Notícias

Conheça os benefícios da acelga que faz bem à saúde cardiovascular

Compartilhe:     |  5 de outubro de 2020

Muito famosa na culinária oriental, seja no preparo de sopas, saladas ou pratos com proteína. A acelga é uma hortaliça de baixo teor calórico “apenas cerca de 20 kcal em 100 g” e no alto valor nutricional. A acelga é rica em vitaminas C e K e em minerais, como magnésio e potássio. Além disso, possui na composição ferro, cálcio, fibras e proteínas.

Os nutrientes contidos na hortaliça estimulam a densidade óssea e a digestão, regulam os níveis de glicose e de gordura no sangue e ainda fortalecem o sistema imunológico. Esse nutritivo alimento também faz bem à saúde cardiovascular.

No entanto, por conter ácido oxálico, pessoas com tendência à formação de pedras nos rins devem consumi-la preferencialmente cozida. Veja a seguir nove benefícios nutricionais da acelga, as dicas de como escolher e consumir, além das contraindicações:

Fortalece o sistema imunológico

Ingerir acelga pode criar uma barreira de defesa do corpo contra infecções e doenças. Por conter vitaminas A, C e K, cálcio, ferro e proteínas, desempenha papel importante no fortalecimento do sistema imunológico ao aumentar a produção de glóbulos brancos e anticorpos.

Controla o nível de açúcar e gordura

A acelga é um alimento que não pode faltar na dieta de quem tem diabetes ou colesterol alto. Devido ao magnésio e fibras, a ingestão da hortaliça ajuda a reduzir os níveis de glicose e de gordura no sangue.

Faz bem ao coração

A acelga é rica em vitamina K, que inibe a calcificação vascular e, portanto, dificulta a formação de placas nas artérias. Além disso, previne a aterosclerose, pois aumenta a elasticidade dos vasos sanguíneos. Já a presença do cálcio favorece as funções neuromusculares, uma vez que age no ciclo de contração e relaxamento que regula os batimentos cardíacos. A hortaliça ainda possui magnésio, que desempenha papel fundamental na saúde cardiovascular por melhorar a disfunção endotelial, e potássio, que exerce efeito sobre a pressão arterial e a atividade muscular das células nervosas.

Ajuda na saúde da circulação

A hortaliça também é uma aliada dos bebês prematuros. Fonte de vitamina K, contribui para a circulação sanguínea e, por isso, previne hemorragias nos pequenos, como sangramentos intestinais.

Melhora a visão e a pele

A hortaliça ajuda a ter visão e pele saudáveis por prover de vitamina A, que protege a córnea, estimula o crescimento e o desenvolvimento dos tecidos e mantém a integridade e função das células. Já a vitamina C e o ferro contidos no alimento evitam o envelhecimento precoce, uma vez que estimulam a produção de colágeno e o combate aos radicais livres. Enquanto as proteínas facilitam o transporte molecular e a reparação e regeneração celular.

Colabora com a densidade óssea

O consumo de acelga estimula uma maior fixação de cálcio nos ossos e nos dentes. Essa ação é essencial para a formação das fibras de colágeno do nosso organismo, graças às vitaminas C e K e proteínas encontradas em sua composição nutricional. Assim como o próprio mineral, que é fundamental durante a infância, gestação e lactação.

Previne anemia

A vitamina C presente no alimento potencializa a absorção do ferro. O mineral previne anemia, melhora o raciocínio e combate o desânimo. Além de reduzir o estresse, já que atua na produção de hormônios como cortisol, histamina e norepinefrina. Como consequência, ocorre a melhora de humor e a prevenção de quadros depressivos.

Favorece a memória e o aprendizado

Entre as contribuições da presença de ferro na acelga está a regulação de neurotransmissores cerebrais, que facilitam o aprendizado e contribuem para o bom funcionamento da memória. Além disso, o mineral colabora no desenvolvimento cognitivo na primeira infância.

Sono e ida ao banheiro em dia

Tem dificuldade para dormir e constipação intestinal? Coloque acelga no prato. O alimento possui magnésio, que aumenta os níveis de melatonina, hormônio importante para a qualidade do sono. O mineral também estimula os movimentos peristálticos do esôfago e do intestino. Essa ação ajuda a empurrar o alimento para o tubo digestivo. Já as fibras aceleram o trânsito intestinal.

Como escolher, conservar e consumir

O ideal é que as folhas da acelga estejam bem verdes e espessas, sem a presença de manchas. Já o caule “que pode ser de cores amarela, branca ou vermelha” deve estar firme. O consumo deve ser realizado o mais breve possível, a fim de evitar a perda de nutrientes. Uma dica para preservar a hortaliça é higienizar, secar e guardar em pote fechado na geladeira, por até uma semana.

Como possui folhas crocantes, pode ser consumida crua, no preparo de saladas e sanduíches “a não ser que se tenha propensão a pedras nos rins”. Outra opção é refogar no vapor, para conservar a qualidade nutricional, e misturar com uma proteína animal ao final do preparo. Ou cozinhar junto aos legumes da sopa. Também é indicada como recheio de torta ou ingrediente de sucos. Evite fritar.

Riscos e contraindicações

A quantidade e a frequência de consumo de acelga devem ser controladas por pessoas que fazem uso de anticoagulantes, devido à alta concentração de vitamina K, e por quem sofre de diverticulite, por causa da presença de fibras. Além disso, a hortaliça contém ácido oxálico, que interfere na absorção de minerais e estimula a formação de cristais de oxalato de cálcio nos rins. Em todo caso, a concentração de ácido oxálico é reduzida quando a acelga é fervida ou cozida, assim como a quantidade de vitaminas e minerais. O sugerido é consumir uma hortaliça, de qualquer tipo, por dia.



Fonte: Portal da RMC



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais