Espaço Animal

Conheça comidas proibidas para cachorro

Compartilhe:     |  28 de março de 2015

 (Foto: Divulgação)

Diversos tutores de cães têm o forte desejo de agradar os animais com alguma guloseima, especialmente, quando ele faz aquela carinha de coitado, como se não comesse há mais de uma semana. No entanto, alguns alimentos podem ser prejudiciais e causar danos irreversíveis à sua saúde podendo, inclusive, levá-lo a morte.

Chocolate: Apesar de ser delicioso para nós, o chocolate possui teobromina, uma substância similar à cafeína. A ingestão, mesmo que em pequenas quantidades, pode provocar vômito, diarreia, sede excessiva, além de tremores, convulsões e alteração nos batimentos cardíacos. A guloseima também pode causar alergias e provocar uma intoxicação grave que leva à morte. Portanto, em épocas festivas como a Páscoa, atenção dobrada!

Sendo assim, opte apenas pelos chocolates desenvolvidos exclusivamente para animais e vendidos sob supervisão veterinária.

Bebidas alcoólicas: Cerveja, licor, vinho e bebidas em geral que contenham álcool geram os mesmos efeitos no fígado e cérebro de um cão que nos seres humanos. No entanto, os malefícios para os cães são ainda maiores, particularmente para os pequenos, uma vez que causam vômitos, diarreia, alterações no sistema nervoso central, problemas de coordenação, dificuldade respiratória, coma e até a morte.

Uva ou uva passa: Embora muitos petiscos para cães possuam uvas ou passas, esse é um alimento que não deveria ser oferecido para o pet. Ainda não se sabe ao certo o motivo dele não ser bem aceito, mas uvas e passas estão associadas à insuficiência renal precoce, vômitos e podem deixar o cão bastante apático.

Macadâmia: Basta uma pequena quantidade de macadâmia para o cão ser envenenado e até mesmo morrer. Isso porque esses tipos de nozes, se ingeridos, geram uma intoxicação grave com sintomas que incluem tremores musculares, fraqueza ou paralisia dos membros posteriores, vômitos, temperatura corporal elevada e frequência cardíaca rápida.

Alho e cebola: O alho e a cebola causam o mesmo efeito negativo na saúde dos cães. Tanto em suas versões cozidas, desidratadas, em pó ou mesmo cru, os dois alimentos podem ser responsáveis pela destruição de células vermelhas no sangue do animal, levando-o à anemia. Se for ingerido em grandes quantidades, o alho e a cebola podem causar intoxicação que apresentam sintomas como fraqueza, vômitos, apatia, falta de apetite e de ar.

Abacate: Apesar de ser inofensivo para humanos, o abacate entrou para a lista de alimentos mais perigosos para cães da ASPCA, em 2009. Isso porque toda a planta do abacate – semente, casca, folhas e fruto – contém uma substância denominada Persin, que é altamente tóxica e letal para cães. Procure evitar qualquer tipo de contato.

Bebidas com cafeína: Pouco importa a quantidade ingerida, a cafeína pode ser letal para o cachorro e não há antídotos. A reação no corpo dos animais é similar a um envenenamento e, quando ingerida, provoca sintomas como agitação, respiração acelerada, palpitações cardíacas, tremores musculares, convulsões e sangramento. É importante ter em mente, que além do chá e café, a cafeína também pode ser encontrada em bebidas com cacau, chocolate e energéticos. Alguns medicamentos para resfriado e analgésicos humanos também podem conter cafeína.

Frutas com sementes: Geralmente o problema não são as frutas (frutos, na verdade), mas sim, as suas sementes. Isso porque os caroços presentes nelas podem causar uma inflamação no intestino delgado dos cães. Além disso, as sementes também podem causar obstruções, hemorragias e até envenenamento. Evite ao máximo que os cães comam as sementes e os caroços das frutas.

Doces e comidas açucaradas: Guloseimas são muito saborosas, mas podem ser grandes vilãs dos animais. Os doces em geral e alguns produtos de panificação possuem o xilitol, uma substância responsável pelo aumento da insulina que circula no corpo do cachorro. Caso isso ocorra, haverá uma alteração na taxa de açúcar do cão que pode levá-lo a insuficiência hepática. Os sintomas iniciais incluem vômitos, letargia e perda de coordenação. Eventualmente, o cão pode ter convulsões. A insuficiência hepática pode ocorrer dentro de poucos dias.



Fonte: Anda - Cotia Agora



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Holanda se torna o primeiro país sem cães abandonados – e não precisou sacrificar nenhum

Leia Mais