Notícias

Confira curiosidades sobre plantas, organismos fundamentais para os ecossistemas

Compartilhe:     |  20 de janeiro de 2021

As plantas são organismos fundamentais para os ecossistemas e possuem diferentes classificações

As plantas são organismos multicelulares que fazem parte do reino Plantae. Elas usam a fotossíntese para fazer seu próprio alimento e produzem grande parte do oxigênio do mundo. Assim, elas têm um papel importante nos ecossistemas mundiais, fazendo parte da cadeia alimentar.

Como são seres fotossintetizantes, as plantas são denominadas autótrofas, o que significa que produzem sua própria comida – com exceção, é claro, das plantas carnívoras. Durante a fotossíntese, nutrientes, como açúcares, são produzidos a partir da energia da luz e do dióxido de carbono. Tudo isso acontece em organelas celulares chamadas de cloroplastos, onde também há clorofila e carotenoides.

As células das plantas são eucarióticas. Isso significa que elas se distinguem por suas paredes celulares que contêm celulose, cloroplastos que realizam a fotossíntese e um vacúolo central que retém água.

Existem mais de 300 mil espécies de plantas que se dividem entre carófitas, briófitas, vasculares sem sementes, gimnospermas e angiospermas. Muitas delas são usadas na decoração, podem ser cultivadas dentro de casa, plantadas em vasos, possuem propriedades medicinais e proporcionam muitos benefícios.

Tipos de plantas

Carófitas

Carófitas são algas verdes que possuem células com cloroplastos e paredes celulares contendo celulose, como as plantas.

Briófitas

As briófitas são plantas terrestres não vasculares, ou seja, elas não possuem tecido vascular que transporta água e nutrientes. Elas possuem partes que apenas se parecem com raízes, caules e folhas, mas não são de fato. Um exemplo de plantas briófitas são os musgos.

Vasculares sem sementes

Este tipo de plantas também pode ser denominado como pteridófitas. Elas produzem embriões que não são protegidos por sementes e se reproduzem por meio de esporos. As samambaias e as cavalinhas são exemplos desse tipo de planta.

Gimnospermas

As gimnospermas possuem sementes que não estão dentro de um ovário como nas plantas que possuem flores. Suas sementes crescem na superfície das folhas ou em estruturas modificadas, como as pinhas do pinheiro.

Angiospermas

Angiospermas são plantas com flores. As flores são seus órgãos reprodutivos que possuem partes masculinas, o estame e o pólen, e parte feminina, como o pistilo.

Plantas e suas condições de vida

As plantas também podem ser classificadas de acordo com suas condições de vida e adaptações. As mesófitas são plantas que precisam de uma quantidade moderada de água para crescer. Alguns exemplos: milho, margarida e rosa.

As hidrófitas são plantas aquáticas que crescem apenas em água e podem ser do tipo submersa, emergente ou flutuante. Lótus, erva-do-mar e jacinto-de-água são plantas hidrófitas.

As plantas xerófitas, como os cactos e poinsétias, só crescem em condições de seca. Elas possuem folhas e galhos especialmente projetados para armazenar água e desenvolvem espinhos afiados para afastar os animais que pastam.

Por fim, as plantas halófitas são capazes de sobreviver na condição salina. E as epífitas crescem na superfície de outras plantas, mas sem parasitagem, como as orquídeas.

Plantas anuais, bienais e perenes

A Botânica é a área que estuda as plantas e as classifica de acordo com seu desenvolvimento. A jardinagem, por sua vez, também classifica as plantas de acordo com o seu crescimento, dividindo-as entre anuais, bienais e perenes.

As plantas anuais completam seu ciclo de vida (crescer da semente, florescer, produzir mais sementes e morrer) em um ano e produzem mais flores no verão. As bienais levam dois anos para completar o ciclo de vida e, grande parte das vezes, florescem no final da primavera, antes das anuais.

As perenes vivem três anos ou mais e podem florescer por vários meses também no verão. Além desses três tipos, há arbustos perenes ou semi-perenes e árvores. Como cada tipo floresce em um período, os jardineiros costumam misturar vários tipos em um jardim para que ele esteja sempre bem florido.

7 curiosidades intrigantes sobre as plantas

1. Plantas podem ser terapêuticas e ajudar no estresse

Um estudo do Journal of Physiological Anthropology descobriu que ter plantas em casa ou no escritório podem trazer mais conforto e tranquilidade, reduzindo a resposta ao estresse. Outros pesquisadores usaram hortoterapia – ou horticultura terapêutica – para aumentar a sensação de bem-estar em pessoas com depressãoansiedade e outras condições.

Um estudo que entrevistou mais de 440 funcionários da Amazon na Índia e nos Estados Unidos revelou que as pessoas que incluíam elementos naturais em seus ambientes internos de trabalho, como plantas, sentiam maior satisfação e tinham mais compromisso do que aquelas que não contavam com nenhum elemento natural no escritório.

2. As plantas podem ouvir

Uma pesquisa da Universidade de Tel Aviv colocou flores de Oenothera drummondii expostas ao som de reprodução de uma abelha voando e sinais sintéticos em frequências semelhantes. A partir disso, as plantas produziram néctar mais doce em três minutos, aumentando as chances de polinização cruzada. O estudo sugere, assim, um sensor auditivo por parte das flores em relação aos sons dos polinizadores.

3. As plantas podem reconhecer seus irmãos

Uma pesquisa descobriu que uma planta litorânea comum, chamada foguete marinho, reconhece as plantas cultivadas a partir de sementes da mesma planta, isto é, suas irmãs.

A partir do estudo, viram que quando as irmãs crescem próximas umas às outras no solo, elas não lançam mais raízes para competir entre si. Por outro lado, quando plantadas com outras plantas “estranhas”, elas competem para absorver água e os nutrientes minerais do solo.

4. As árvores são os organismos com vida mais longa na Terra

A vida é passageira para a maior parte das espécies. Uma mosca adulta, por exemplo, vive apenas 30 minutos. Algumas baleias podem chegar a 200 anos. Mas as árvores podem viver por centenas de anos.

O pinheiro Pinus Longaeva é o mais antigo organismo vivo conhecido. Ele cresce nas Montanhas Brancas do sudeste da Califórnia e vive há aproximadamente 4.850 anos.

5. O dente-de-leão é comestível das pétalas às raízes

dente-de-leão é comestível e tem benefícios comprovados, como efeito anti-inflamatório e propriedades que protegem o fígado contra danos causados pelo álcool. Além disso, a raiz e as folhas têm potencial para controlar os níveis de colesterol.

Mas atenção: também há contraindicações. Essa planta não pode, por exemplo, ser ingerida por crianças menores de dois anos.

6. Nós comemos apenas 0,06% das plantas comestíveis existentes

Há centenas de plantas comestíveis crescendo pelo mundo. De acordo com o NewScientist, de quase 400 mil espécies de plantas da Terra, poderíamos comer cerca de 300 mil, mas comemos apenas 200 espécies.

Existem, inclusive, algumas espécies denominadas Pancsplantas alimentícias não convencionais. Não as consumimos como forma de alimento por falta de costume ou mesmo de conhecimento.

7. Cerca 68% das plantas estão ameaçadas de extinção

Um levantamento da IUCN descobriu que cerca de 68% das espécies de plantas estão ameaçadas de extinção. Diferente dos animais, as plantas não conseguem se mover quando o seu habitat é destruído. Elas acabam desaparecendo também. Isso é um alerta, afinal, por meio da fotossíntese, as plantas fornecem o oxigênio que respiramos e equilibram os ecossistemas.



Fonte: Equipe Ecycle - Joana Coelho



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Alimentação natural para cães: dicas e cuidados

Leia Mais