos.

Foi partindo dessa ideia que o engenheiro ambiental e sanitarista, Vitor Hugo Sampaio, divulgou recentemente uma proposta que promete inovar as comemorações: o ECOnfete. Através de sua página, criada há mais de três anos nas redes sociais, expandiu uma iniciativa para criar um elo entre a sociedade e meio ambiente e auxiliou com outras dicas que podem tornar o carnaval mais verde.

Confetes feito de folhas caídas não agridem ao meio ambiente — Foto: Arquivo TG

Confetes feito de folhas caídas não agridem ao meio ambiente — Foto: Arquivo TG

ECONFETES

“Na região onde moro tem muitas árvores no canteiro central, local onde tenho o costume plantar mudas. Em uma dessas atividades de plantio, me ocorreu a ideia de aproveitar as folhas caídas”, conta ele.

Folhas que caíram de árvores ajudam a elaborar os confetes — Foto: Arquivo TG

Folhas que caíram de árvores ajudam a elaborar os confetes — Foto: Arquivo TG

A proposta de Vitor é que, fazendo uso de um furador, as pessoas produzam seus próprios confetes a partir do recorte das folhas. Assim, além ser gratuito, irá fazer com que o resíduo que sobrará espalhado depois da festa se degrade sem agredir o meio!

A publicação com a iniciativa do engenheiro ambiental fez sucesso nas redes sociais e despertou a atenção de foliões que buscavam iniciativas biodegradáveis para a comemoração.

Fiquei feliz por saber que não era o único e orgulhoso por ter popularizado essa ideia linda e sustentável
— Vitor Hugo Sampaio
Glitter comestível torna-se um substituto ao glitter poluente — Foto: Arquivo TG

Glitter comestível torna-se um substituto ao glitter poluente — Foto: Arquivo TG

BIO-GLITTER

Não tão brilhantes para o meio ambiente, os resíduos liberados do glitter poluem as águas por conta de sua formação ter origem em plásticos. Pelo tamanho microscópico, os chamados microplásticos são despejados no mar e aderem às substâncias tóxicas, ampliando o potencial de degradação. Quando ingeridos por animais marinhos, as consequências nocivas progridem por toda a cadeia alimentar.

Glitter é tido como um dos poluentes através de microplásticos — Foto: Arquivo TG

Glitter é tido como um dos poluentes através de microplásticos — Foto: Arquivo TG

A agência de meio ambiente da ONU estima que 8 milhões de toneladas de plástico sejam jogadas nos mares todos os anos. Também já se sabe de pontos do oceano que apresentem até 25 partículas de microplástico por metro cúbico de água.

“Microplásticos ou folículos de alumínio causam grandes impactos à vida marinha. Como alternativa, a dica é optar pelo Glitter comestível (confeiteiro) ou pela fabricação caseira”, sugere Vitor Hugo.

Copos dobráveis propagam a ideia da redução de lixo — Foto: Arquivo TG

Copos dobráveis propagam a ideia da redução de lixo — Foto: Arquivo TG

COPOS REUTILIZÁVEIS

Já comprovados os efeitos do plástico no meio ambiente, os copos feitos com o material também devem ser usados com moderação. Uma alternativa para combater o problema são os copos reutilizáveis e personalizados.

“Isso pode dar um toque intimista e pessoal à festa sem esquecer dos cuidados com o meio ambiente”, explica Vitor Hugo.

Ainda com o foco na eliminação dos plásticos, alguns itens descartáveis podem ser abolidos em situações que não têm real necessidade, como o caso do canudo. O objeto não consegue ser reciclado e o consumo dele é relativamente opcional na maior parte das situações.

Fantasias podem ser feitas utilizando misturas de estampa do armário — Foto: Arquivo TG

Fantasias podem ser feitas utilizando misturas de estampa do armário — Foto: Arquivo TG

FANTASIAS SUSTENTÁVEIS

Reutilizar roupas, encontrar peças disponíveis em casa e montar um figurino com materiais recicláveis é sempre uma boa pedida para não abusar no lixo que será descartado. A iniciativa pode ser ampliada também com a utilização de peças de roupas disponíveis em casa.

“Caso esteja sem inspiração ou criatividade para a fantasia de carnaval, pergunte aos amigos ou os convide para trocar peças de roupas e ajudar na escolha dos acessórios”, sugere o engenheiro ambiental.

Papéis de rascunho, papelão, caixa de leite, caixas de sapato e outros objetos que seriam descartados podem ajudar a compor máscaras e adereços para incrementar as fantasias.

*Supervisionado por Lizzy Martins



Fonte: G1 - Por *Gabriela Brumatti, Terra da Gente



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais