O lixo em questão

Conheça os diferentes tipos de compostagem e suas características

Compartilhe:     |  29 de setembro de 2019

Cada vez mais são descobertas e desenvolvidas formas de se reutilizar e dar uma nova função aos resíduos que produzimos diariamente. Uma técnica que vem crescendo em meio a nossa sociedade é a compostagem: o método utiliza resíduos orgânicos para transformá-los em adubo.

Dá-se ao nome de compostagem ou “reciclagem natural”, o processo biológico em que microrganismos transformam o resto orgânico de origem vegetal e animal (com restrições) em composto adubo natural rico em nutrientes (semelhante ao solo e fertilizantes líquidos). A técnica pode ser utilizada para uso doméstico ou até em grande quantidade em usinas de compostagem. Para conhecer mais sobre o método, conheça abaixo os 2 tipos mais comuns de compostagem:

Compostagem de jardim e minhocário

O sistema mais conhecido consiste num processo fechado que utiliza de 3 caixas plásticas (container) tampadas, contendo terra preta, restos de alimentos orgânicos domésticos, folhas secas e minhocas. As minhocas farão a ingestão da terra e do resto orgânico, gerando túneis subterrâneos por onde passara o chorume gerado.

Um dos principais benefícios desse método, é que através deste, há uma grande contribuição para minimização da quantidade de lixo que é gerado nas residências. O processo auxilia indiretamente no aumento da vida útil dos aterros públicos, além de transformar os resíduos em adubo para o jardim ou horta doméstica. A metodologia ainda gera autossuficiência, podendo render economicamente – uma vez que há a possibilidade de se comercializar o excedente produzido.

Compostagem elétrica

Por meio da tecnologia e visando a praticidade, a compostagem elétrica foi desenvolvida para assegurar 100% de eficácia em um tempo de até 24 horas. A técnica movida a energia elétrica, processa através da trituração, desidratação e filtração de todo e qualquer tipo de resíduo orgânico, incluindo os de origem animal, transformando-os em pó seco, para que possam ser utilizados tanto para adubagem quando para combustível.

O mercado disponibiliza diferentes modelos e tamanhos de equipamentos. Em países como Canadá, Estados Unidos, Coréia do Sul e alguns do continente europeu, a técnica é bastante utiliza em milhares de residências.

O processo garante rapidez na transformação dos resíduos em adubo, é livre do uso de produtos nocivos ou químicos, reduzindo de 70 a 90% o volume de lixo orgânico. Além disso, a técnica trata o odor durante o processamento e ainda é capaz de triturar os resíduos de origem animal e vegetal sendo cozidos ou crus.



Fonte: Redação Pensamento Verde



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais